Publicidade

Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Mal de Parkinson. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mal de Parkinson. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Vídeo do Dr. Sircus: Suplementação de Magnésio Oral X Transdérmica

Dr. Mark Sircus , Ac., OMD, DM (P) (acupunturista, médico da medicina oriental e pastoral).

Saiba como preparar e utilizar o magnésio transdérmico neste link

Fonte:

https://www.youtube.com/watch?v=h8Dgcw9e6T0

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Como Se Afastar de Alimentos Processados em 7 Passos

Primeiramente, eu, Sílen, irei inserir três definições para facilitar a compreensão do texto:
  • Alimento in-natura: a expressão in natura é uma locução latina que significa "na natureza, da mesma natureza". É utilizada para descrever os alimentos de origem vegetal ou animal que são consumidos em seu estado natural, como por exemplo as verduras, frutas, legumes e oleaginosas cruas (fonte).
  • Alimento processado: aquele que não pode ser obtido através da natureza, ou seja, é produzido pelo homem através de uma matéria prima conseguida muitas vezes pela natureza. Exemplo de alimentos artificiais: doces, salgados e alimentos industrializados. Estes alimentos tem em sua composição produtos artificiais, como corantes, conservantes, além de terem uma quantidade maior de sal, gordura e açúcar (fonte).
  • O açúcar de cana: é uma planta que pertence ao gênero Saccharum L. que contém 50% de glicose e 50% de frutose (fonte).
Segue a tradução realizada por mim em 15/04/2015 do artigo encontrado no site do Dr. Mercola (publicado em 01/07/2010) e presente em inglês em meu blog neste link.

Real Food Has Curves (Comida de Verdade tem Curvas), um novo livro escrito por Bruce Weinstein e Mark Scarbrough, oferece um plano de 7 passos para se afastar de alimentos processados:
    processed food
  1. Busque a verdadeira satisfação. Desfrute de sabores genuínos, em vez de gordura, açúcar e sal adicionados para mascarar o gosto metálico de aditivos químicos.
  2. Leia os rótulos com sabedoria. Você pode encontrar alimentos com ingredientes "reais" no supermercado, se você ler os rótulos cuidadosamente.
  3. Saboreie o que está no seu prato. Dedique tempo apenas para desfrutar dos prazeres de comer.
  4. Afaste-se do excesso de sal, gordura e açúcar. Você também pode cozinhar com menores quantidades destes ingredientes usando substitutos naturais como temperos.
  5. Dê tempo para o seu paladar mudar. Você gradualmente vai perder o gosto por alimentos excessivamente doces e salgados.
  6. Busque alimentos de alta qualidade. Procure produtos que contêm o mínimo de ingredientes processados.
  7. Trate-se bem e não pule refeições. Tente comer três refeições ao dia, nos mesmos horários, além de um lanche no meio da tarde.
Comentários do Dr. Mercola (para seguir Dr. Mercola no Twitter e para acompanhá-lo no Facebook, clique nos respectivos links)

Se você já viu ou ouviu a minha palestra ao vivo, vai saber que normalmente digo que alguém tem que passar algum tempo na cozinha para preparar refeições de alta qualidade para a sua saúde.


Se você confia em alimentos baratos processados, você simplesmente troca conveniência e economia a curto prazo por problemas de saúde a longo prazo.


Mudar a sua alimentação baseada em alimentos processados para aquela que se concentra em alimentos in natura, pode parecer uma ideia radical, mas é uma necessidade, se você valoriza a sua saúde.


E quando você colocar a história do alimento em perspectiva, na verdade, os alimentos processados que são o "radical" e o "novo". As pessoas têm prosperado com legumes, carnes, ovos, frutas e outros alimentos in natura ao longo dos séculos, enquanto alimentos processados foram apenas inventados 
recentemente.

É fácil se esquecer de que os alimentos embalados, processados e que as redes de fast food de hoje são, na verdade, uma mudança radical em termos da história de produção de alimentos. O negócio de alimentos congelados não existia até meados de 1920, quando a General Seafoods Company (Companhia Geral de Frutos do Mar) abriu uma loja e começou a vender os filetes de peixe "grosseiramente" congelados, e os restaurantes de fast food não estabeleceram suas bases até depois da Segunda Guerra Mundial.


Jantares assistindo TV nem sequer existiam até a década de 1950 ... antes disso, havia refeição cozida ou nem havia refeição alguma.


Os Efeitos Geracionais de uma Alimentação com Alimentos Processados


Atualmente é bem sabido que mudanças na alimentação podem induzir alterações epigenéticas do DNA, as quais podem ser passadas para as gerações futuras. Por exemplo, ratas grávidas alimentadas com uma dieta rica em gordura, tiveram filhas e netas com um maior risco de câncer de mama.


Pode ser que nós apenas estejamos começando a ver esses tipos de efeitos geracionais aparecendo em humanos, devido a adesão alimentos processados por nossos avós e pais.


Se esse for o caso, então temos ainda mais incentivo para fazer mudanças drásticas, e logo, porque as tendências de doenças que estamos vendo agora só irão piorar, a medida que a maior parte dos alimentos industrializados que consumidos hoje nem mesmo se baseiam em alimentos!


Então, quem sabe que tipo de mutações genéticas e anomalias estamos criando para nossas futuras gerações, quando a maioria da nossa alimentação consiste em alimentos altamente processados e artificiais. Tal como está, 90 por cento dos alimentos que os americanos compram todo ano são alimentos processados!


No mínimo, é uma perspectiva assustadora, especialmente quando você considera que os lanches White Castle (Castelo Branco) e Big Macs do passado eram muito mais saudáveis do que as desnaturadas gorduras trans e pratos cheios de açúcar que estão sendo servidos nos dias de hoje.


Com quase 7 em cada 10 americanos estando acima do peso, e 1 em 4 sendo afetados por diabetes ou pré-diabetes, a alimentação americana padrão, está claramente precisando urgentemente de uma reforma radical. Medicamentos não irão corrigir estas estatísticas de saúde desanimadoras. Apenas um sensato retorno a hábitos alimentares saudáveis.


Os Quatro Maiores Criminosos Presentes em Alimentos Processados


Desde a sua introdução, alimentos processados têm realmente tomado conta das refeições dos americanos, porque eles são relativamente baratos, tem um gosto bom, e são um jantar rápido e prático. Você não precisa mais daquela bagunça para limpar ou cortar um legume. Basta colocar suas embalagens de comida preparada no microondas e pronto.


Mas lembre-se que tudo o que você pensa que está economizando agora, seja tempo ou dinheiro, ao utilizar alimentos processados, você irá acabar pagando muito mais quando for mais tarde, quando a sua saúde começar a falhar - e isto é provável, se você anda tendo uma alimentação baseada em alimentos processados ou em fast food por tempo suficiente.


Então, o que, exatamente, torna os alimentos processados tão ruins? Os alimentos processados, muitas vezes têm pouco valor nutritivo e são quimicamente alterados para aumentar o apelo por seu paladar, para que eles possam substituir sinais do seu corpo que, de outra forma lhe diriam que é hora de parar de comer e tentar outra coisa. Eles também são carregados com aditivos que são prejudiciais por si só.


Entre eles:


1. Frutose

Como a maioria de vocês sabe cerca de 35 anos atrás, a tecnologia para produzir este adoçante se tornou comercialmente disponível. Este radicalmente reduziu o preço do açúcar e agora se tornou a principal fonte de calorias nos EUA (Estados Unidos da América).


A maioria dos alimentos processados contém o xarope de milho ou alguma variação do mesmo. Consumir frutose suprime a sensação de saciedade de várias maneiras, que, eventualmente, irá ter consequências graves para o seu peso e saúde em geral.


A frutose diminui a sensação de 'estar cheio', pois não estimula o aumento da leptina, um dos mais poderosos reguladores da fome -  e do armazenamento de gordura no seu organismo. A frutose também reduz a quantidade de leptina que cruza sua barreira sangue-cérebro, elevando os triglicérides.


A resistência a leptina, por sua vez, é talvez um dos fatores mais significativos correlacionados com a doença humana. Por exemplo, ela desempenha um papel principal, se não significativo no desenvolvimento de doença cardíaca, de obesidade, de diabetes, de osteoporose, de doenças autoimunes, distúrbios reprodutivos, e talvez na velocidade do envelhecimento dela própria.


Além disso, enquanto a glicose suprime a grelina (também conhecido como o "hormônio da fome", o que faz você querer comer mais), a frutose, mais uma vez, não.

A frutose também aumenta os níveis de insulina, o que interfere na comunicação entre leptina e seu hipotálamo, então seus sinais de prazer não se extinguem. Seu cérebro continua achando que você está morrendo de fome, e lhe pede para comer mais.


Para o bem da sua saúde, eu recomendo fortemente manter seu consumo de frutose inferior a 25 gramas por dia, mas isso é praticamente impossível, se você comer um monte de alimentos processados.


2. Ingredientes Geneticamente Modificados

Cerca de 75 por cento dos alimentos processados contêm ingredientes geneticamente modificados, que estão sendo cada vez mais ligados a graves problemas de saúde.


Apenas no ano passado a American Academy of Environmental Medicine - Academia Americana de Medicina Ambiental (AAEM) revisou as pesquisas disponíveis e emitiu um memorando recomendando que todos os médicos prescrevessem dietas sem alimentos transgênicos (não-OGM) para todos os pacientes, porque nos estudos de alimentação em animais eles causalmente provocaram:

  • Infertilidade
  • Problemas do sistema imunológico
  • Problemas gastrointestinais
  • Danos em órgãos
  • Regulação disfuncional de colesterol e de insulina
  • Envelhecimento acelerado
  • Um dos primeiros passos para evitar ingredientes transgênicos é cortar os alimentos processados de sua alimentação.

3. Glutamato Monossódico (GMS)

O glutamato monossódico (GMS), um realçador de sabor, é adicionado a milhares de alimentos processados e comidas de restaurante.

O GMS é um dos piores aditivos alimentares no mercado e é usado em sopas enlatadas, biscoitos, carnes, molhos para saladas, refeições congeladas e muito mais. É encontrado em seu supermercado e restaurantes locais, no refeitório da escola do seu filho e, surpreendentemente, mesmo em alimentos para bebês e fórmula infantil.


O GMS é tão popular, porque ele realmente realça o sabor dos alimentos, fazendo com que as carnes processadas e refeições congeladas aparentem ter um sabor mais fresco e cheirem melhor, molhos para salada sejam mais saborosos, e alimentos enlatados tenham sabor menos metálico.


No entanto, ele também é uma excitotoxina, o que significa que superestimula suas células ao ponto de provocar dano ou morte, causando dano cerebral em graus variados - e potencialmente até mesmo causando ou agravando dificuldades de aprendizagem, Mal de Alzheimer, Mal de Parkinson, doença de Lou Gehrig ou 
Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)
e outros.

4. Aditivos Alimentares

Mais de 3.000 aditivos alimentares - conservantes, aromatizantes, corantes e outros ingredientes - são adicionados aos alimentos nos Estados Unidos. Embora cada uma destas substâncias são permitidas por lei para serem usadas, se elas são ou não totalmente seguras para o consumo a longo prazo - sozinhas ou em combinação - é uma história completamente diferente.


Muitos deles, tais como o nitrato de sódio, o BHA, o BHT, o aspartame, os corantes Blue -Azul - 1, 2, e o bromato de potássio, têm sido associados a um maior risco de câncer. Outros são xenoestrógenos que imitam estrogênio e que têm sido associados a uma série de efeitos na saúde humana, incluindo a redução dos espermatozoides nos homens e o aumento do risco de câncer de mama em mulheres.


Estudos também têm demonstrado que uma variedade de corantes alimentares comuns, e o conservante benzoato de sódio - encontrados em muitos refrigerantes, sucos de frutas e molhos para salada - tornaram algumas crianças mais hiperativas e distraídas.


Enquanto isso, corantes alimentares numerados com E (como tartrazina (E102), ponceau 4R (E124), sunset yellow - amarelo pôr do sol (E110), carmoisine - carmosina (E122), quinoline yellow - amarelo de quinoleína (E104) e allura red - vermelho allura AC (E129) provocam tanto dano para os cérebros das crianças quanto o chumbo presente na gasolina, resultando em uma redução significativa no QI (Quoeficiente de Inteligência).


Felizmente, quando você evitar alimentos processados, também vai evitar automaticamente praticamente cada um destes aditivos alimentares tóxicos.


Voltando às suas Raízes dos Alimentos Não Processados


Eu tenho dito isso por muitos anos, e vale a pena repetir muitas e muitas vezes, porque é uma das principais soluções para muitos dos problemas de saúde que afligem os seres humanos modernos - cozinhar seus alimentos a partir do zero, em casa!


Lembre-se, alguém, você, um parente, seu cônjuge, ou alguém que você contratar, tem de passar algum tempo na cozinha.


Este é o "segredo" para ficar mais saudável, perder peso e realmente desfrutar da sua comida.


Bruce Weinstein e Mark Scarbrough têm abordado esta questão de frente em seu livro Real Food Has Curves (Comida de Verdade tem Curvas), que é um ótimo ponto de partida para "reaprender" as noções básicas de como aproveitar e preparar comida de verdade saudável.


Muitas pessoas têm a impressão equivocada de que cozinhar a partir do zero seja um caso extremamente complicado que leva muito tempo e custa mais do que elas poderiam pagar. Muito frequentemente não, isso simplesmente não é verdade.


Em um artigo anterior, Colleen Huber oferece uma lista de orientações úteis sobre como preparar comida in natura a partir do zero, mesmo trabalhando fora, e o chef britânico Jamie Oliver oferece uma variedade de receitas grátis no site dele, além de dicas sobre os alimentos que estão em temporada. Você pode até mesmo se inscrever no feed RSS dele para que você não perca nenhuma de suas receitas recém-adicionadas.


Uma vez que você pegar o jeito, você vai achar que pode preparar uma refeição saudável, a partir do zero, na mesma quantidade de tempo que levaria para ir à rua para comprar seu fast food. É claro, você ficará muito mais satisfeito quando comer a sua refeição caseira, tanto física como mentalmente, do que se você comesse um "combo #5".


Finalmente, aprenda a distinguir comida "de verdade" dos produtos alimentícios carregados de produtos químicos, e de misturas de sabor artificial que predominam na maioria das prateleiras dos supermercados. Se você for fazer compras em um supermercado ou em uma feira, aqui estão os sinais de alimentos saudáveis de alta qualidade:

  • É cultivado sem pesticidas e fertilizantes químicos (alimentos orgânicos se encaixam nessa descrição, mas assim como alguns alimentos não-orgânicos)
  • Não é geneticamente modificado
  • Ele não contém adição de hormônios de crescimento, antibióticos ou outros medicamentos (drogas)
  • Ele não contém nada artificial, nem quaisquer conservantes
  • É fresco (se você tiver que escolher entre produtos orgânicos murchos ou produtos frescos locais convencionais, o último é a melhor opção)
  • Ele não veio de um sistema de criação confinado
  • É criado segundo as leis da natureza (significa que os animais são alimentados com suas dietas nativas, não uma mistura de grãos e subprodutos de origem animal, e com acesso ao ar livre)
  • É cultivado de forma sustentável (utilizando quantidades mínimas de água, protegendo o solo de queimadas, e transformando resíduos animais em fertilizantes naturais em vez de poluentes ambientais).
Se você preparar suas refeições usando principalmente alimentos que atendam a esses oito critérios, estará fazendo grandes avanços (e além disso, deliciosos!) para a saúde da sua família.

Fonte:


http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/07/01/wean-yourself-off-processed-foods-in-7-steps.aspx


quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Vídeo: Açafrão ou Cúrcuma para Prevenção de Câncer, Alzheimer e Parkinson




Nomeado como rei das ervas pelos pesquisadores e subestimado pela maioria, o poderoso açafrão-da-terra é também conhecido como cúrcuma, açafroeira, açafrão-da-Índia, batatinha amarela, gengibre dourada, mangarataia.

Fonte:

Liberdade Natural