Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Horta Orgânica. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Horta Orgânica. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 7 de julho de 2015

11 Fertilizantes e Pesticidas Orgânicos Feitos em Casa

 
Para quem tem desejo de cultivar, não importa se em uma varanda, um jardim ou em uma horta, o importante é fazê-lo! Mas muitas vezes plantar não é fácil e para complicar o trabalho, já duro e cansativo, chegam uma infinidade de insetos e parasitas que, se não forem controlados, podem estragar nossas plantas e frustrar nossos esforços.
Abaixo sugerimos algumas "receitas" para fazer fertilizantes e repelentes 100% orgânicos, que vão ajudar você a manter afastados insetos indesejáveis, respeitando plenamente a natureza e sua saúde.

1) O Estrume

Existe maneira melhor para enriquecer o solo do seu jardim ou quintal que o bom e velho esterco? Você pode comprá-lo em lugares especializados ou, melhor ainda, produzi-lo (para evitar resíduos de medicamentos e de cereais transgênicos), se você tiver animais como galinhas, cabras e coelhos (alimentados sem rações e cereais transgênicos). As fezes deste último são aquelas com a maior taxa de nitrogênio e podem ser usadas espalhando-as diretamente à terra. Aquelas dos outros animais, em geral, devem ser bem curtidas antes (composteiras).

2) Inseticida Spray de Alho e Cravo

O alho é um poderoso repelente natural, capaz de desencorajar muitos insetos e espantá-los para outros lugares. Para preparar o nosso inseticida, batemos no liquidificador uma cabeça de alho com alguns cravos da índia, juntamente com dois copos de água até obter um composto bem homogêneo. Deixe-o descansar por um dia para depois ser misturado em 3 litros d’água. A mistura assim obtida pode ser vaporizada com um spray, diretamente sobre as folhas das plantas.

3) Chá de Urtiga

Quantas vezes você, sem querer, acabou tocando uma folha de urtiga e ficou sentindo aquela coceira irritante? Bem, a urtiga pode não ser tão irritante assim quando se torna uma grande aliada para seus cultivos. Calce um par de luvas grossas e colha um pouco de urtiga. Coloque-as de molho em um balde cobrindo-as com água e deixe-as descansar por pelo menos uma semana e estará pronto o seu novo fertilizante líquido 100% orgânico.

4) Inseticida Spray de Tomate

As folhas de tomate são ricas em alcaloides, excelentes repelentes para pulgões, vermes e lagartas. Encha dois copos com folhas de tomate picadas e adicione água. Deixe descansar por pelo menos uma noite e dilua a mistura em outros dois copos d’água. Pronto! pode pulverizar seu spray de tomate sobre as plantas. Mantenha o repelente longe dos animais domésticos pois, pode ser tóxico à eles.

5) Cascas de Ovos

As cascas de ovos são um ingrediente interessante para o nosso jardim. Elas possuem um duplo benefício, podem ser usadas seja como fertilizantes seja como repelentes, em pedaços ou trituradas. Se trituradas, polvilhe o pó sobre a base das suas plantas, ou use pedaços, criando uma espécie de anel na base da planta: esta barreira pode afastar os caracóis e algumas lagartas.

6) Tabaco Macerado


  • 40 gramas de fumo de corda ou de rolo. Encontrado em agropecuárias.
  • 100 gramas de sabão de coco ou de sabão neutro
  • 2 litros de água
Como preparar: Corte o fumo em pedacinhos, o sabão em quadradinhos, misture tudo com a água e deixe descansar por no mínimo 24 horas.
Passe o líquido em um coador para retirar os restos do fumo e impurezas. Use o líquido para pulvelizar as plantas.

7) Inseticida Spray de Pimenta

A pimenta é um excelente repelente natural contra pragas. Para preparar o spray, bata no liquidificador em alta velocidade por 2 minutos, cerca de 6 a 10 pimentas (qualquer tipo) com dois copos d’água. Deixe a mistura descansar durante a noite. No dia seguinte, filtre-a e adicione um copo d’água. Despeje o líquido no pulverizador e pronto!

8) Adubação com Ervas

Seu gramado não está tão verde como você gostaria? Não se preocupe, basta apenas um simples cuidado: quando você cortar a grama não a recolha, deixe-a no chão! Será uma valiosa fonte de nitrogênio. A grama recém cortada, por ser muito curta, decompõe-se rapidamente, enriquecendo o solo de nutrientes e fazendo o seu gramado ficar mais verde do que nunca!

9) Adubação com a Borra do Café

Se você ama e bebe muito café, não jogue fora sua borra que é uma excelente fonte de nitrogênio para o solo, além de ser rica em antioxidantes. Adicione a borra à sua compostagem ou polvilhe-a diretamente sobre o solo.

10) Nematóides Amigos

Eu sei, pode parecer estranho existirem vermes amigos de seu jardim, mas è verdade! Muitas vezes, para controlar a população de pragas são necessárias outras pragas, ou melhor, outros insetos antagonistas. Este tipo de Nematóide bom é capaz de matar muitas de suas pragas do seu jardim, incluindo besouros, gorgulhos e muitos outros. Você pode comprá-los em lojas especializadas.

11) Façamos Compostagens!

A compostagem é definitivamente um dos métodos mais simples e eficazes para enriquecer o solo e fazer o seu jardim florescente e produtivo. O que você precisa é de restos de comida e de todas as substâncias ricas em nitrogênio, como grama, folhas ou palha. Você pode fazer a compostagem  mesmo vivendo na cidade.
Como vimos, podemos fazer muito para preservar nossas lavouras sem o uso de produtos químicos e poluentes. Mais uma vez é a natureza que nos dá soluções para os problemas.
Aprenda como fazer compostagem aqui

Fontes:


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Qual a Finalidade e Como Fazer Compostagem para sua Horta e Pomar Orgânicos?



Você sabia que quase 60% do que nós jogamos fora é matéria orgânica? E que diariamente cada indivíduo produz quase 800 gramas de matéria orgânica. É muita coisa, não?! E para onde tudo isso é levado?
Bem, na melhor das hipóteses, para o aterro sanitário, mas na maior parte dos municípios brasileiros, vai para o lixão.
Nos aterros sanitários, há o tratamento dos gases e do chorume, mas como a quantidade de matéria orgânica é muita e como ela está misturada com outros componentes não biodegradáveis (plásticos, metais, pilhas, vidros, etc), os microrganismos que são responsáveis pela decomposição não conseguem agir. Não há as condições ambientais necessárias para que eles sobrevivam no aterro sanitário. Assim, um papel - que é biodegradável - não se decompõe, nem a casca do ovo, a semente da melancia, os talos do agrião... Aí há dois aspectos negativos: não há a transformação e liberação dos nutrientes da matéria orgânica para o solo e também o aterro sanitário vai ficando saturado, como é o que está acontecendo em São Paulo.

Para minimizar esse quadro, devemos desperdiçar menos:
1. tomar cuidado na compra das frutas, verduras, legumes, colocando o que pesa mais embaixo do que pesa menos;
2. reaproveitar talos, sementes, cascas (de alimentos orgânicos) para fazer sucos, suflês, patês, etc.;
3. colocar no prato somente o necessário para se alimentar;
4. não comprar se não for consumir em tempo hábil: frutas, verduras, legumes, queijos, entre outros, têm prazo de validade pequeno;
5. compostar: mesmo em apartamentos, existem formas de fazer a compostagem.
A compostagem nos traz diversos benefícios: " Contribuímos com o trabalho natural da Terra, uma vez que a decomposição de matéria orgânica é essencial para a vida do planeta e sua ecologia.

Em que Consiste a Compostagem?

A COMPOSTAGEM é a transformação da matéria biodegradável em composto, ou seja, a decomposição de matéria orgânica contida em restos de origem vegetal e animal. Essa decomposição é feita por micróbios e esse processo tem como resultado um produto que pode ser aplicado no solo para melhorar suas características produtivas, sem causar riscos ao meio ambiente. É um processo natural em que a intervenção humana serve apenas para acelerar, controlar e monitorar todo o processo.
O lixo que serve para compostagem é aquele produzido nos domicílios, principalmente restos de alimentos, podendo ainda ser constituído por folhagens, podas de árvores, grama que foi cortada, etc.



Qual a Finalidade da Compostagem?


A transformação dos Resíduos Verdes num composto orgânico, possibilita não só, a diminuição dos resíduos a depositar em aterro, como também o aproveitamento racional dos recursos naturais. O composto resultante da transformação natural da matéria biodegradável dos resíduos verdes é excelente para utilização na agricultura, jardinagem e espaços verdes, tanto como fertilizante como condicionador de solos. 



Quais as Vantagens da Compostagem?


O composto melhora a estrutura do solo, e atua como adubo;
- O composto tem fungicidas naturais e organismos benéficos que ajudam a eliminar      organismos causadores de doença, no solo e nas plantas; 

Torna seus vegetais e frutos mais ricos em vitaminas e minerais e, além disso, mais saborosos;
- Sustentabilidade do uso e melhoramento da fertilidade do solo;
- Retenção de água nos solos;
- Redução no uso de herbicidas e pesticidas;
- Redução da contaminação e poluição atmosférica;

- Redução da quantidade de lixo depositado em lixões e aterros sanitários (lembre-se que 60% do nosso "lixo" é matéria orgânica) e assim, o espaço ocupado pelos mesmos.
- Atrai animais importantes para a ecologia das plantas (minhocas, tatus-bolas, etc.).

Como Fazer Compostagem?

I. Pilhas Abertas (Leiras): em casas, sítios, escolas, condomínios
O melhor jeito para se compostar é construindo pilhas abertas de resíduos chamadas leiras. Mas para isso você precisa de espaço.
- Numa primeira fase, na transformação dos resíduos em pequenos pedaços.
Na primeira camada, no fundo do compostor (até 20 cm aproximadamente), põe-se o material matéria orgânica não muito molhada, tal como: folhas, galhos, pequenos troncos ou braçadas  de árvores, serragem e aparas de lápis apontado de forma a permitir o arejamento dos resíduos. 

- Na segunda camada (até 20 cm), põe-se o material orgânico mais molhado, alternando produtos verdes com produtos castanhos: restos de comida (cascas de verduras e legumes, frutas podres, sobras de comida deixadas no prato). Pode-se juntar esterco (de boi, cavalo, galinha - menos de cachorro e gato, porque pode conter microrganismos vetores de doenças). A leira não pode ultrapassar 1,5 m de altura e 2,0 m de largura, senão não há aeração dentro dela. Quando o material começa a ser decomposto, há liberação de calor. E esse calor é fundamental para a ação dos microrganismos. Se a leira for muito pequena, não se produz calor suficientemente; se for muito grande (acima de 1,5 m), não há entrada de ar. O ideal é que essa leira seja revirada com volteador (pode ser substituído por uma barra de ferro, por exemplo o cabo de uma vassoura ou esfregona ou um forcado). Com intervalos regulares, as pilhas do material são revolvidas, de modo a garantir uma decomposição uniforme de toda a matéria através da oxigenação das pilhas, acelerando o processo de compostagem. Esta etapa não é necessária no link do primeiro vídeo abaixo. No primeiro mês de compostagem, indica-se fazer pelo menos três revolvimentos (aos 5, 15 e 30 dias). Esse é o procedimento básico.
- Simultaneamente é efetuada a rega com água (de preferência com regador) de forma a controlar o teor de umidade do material a compostar. O referido material não pode estar totalmente seco, mas também não pode estar “encharcado”, caso contrário forma uma massa compacta que não permite a entrada de ar (arejamento), dificultando assim a decomposição natural. Esta etapa também não é necessária no link do primeiro vídeo abaixo.
- Quando o material atinge a sua fase de estabilização (passados cerca de 2 a 4 meses, depende da temperatura local, quanto mais calor mais rápido é o processo), observa-se a formação de uma substância semelhante a “terra” que é o produto da compostagem, designado composto.
- Ao nível industrial é colocado num crivo rotativo que o separa em 2 tipos de produtos. O composto propriamente dito, de dimensão mais reduzida, e outro produto mais grosseiro, designado por mulching. 
-Uma parte crítica de uma compostagem bem sucedida é alcançar o equilíbrio certo de matéria orgânica. Você vai precisar de uma certa proporção de material verde (contém quantidades maiores de nitrogênio) e de material marrom (contém quantidades maiores de carbono) para ativar o processo. Materiais ricos em nitrogênio, também conhecidos como materiais úmidos o verdes, incluiriam seus restos de alimentos, aparas de grama, etc. Materiais ricos em carbono (também chamados de materiais secos) tendem a ser secos e castanhos, como papelão, jornal, folhas caídas, serragem, feno, etc., e servem como "fibra" em sua pilha de decomposição. Evite matéria orgânica de origem animal, gorduras e óleos, grãos e fibras sintéticas.
A proporção de matéria verde e marrom, de carbono e nitrogênio (C: N), deve ser de cerca de 25-30: 1. A ideia é misturar materiais verdes e marrons, acrescentando-os nesta relação ideal, ou algo próximo. Papelão, jornal e madeira são as fontes de carbono mais concentrados. Como regra geral, você vai precisar de duas a três vezes a mais de matéria marrom do que verde.
Se C: N for muito alta (excesso de carbono), você saberá, porque a decomposição será mais lenta. Se C: N for muito baixa (excesso de nitrogênio), você terá uma compostagem com mau-cheiro.
Os produtos verdes são: restos de matéria orgânica da cozinha ou cantina, aparas de relva (grama e outros), folhas e flores frescas … e produtos castanhos, palha, feno, carumas, folhas de flores ou árvores secas.

Dica: 

Quanto menor o material, mais fácil ele será compostado.

Até Quando Você pode Colocar Matéria Orgânica para Compostar? 

Até juntar essa medida acima indicada. Depois de atingir esse tamanho, pode-se começar a fazer outra leira. Pela decomposição do material, a leira terá o seu volume diminuído. Quando a compostagem é feita de forma adequada, não produz mau cheiro nem atrai moscas, baratas. Então, odor desagradável e presença de moscas indicam que algo não vai bem. Esse "algo não vai bem" pode ser: " muito resíduo " temperatura muito alta ou muito baixa " muito úmido ou muito seco " muito ácido ou muito básico " leira muito alta ou muito larga.

Outras Dicas:
  • Indica-se não deixar a leira completamente exposta ao sol nem a chuva, para não ficar ressecada nem encharcada.
  • O lugar escolhido para a leira, deve possuir o solo com boa drenagem e ser plano, para não acumular água. Pode-se até colocar alguns cascalhos antes da primeira camada.
  • Não indica-se montar a leira em local cimentado. É importante fazê-la no solo, pois depois de um tempo de compostagem, animais importantes para a qualidade do composto poderão visitar a leira, como minhocas, tatus-bolas, entre outros.
  • O esterco de galinha é mais concentrado que o dos outros animais, coloque-o em menos quantidade;
  • Os materiais a serem compostados devem ser bem espalhados para a leira ficar mais ou menos uniforme.
  • Se você notar que a leira está ficando ressecada, coloque mais material molhado ou regue com água; se estiver muito molhada, adicione mais material seco.
  • O composto depois de pronto não deverá ficar exposto à ação do tempo. Seguindo esses passos e respeitando os cuidados, o composto estará pronto para uso no prazo de 60 a 120 dias. Resultado: O composto tem aspecto agradável, cheiro de terra e é um pouco úmido.

II. Uso de Composteiras: em apartamentos, quintais cimentados ou locais sem espaço para leiras
Esse método segue praticamente as mesmas etapas, dicas e cuidados do que foi descrito acima para as leiras.
A composteira deve ter 1 m³, ou seja, 1 m de comprimento X 1 m de largura X 1 m de altura. Indica-se fazer a composteira com madeira ou aramado, para não dificultar a entrada de ar.
Pode-se também usar baldes ou tambores de plástico ou outros materiais, mas a atenção deve ser redobrada. Pode-se construir duas ou três composteiras, para facilitar o revolvimento das leiras, e consequentemente, a aeração. Neste caso, passa-se a leira de uma composteira para outra.
Note que o volume da leira será reduzido em até um terço do volume original. 






Onde Utilizar? 
Misture com o solo das plantas ornamentais, medicinais, dos temperos e do gênero alimentício em geral como horta e pomares.

Materiais que Podem Ser Colocados no Compostor:

Legumes, frutas (colocar frutas cítricas em pequena quantidade), cascas (usar cascas de frutas cítricas em pequena quantidade), cascas de ovos, pão, massa, sacos de chá, verduras podres, grama, podas de jardim, galhos, esterco, serragem, pó de café, folhas, caules, flores, ramos, palha, feno, aparas de madeira, papel toalha ou guardanapos umedecidos, papelão (o interior castanho de rolos de papel higiênico e de papel toalha picados em pequenos pedaços), palha, madeira não tratada e cinzas de lenha. 



Materiais que não Devem Ser Colocados no Compostor:

Evitar: Gorduras, laticínios, carne, peixe e marisco e cinzas em grande quantidade. Não colocar: Pilhas, vidro, metal, plástico, medicamentos, produtos químicos, têxteis e tintas, excrementos de animais domésticos, papel higiênico usado e plantas doentes.

Clique aqui (compostagem doméstica) e também aqui (compostagem em maior escala) para assistir a vídeos explicativos de como fazer uma compostagem. Porém, aconselho a visualização de ambos, pois possuem dicas importantes.


Para visualizar slides de como fazer compostagem, clique aqui.


Segue um manual de horta orgânica doméstica e um de horta vertical.

Referências:


http://www.klickeducacao.com.br/bcoresp/bcoresp_mostra/0,6674,POR-673-7803,00.html


https://www.facebook.com/video.php?v=560059240766688


http://www.slideshare.net/Faria/compostagem-17-11-2008


https://www.facebook.com/video.php?v=607739419332003&fref=nf 


http://estaoteenvenenando.blogspot.com.br/2014/10/lixo-porque-me-preocupar.html