Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Fadiga Adrenal. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Fadiga Adrenal. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Exaustão Adrenal ou Fadiga Adrenal

Resultado de imagem para fadiga adrenal

20/10/2017. 

FADIGA ADRENAL: UM PROBLEMA MUITO FREQUENTE NO MUNDO MODERNO MAS POUCO DIAGNOSTICADO



"Sinto um cansaço insuportável...", "não tenho ânimo para nada!", "perdi a garra de executar trabalhos rotineiros!". Essas são as queixas mais frequentes que se escuta em qualquer lugar e a todo momento, caracterizando a possibilidade de Fadiga Adrenal.
Mas, afinal o que significa fadiga? E por que provoca tantos sintomas e consequentemente tantas queixas?

 

A glândula Suprarrenal é quem comanda a ação e o movimento do nosso organismo secretando vários hormônios esteroides. O mais importante é o cortisol.
A falência desta glândula provoca sintoma de fadiga e outros relacionados intimamente à repetição do estresse, que acaba se transformando em um estado crônico.

O estado de estresse crônico em sua fase mais avançada ocorre devido a falência parcial da glândula suprarrenal, o que provoca a diminuição gradativa do cortisol.

A secreção das glândulas hormonais de maneira geral obedece ao mecanismo de retroalimentação negativa, sistema de "feed back", é através deste sistema que o nível hormonal se equilibra no organismo biológico. O mecanismo desta homeostase hormonal pode danificar com estado de estresse crônico.
 

Homens e mulheres que abusam do seu organismo no auge da vitalidade, não poupam sua energia vital ou também não limitam seu estresse diário, independente do grupo etário, da classe social e étnica a qual pertençam, podem manifestar a Fadiga Adrenal.
 

Este tipo de fadiga, que ocorre devido à queda de cortisol, provoca um grande impacto na qualidade de vida da pessoa, e o aumento da velocidade do seu envelhecimento humano.
Ocasiona, igualmente, uma quebra no equilíbrio da homeostase da fisiologia do organismo o que acaba afetando uma multiplicidade de órgãos e sistemas, e pode provocar até a morte.

 

A fadiga adrenal afeta de forma pandêmica a atual civilização, em razão de vários fatores que agregam aos estressores tais como poluentes químicos, radiações, toxinas de fungos, bactérias, parasitas e vírus e outras ameaças. Tudo isso, dificulta a atividade humana, impedindo, inclusive, que as pessoas continuem produtivas sob o ponto de vista social e econômico.

A deficiência de cortisol manifesta-se comprometendo as relações humanas, afetando comportamento psíquico, dificultando administração de sua própria vida diária.

A pessoa, antes harmônica, torna-se cada dia mais distraída, confusa, presa a situação crônica de estresse. A cada dia que se passa, manifesta maior irritabilidade, e uma visão negativa da vida; sente-se vitima até mesmo com reações paranoides, torna se acusadora, briguenta, ataca os demais com palavras duras, com uma retórica afiada, como se estiver "os nervos à flor da pele".


Sinais e sintomas de fadiga adrenal:

  • Fadiga e fraqueza, especialmente de manhã e à tarde
  • Um sistema imunológico suprimido
  • Aumento das alergias
  • Perda muscular e óssea e fraqueza muscular
  • Depressão
  • Desejo por alimentos ricos em sal, açúcar ou gordura
  • Desequilíbrio hormonal
  • Problemas de pele
  • Doenças autoimunes
  • Sintomas aumentados de TPM ou menopausa
  • Baixa libido
  • Tonturas ao se levantar quando se estava antes sentado ou deitado
  • Diminuição da capacidade de lidar com o estresse
  • Problemas ao acordar de manhã, apesar de uma noite de sono completa
  • Pouca memória
Além disso, as pessoas com fadiga adrenal muitas vezes recebem uma explosão de energia em torno das 18 horas, seguida de sonolência às 21 ou 22 horas, à qual muitas vezes se resiste. Um "segundo fôlego" às 23 horas é então algo comum, o que muitas vezes pode impedi-lo de adormecer até a 1 da manhã.

Além disso, aqueles com fadiga adrenal muitas vezes também têm níveis anormais de açúcar no sangue e distúrbios mentais, como o aumento dos medos e ansiedade, e dependem de café, refrigerante e outras formas de cafeína para mantê-los de pé.

Como os nomes sugerem, o sintoma mais comum da fadiga adrenal é uma fadiga implacável, uma sensação de ter sido atropelado ou não ser capaz de acompanhar suas demandas diárias. E como a fadiga é um sintoma tão comum, a síndrome é muitas vezes negligenciada ou diagnosticada erroneamente por médicos.

Que Exame Fazer para o Diagnóstico da Fadiga Adrenal?


Adicional ao problema de diagnostico errôneo é o fato de que os doutores tipicamente usam um teste de ACTH (hormônio adrenocorticotrópico) para verificar se há problemas com suas glândulas suprarrenais. No entanto, o teste só reconhece a subprodução ou superprodução extrema dos níveis hormonais, como mostrado pela parte superior e inferior em 2 por cento de uma curva sinusoidal.
Entretanto, os sintomas da disfunção adrenal só ocorrem após 15% da média em ambos os lados da curva. Assim, suas glândulas suprarrenais podem estar funcionando 20 por cento abaixo da média, e seu corpo experimentando sintomas de fadiga adrenal, e o exame padrão não vai reconhecê-lo.
O exame que irá reconhecer a fadiga adrenal, em todas as suas fases, é um teste de cortisol salivar. Este é um teste barato que você pode comprar on-line e fazer em casa, e nenhuma prescrição é necessária. No entanto, se você suspeitar que tem fadiga adrenal, um profissional de saúde natural experiente pode ajudá-lo com o diagnóstico e tratamento.

 

Como Se Recuperar da Fadiga Adrenal?

 

Leva tempo para esgotar suas glândulas suprarrenais, e como você pode já ter suspeitado, também leva algum tempo para se recuperar. Você pode esperar:

  • Seis a nove meses de tempo de recuperação para a fadiga adrenal menor
  • De 12 a 18 meses para fadiga adrenal moderada
  • Até 24 meses para fadiga adrenal grave
A boa notícia é que os tratamentos naturais são muito eficazes para esta síndrome, e com tempo, paciência, e as seguintes dicas é possível se recuperar.

  • Provavelmente a área mais importante é ter poderosas ferramentas e estratégias para abordar os traumas emocionais atuais e passados em sua vida. Oração, meditação e meridian tapping techniques (técnicas de toque dos meridianos) podem ser muito úteis aqui. Se você fosse se concentrar apenas em uma área, seria melhor se concentrar nesta área, já que ela é realmente a chave central para restaurar a sua saúde adrenal.
  • Ouça o seu corpo e descanse quando se sentir cansado (isto inclui durante o dia, tirando sonecas curtas ou apenas se deitando)
  • Dormir (até as 9 da manhã se você sentir vontade)
  • Se exercite regularmente usando um programa abrangente de treinamentos de força, aeróbica, treino core e treino intervalado
  • Tenha uma dieta saudável rica em nutrientes como a descrita no plano nutricional do dr. Mercola, de acordo com seu Tipo Nutricional
  • Evite estimulantes como café e refrigerante, pois estes podem esgotar ainda mais as suas glândulas suprarrenais  
Além disso, para manter uma boa função adrenal é obrigatório controlar seus níveis de açúcar no sangue. Se você está comendo os alimentos certos para suas demandas nutricionais, seus níveis de açúcar no sangue devem ficar bem balanceados, e as seguintes orientações ajudarão também:

  • Coma uma pequena refeição ou lanche a cada três a quatro horas
  • Coma dentro da primeira hora após despertar
  • Coma um pequeno lanche perto da hora de dormir
  • Coma antes de ficar com fome. Se estiver com fome, você já se permitiu ficar sem combustível (baixo nível de açúcar no sangue), o que coloca estresse adicional em suas glândulas suprarrenais

 

Você também pode procurar um médico da medicina funcional ou antienvelhecimento (anti-aging) que seja especialista em reposição hormonal bioidêntica e fazer exames para ver se poderia se beneficiar do uso de DHEA. O DHEA é um esteroide natural e um hormônio precursor produzido pelas suprarrenais, e os níveis são muitas vezes muito baixos em pessoas com fadiga adrenal.
Tenha em mente, é claro, que o uso de DHEA não propicia cura rápida, e ele não deve ser usado como único tratamento. Sua administração deve ser feita em gel em mucosas e sempre com acompanhamento médico.
Tratar da fadiga adrenal exige uma abordagem que atinja todo o corpo, que aborde o excesso de estresse e um estilo de vida e hábitos insalubres que foi o que desgastou suas suprarrenais em primeiro lugar.

Tradução do trecho do artigo [2] do mestre e PhD e editor do Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular, Andrew W. Saul.


"A saturação de vitamina C é específica para essa condição. Os olhos, fluido espinhal e as glândulas suprarrenais são, ou deveriam ser, os locais de maior armazenamento de vitamina C no seu corpo. Sem bastante ácido ascórbico (vitamina C), levantar e ter energia, não é possível. Megadose de vitamina C pode valer a pena como uma terapêutica adjuvante para aqueles com doença de Addison".
 

A dose de saturação da vitamina C pode ser atingida, tomando a vitamina C a cada hora, até que se tenha gases e/ou que a barriga ronque, ou ainda, que suas fezes fiquem amolecidas ou soltas. O objetivo é atingir o ponto imediatamente anterior ao da "tolerância intestinal" ou intestino solto.  Uma vez que esse ponto foi alcançado, diminuímos a dose para que não provoque estes efeitos. 

Por exemplo, quando a filha de Ellen Saul Case (filha do Andrew Saul) tinha quatro anos, após uma vacinação, ela começou a dar à mesma uma dose relativamente alta na parte da manhã, 2.000 mg (de vitamina C) ou mais, em seguida, deu-lhe 1000-2000 mg (de vitamina C) a cada duas horas ao longo do dia. Esperou até que a barriga dela roncasse ou que suas fezes ficassem amolecidas ou soltas. Uma vez que esse ponto foi alcançado, ela reduziu a dose. Continuou a dar a vitamina C, mas deu menos [3]. 


Leia também: Como Fazer a Suplementação da Vitamina C para Doenças e Habitualmente

Dr. Levy está convencido da segurança da vitamina C. Ele diz: "Exceto em indivíduos com, insuficiência renal significativa estabelecida, a vitamina C é indiscutivelmente o mais seguro de todos os nutrientes que podem ser dados." [4] E ela funciona. Há mais de quarenta anos atrás, dr. Robert F. Cathcart, descobriu que a tolerância intestinal da vitamina C curava doenças mais rapidamente. [5] Nenhum dos filhos de Ellen precisou tomar um antibiótico sequer ainda. Ela usa a vitamina C no lugar dele. 

(Helen Saul Case é a autora da Cura pelas Vitaminas para os Problemas de Saúde das Mulheres (The Vitamin Cure for Women's Health Problems) e é a coautora do livro Sucos de Vegetais para Todos - Vegetable Juicing for Everyone. Partes deste artigo foram extraídas de seu novo livro Vitaminas & Gravidez: A Verdadeira História: Seu Guia Ortomolecular para Bebês Saudáveis e Mães Felizes - Vitamins & Pregnancy: The Real Story: Your Orthomolecular Guide for Healthy Babies and Happy Moms, com a permissão da Basic Health Publications, Inc.).


Referências: 

1.http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2017/10/15/fadiga-diagnostico-erroneo.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=10152017_fadiga-diagnostico-erroneo


2.http://www.ortomoleculardrhigashi.med.br/not%C3%ADcias/55/fadiga-adrenal-um-problema-muito-frequente-no-mundo-moderno-mas-pouco-diagnosticado
 

3.http://www.doctoryourself.com/news/v2n21.html
 

4.http://orthomolecular.org/resources/omns/v11n09.shtml
 

5. Ibid.

5. Cathcart, R. F. Vitamin C, titration to bowel tolerance, anascorbemia, and acute induced scurvy. Medical Hypotheses, 1981 7:1359-1376. http://www.doctoryourself.com/titration.html (accessed Oct 2015).