Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Osteoporose. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Osteoporose. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Como Preparar o Óleo de Magnésio para o Uso Transdérmico

Blue Glass Bottle with Spray 4 oz Unit
15/09/2015.

O Que é Óleo de Magnésio?

Em primeiro lugar, devo esclarecer: o óleo de magnésio não é um óleo. É simplesmente chamado de "óleo" de magnésio, devido a sensação oleosa da solução de cloreto de magnésio com água na pele. (Por favor note que este não é o mesmo magnésio encontrado no sal de Epsom ou Sal Amargo. O Sal de Epsom é o sulfato de magnésio. Este é o cloreto de magnésio e é mais adequado para a absorção transdérmica).


Você deverá aplicar o óleo de magnésio em sua pele com um frasco com borrifador, em seguida, esfregue-o e deixe sua pele absorvê-lo durante aproximadamente meia hora ou mais.


Por que usar o Óleo de Magnésio?


1) A maioria de nós possuímos uma deficiência de magnésio. No passado, obtínhamos o magnésio através do solo e do abastecimento de água, mas atualmente, o solo está empobrecido e nosso abastecimento de água potável está pobre em minerais. 


2) Você sabia magnésio é mais facilmente absorvido por via transdérmica, através da pele, do que é internamente (por via oral)?


3) O óleo de magnésio é uma forma útil, barata e simples de aplicar magnésio em sua pele. É essencial aprender a fazer óleo de magnésio!


Benefícios da Terapia Transdérmica de Magnésio (fonte a e fonte b)

  • Alivia dores musculares na coluna, bursites, tendinites;
  • Previne e trata artrites e osteoporose, pois faz com que o cálcio se deposite no local correto;
  • Ajuda nos casos de depressão pois aumenta a energia vital;
  • Atua beneficamente sobre o sistema nervoso;
  • Melhora o sistema imunológico e combate radicais livres;
  • Auxilia no tratamento de cálculos renais;
  • Auxilia a evitar crises epiléticas e convulsões;
  • Traz mais disposição e vitalidade para o dia a dia.
Contraindicação: Pacientes com deficiências renais devem usar o cloreto de magnésio com acompanhamento médico.

Como Preparar o Óleo de Magnésio

Encontrei esta receita em inglês, porém o magnésio utilizado não pode ser encontrado no Brasil.


Realizei alguns cálculos, baseados em dados encontrados e cheguei à conclusão que pode ser utilizado o cloreto de magnésio P.A.


O produto utilizado nos Estados Unidos é este:
Ancient Minerals Magnesium Bath Flakes - 1 xícara contém 15 g de magnésio elementar e 1/2 xícara = 7,5 g de magnésio elementar.


Este pode ser encontrado em farmácia comuns (algumas), pela internet ou manipulado (em farmácias de manipulação):

Composição do Cloreto de Magnésio P.A. – Ifal – 33 g
Cloreto de magnésio..... 33 g - Equivalente a 3,95 g de magnésio elementar

2 sachês equivalem a 7,9 g de magnésio elementar, pois 3,95 g (de magnésio elementar por sachê)*2(sachês)=7,9 g.

Ingredientes:

  • 2 sachês ou frascos de 33 g de cloreto de magnésio P.A. 
  • ½ xícara de água destilada (118 ml)
  • Tigela de vidro ou copo medidor de vidro
  • Um frasco com borrifador de vidro escuro (pode ser de plástico escuro também)
Instruções

Ferva a água destilada. É importante utilizar a água destilada para prolongar a vida útil da solução. Coloque o cloreto de magnésio em uma tigela de vidro ou em um copo medidor (de vidro) e despeje a água fervente sobre ele.

Mexa bem até dissolver completamente. Deixe esfriar completamente e guarde no frasco com borrifador. Pode ser armazenado à temperatura ambiente durante pelo menos seis meses.

Como Usar o Óleo de Magnésio


Borrife-o nos braços, pernas e barriga diariamente. Pode ocorrer uma sensação de leve coceira na pele (pinica levemente), isso é perfeitamente normal e de curta duração; este efeito desaparece após 10 a 20 minutos. Depois de um tempo de aplicação rotineira do óleo de magnésio, você provavelmente não vai mais experimentar esta sensação na pele. Use o óleo de magnésio, começando com 6 a 8 borrifadas por dia e aumente 1 borrifada a cada dia, até chegar a 20 borrifadas.


Você pode deixá-lo na pele ou lavá-lo depois de 30 minutos da aplicação. Eu costumo aplicar o óleo de magnésio após o banho e, em seguida, uso o óleo de coco como hidratante, cerca de 5 minutos mais tarde. Não pode haver cremes hidratantes na pele, antes da aplicação do óleo de magnésio.


OBS: Caso não tenha a água destilada, utilize a filtrada, mas faça em quantidade menor (1 sachê de cloreto de magnésio P.A. para 1/4 de xícara de água filtrada ou 59 ml) e conserve-o na geladeira (em frasco de vidro escuro).


Para saber sobre a suplementação oral do magnésio, clique aqui.


Para saber sobre as vantagens do uso do magnésio transdérmico X oral, clique aqui.

Possuo um grupo fechado no Facebook, caso queiram participar cliquem em: https://www.facebook.com/groups/1549025805353560/

Fontes:


http://wellnessmama.com/5804/make-your-own-magnesium-oil/


http://www.foodrenegade.com/how-make-magnesium-oil/


http://emporiosaudeevida.com.br/produto/cloreto-de-magnesio-pa-ifal-33g/


http://www.radiantlifecatalog.com/product/ancient-minerals-magnesium-bath-flakes/salts-minerals/?a=58535


http://boaspraticasfarmaceuticas.blogspot.com.br/2014/09/terapia-transdermica-de-magnesio.html


http://amigosdacura.ning.com/profiles/blogs/super-mineral?xg_source=msg_mes_network

https://www.foodgeeks.com/resources/conversion_charts

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Como Evitar e Reverter a Osteoporose?

Osteoporose é a perda gradual da massa e da densidade óssea ou, para simplificar, é a perda de osso!

O ponto máximo do desenvolvimento ósseo da mulher costuma acontecer quando ela se encontra entre os 20 e os 30 anos de idade, mas naquelas que têm uma dieta alimentar pobre ou que não se exercitam fisicamente, a perda de massa óssea pode começar já nos primeiros anos dessa faixa etária. Pode não parecer, mas as células dos ossos, assim como todas as nossas células, são constantemente renovadas. A cada dia, um tecido ósseo novo é formado e algum tecido ósseo velho é retirado de circulação.

Quando se é jovem, esse processo costuma ser rápido e a retirada de osso velho e a entrada de osso novo constituem processos quase simultâneos, caracterizando um equilíbrio dinâmico. Contudo, tanto o tempo quanto a ação de outros fatores faz com que a destruição de osso velho (reabsorção) comece a ser mais rápida do que a formação de tecido ósseo novo. Quando isso acontece, o osso vai ficando fraco e sujeito a quebrar-se até mesmo com pequenos esforços. A perda óssea ocorre mais rapidamente em mulheres do que em homens.

O risco é maior para mulheres pequenas, magras e com ossos finos, e todas, na menopausa, têm a perda óssea aumentada em razão da drástica queda nos níveis hormonais do organismo. Mas a reposição hormonal, para ser efetiva na reversão da osteoporose, precisa ser feita com progesterona bioidêntica, combinada com dieta e exercícios. Isso permite tanto o aumento da massa quanto da densidade ósseas, mesmo que a paciente se encontre em idade avançada. Na prática, os estrógenos podem melhorar a massa óssea por reduzirem a perda, mas a progesterona é mais efetiva porque aumenta, realmente, a formação de tecido ósseo novo.

Até os 20 anos de idade, é fundamental prevenir-se contra a osteoporose. Porém, a partir dos 30 anos, deve-se procurar um médico para estabelecer o padrão ósseo e fazer um bom programa de manutenção dos ossos.
A osteoporose é reversível em qualquer idade, podendo-se recuperar massa óssea suficiente para que a mulher leve uma vida normal, mas o tratamento proposto pelo médico deve ser seguido com dedicação. Nas últimas décadas, novas técnicas têm sido desenvolvidas para determinar com precisão a massa óssea em diferentes partes do esqueleto. O objetivo delas é avaliar a resistência dos ossos, embora se saiba que outros fatores, como as quedas e a força mecânica de traumas, contribuem para a fragilidade esquelética e a maior ocorrência de fraturas.

As técnicas mais utilizadas para detectar a osteoporose são a densitometria e os marcadores ósseos. A densitometria permite diagnosticar o risco de fraturas, identificando os pontos do esqueleto em que existe perda de massa óssea. Já os marcadores são importantes para observar, em um curto período, a velocidade de redução das taxas de remodelação óssea, após começado o tratamento.

A prevenção, em qualquer idade, inclui exercício físico, mas sem excesso para não produzir efeito contrário, e dieta adequada. E essa dieta precisa ser rica em cálcio (brócolis, espinafre e demais legumes de folhas verde-escuro, beterraba, folhagem de nabo, amêndoa, figo e feijão), magnésio (verduras com folhas verde-escuro, castanhas, amêndoas, feijões, banana e damasco), oligoelementos, como zinco e cobre, vitaminas C, D e betacaroteno (provitamina A). E não se deve esquecer de tomar sol (pelo menos quinze minutos por dia), pois o betacaroteno transforma-se em vitamina A sob a ação da luz solar.

Fonte:

http://www.lairribeiro.com.br/osteoporose/