Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Doenças. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Doenças. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

76 Motivos para Evitar o Açúcar

Açúcar

28 de setembro de 2016.


Por Dr. Mercola

O açúcar, em quantidades moderadas, é essencial ao corpo. Como carboidrato, ele fornece a você a energia necessária para as atividades diárias. Todas as suas células usam essa energia. Porém o açúcar também é uma caloria, e uma vez consumido em excesso, você verá os efeitos negativos à sua saúde.

O forte vício em açúcar pode causar obesidade, diabetesdanos ou insuficiência cardíaca, produção de células cancerígenas, esgotamento da capacidade mental e expectativa de vida mais curta.

A moderação é importante neste caso. Entretanto, evitar alimentos ricos em açúcar é definitivamente mais fácil de dizer do que fazer hoje em dia, devido à variedade de opções nas lojas. Entre alguns dos suspeitos comuns estão as bebidas energéticas, refrigerantes, barras de chocolate, adoçantes artificiais e muito mais. Todos têm acesso a eles.

O que está por trás do vício em açúcar

É óbvio que o vício em açúcar começa quando você deseja algo que contém esse ingrediente doce. Comer açúcar aciona a produção de opioides naturais no seu cérebro. 

Esses hormônios ajudam a aliviar a dor e são acionados da mesma forma que alguém que consome drogas ilegais.

Segundo os pesquisadores, a língua tem dois receptores doces, que evoluíram nos primórdios, quando nossos ancestrais tinham uma alimentação pobre em açúcar. Com o passar do tempo, a língua das pessoas ainda não foi capaz de se adaptar aos doces.

É por isso que, quando os receptores da língua são altamente estimulados, seu cérebro acaba enviando sinais de recompensa em excesso toda vez que você come algo com açúcar, o que acaba anulando os mecanismos de autocontrole. Isso leva ao vício.
 

O Dr. Robert Lustig, professor de pediatria na Universidade da Califórnia, em São Francisco, publicou no The Atlantic:
"O centro de prazer do cérebro, chamado de núcleo accumbens, é essencial para nossa sobrevivência como espécie...Quando você consome alguma substância viciante, inclusive o açúcar, o núcleo accumbens recebe um sinal de dopamina, que faz com que você sinta prazer. Então você quer consumir mais. O problema é que, com a exposição prolongada, o sinal é atenuado, ficando mais fraco.
Então você precisa consumir mais para obter o mesmo efeito – o que é chamado de tolerância. E se você reduz o consumo da substância, entra em abstinência. A tolerância e a abstinência são os componentes do vício".
Outro fator importante no possível vício em açúcar é o hormônio leptina. Ele é responsável por dizer ao cérebro como a energia armazenada a partir da gordura deve ser usada. Além disso, ele tem como alvo os receptores gustativos da língua, que podem aumentar ou diminuir seus desejos alimentares.
Quando você tem falta de leptina ou existe um problema com os receptores de leptina do corpo, são maiores as chances de você ter desejos alimentares, e geralmente o açúcar é a primeira escolha quando se trata de combater esse desejo.

76 ameaças do açúcar à sua saúde

Açúcar demais pode ter efeitos prejudiciais na sua saúde. Eu contei pelo menos 76 ameaças graves (sim, você leu certo!) do açúcar à sua saúde. Esses perigos estão divididos em quatro categorias: Maior risco de doenças, desequilíbrio ou deficiência de nutrientes, deficiências corporais e mudanças comportamentais.

Desequilíbrio ou deficiência de nutrientes
  1. Atrapalha as relações minerais do seu corpo
  2. Deficiência de cromo
  3. Interfere na absorção de cálcio, magnésio e proteína
  4. Aumenta os níveis de colesterol total, triglicerídeos e colesterol ruim
  5. Reduz os níveis de colesterol bom
  6. Diminui os níveis de vitamina E
  7. O corpo transforma o açúcar em duas a cinco vezes mais gordura na corrente sanguínea em comparação ao amido
Mudanças comportamentais
  1. Vício ou intoxicação, semelhante ao álcool
  2. Rápido aumento de adrenalina, hiperatividade e ansiedade
  3. Causa dificuldade de concentração, tontura e irritação nas crianças
  4. Resulta em menor atividade nas crianças
  5. Diminui a capacidade cognitiva e pode causar distúrbios de aprendizado que podem afetar as notas escolares das crianças
  6. Aumenta o risco de comportamento antissocial
  7. Queda de estabilidade emocional
  8. Depressão
  9. Alcoolismo
Maior risco de doenças
  1. Alimenta as células cancerígenas
  2. Pode provocar a morte de células
  3. Aumenta os níveis de glicose em jejum
  4. Aumenta a pressão arterial sistólica
  5. Aumento significativo na adesão plaquetária
  6. Causa a formação de pedras e cálculos renais
  7. A rápida absorção de açúcar promove o consumo de alimentos em excesso
  8. Obesidade
  9. Reduz a sensibilidade à insulina, levando a níveis altos de insulina e, com o tempo, à diabetes
  10. Hipoglicemina reativa
  11. Dor de cabeça, inclusive enxaqueca
  12. Tontura
  13. Problemas no trato gastrointestinal
  14. Alergias alimentares
  15. Promove doenças degenerativas crônicas
  16. Causa aterosclerose e doenças cardiovasculares
  17. Causa catarata e miopia
  18. Pode levar a doenças autoimunes, como artrite, asma e esclerose múltipla
  19. Causa enfisema
  20. Contribui para osteoporose
  21. Contração de apendicite, hemorroidas e veias varicosas
  22. Mal de Parkinson (as pessoas com esta doença têm alto consumo de açúcar)
  23. Aumenta o risco de gota e mal de Alzheimer
  24. Acidez na saliva, cáries e doenças periodontais
  25. Gengivite
  26. Estimula o desenvolvimento descontrolado de Candida Albicans (candidíase)
  27. Toxemia na gravidez
  28. Contribui para o eczema nas crianças
  29. Piora os sintomas de crianças com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)
  30. Maior risco de pólio
  31. Pode causar ataques epiléticos
  32. Pode causar pressão alta em pessoas obesas
  33. O consumo maior em unidades de tratamento intensivo pode provocar a morte
Deficiências corporais
  1. Apresenta potencial para provocar processos metabólicos anormais em uma pessoa normal saudável
  2. Supressão do sistema imunológico, aumentando o risco de contrair doenças contagiosas
  3. Perda de elasticidade e função dos tecidos
  4. Piora na visão
  5. Envelhecimento prematuro
  6. Aumenta os produtos finais de glicação avançada em que as moléculas de açúcar se ligam a proteínas e acabam danificando-as
  7. Danos à estrutura do DNA
  8. Pode interromper o oxigênio que vai para o cérebro através de alimentação intravenosa
  9. Muda a estrutura das proteínas e causa uma alteração permanente das atuações da proteína no seu corpo
  10. Alteração da estrutura de colágeno
  11. Envelhecimento da pele
  12. Prejudica a homeostase fisiológica dos sistemas corporais
  13. Reduz a capacidade de funcionamento das enzimas
  14. Aumenta o tamanho do fígado fazendo com que as células hepáticas se dividam, aumentando a quantidade de gordura do fígado
  15. Aumenta o tamanho dos rins e produz alterações patológicas
  16. Danos pancreáticos
  17. Aumento na retenção de fluidos corporais
  18. Afeta a composição de eletrólitos urinários
  19. Retarda a capacidade de funcionamento das glândulas suprarrenais
  20. Compromete a parede dos vasos capilares
  21. Tendões frágeis
  22. Pode causar um aumento das ondas cerebrais delta, alfa e teta, podendo alterar a capacidade da mente de pensar claramente
  23. Causa desequilíbrio hormonal
  24. Aumenta os radicais livres e o estresse oxidativo
  25. Causa uma forte queda na gravidez, com risco duas vezes maior de dar à luz um bebê pequeno para a idade gestacional
  26. Desidratação entre recém-nascidos
  27. Afeta a produção de dióxido de carbono quando fornecido a bebês prematuros

Como acabar com o vício em açúcar

Não se preocupe – não é tarde demais para acabar com esses hábitos ruins. Tenho algumas recomendações sobre como ingerir açúcar com segurança sem sacrificar a sua saúde.
 

A primeira seria recorrer às emoções. Às vezes, quando você deseja muito alguma comida, isso é causado por uma necessidade emocional, como querer aliviar o estresse ou sentir-se um pouco mais feliz depois de um dia cansativo. Geralmente as pessoas tendem a ignorar suas emoções ao pensar se devem comer algo saudável ou não.

Recomendo muito a Técnica de Liberação Emocional (EFT), uma técnica psicológica simples e eficaz de acupressão que pode ajudar a gerenciar os componentes emocionais do seu desejo. Foi comprovado que ela alivia muitos dos traumas emocionais, acaba com fobias e estresses pós-traumáticos, reduz o desejo por alimentos e diminui a dor física e o desconforto.

O que a EFT traz para seus praticantes é ter a atitude mental certa quando se está fazendo um regime ou simplesmente tomando medidas para melhorar a saúde. Se você já está curioso, navegue pelos fundamentos da EFT aqui (versão em português).
Outra maneira de cortar o consumo de açúcar seria reduzir a quantidade de açúcar que você consome diariamente (menos de 25 gramas para ser exato), inclusive das frutas inteiras.
 

Também aconselho que você evite a todo custo o xarope de milho rico em frutose (HFCS). Ele é um adoçante feito do milho e encontrado em vários alimentos que comemos e bebemos hoje em dia. Ele é considerado letal não só devido à quantidade de açúcar que contém, mas também devido aos riscos que pode causar à saúde, a maioria deles já mencionados anteriormente.

Escolher uma alimentação bem balanceada e adaptada ao seu biotipo específico ajuda, com ênfase adicional nos alimentos ricos em fibras, que ajudam a retardar a absorção do açúcar, e nos alimentos ricos em gorduras ômega 3 de alta qualidade, que também são cruciais para diminuir o impacto da ingestão de açúcar em excesso. Recomenda-se também evitar alimentos ricos em açúcar e reidratar-se continuamente com água pura e fresca.

Por fim, exercitar-se todos os diasmelhorar os níveis de vitamina Ddormir bemgerenciar os níveis de estresse também podem ajudar a minimizar os efeitos do consumo de açúcar em excesso. Sabe-se que o exercício, em particular, melhora a sensibilidade à insulina, reduz os níveis de estresse, suprime a grelina (hormônio da fome), acelera o metabolismo, reforça os ossos e melhora o humor.

Pode ser muito difícil dizer não aos doces, principalmente se você já os consome diariamente, mas, acredite em mim, depois que você sentir os efeitos da redução do consumo de açúcar no seu corpo, tudo valerá a pena.


Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2016/09/28/vicio-acucar.aspx

sábado, 7 de novembro de 2015

Hospital Goiano é Referência em Tratamento com Fitoterapia e Homeopatia

hospital de medicina alternativas goias 

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Vídeo: Fat, Sick & Nearly Dead (2010) - Gordo, Doente e Quase Morto

Fat, Sick & Nearly Dead (2010) - LEGENDADO

Este documentário é muito bom, assisti por indicação de um amigo. Está presente também no Netflix. Indico também o documentário Food Matters - O Alimento é Importante, no Netflix.

Para mais informações e dicas de como fazer sucos de vegetais e desintoxicar o seu organismo, leia este artigo.


Os sucos podem e devem ser feitos 1 vez ou mais ao dia, mas para a a manutenção do peso corporal (massa) e da saúde, leia este artigo: Fique Realmente Saudável e Emagreça: Relato Pessoal


Fonte:


https://www.youtube.com/watch?v=8o0pSnp0Xs8

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Receita: Suco Verde de Repolho para Problemas Gastrointestinais

Cabbage juice
Por: Claire Georgiou, Naturopata, B.HSc ND

É fácil ignorar o repolho como um ingrediente maravilhoso para suco verde. Creio que as pessoas tenham medo de que seu suco fique com gosto de chucrute. Mas o suco de repolho realmente tem um sabor suave, e combina facilmente com maçãs e laranjas. O repolho também é um ingrediente de alto rendimento, e tipicamente de baixo custo.

Repolho contém L-glutamina que é muito benéfica para a mucosa do intestino, o que significa que pode acalmar seus problemas estomacais. (A maçã e gengibre nesta receita também têm propriedades calmantes no estômago). A L-glutamina é um aminoácido que é necessário para muitas funções tais como a síntese proteica, o equilíbrio do pH e da energia. A L-glutamina ajuda a manter a barreira intestinal e ajuda a aumentar a saúde da barreira mucosa intestinal. Alguns estudos mostram tempos de cura consideravelmente mais curtos usando suco de repolho em úlceras pépticas e alguns estudos têm cerca de 75 anos. A L-glutamina, também foi demonstrada ajudar a reduzir o tempo de recuperação após a cirurgia. Não se intimide, dê uma chance ao repolho!

Ingredientes:
  • ¼ de cabeça de repolho (verde)
  • 4 folhas de couve
  • 2 aipos ou salsão
  • 1 maçã grande ou 2 maçãs pequenas
  • 1 cm de raiz de gengibre
Instruções:
  • Lave e esfregue as verduras, frutas e raízes sob água corrente e pique-os para caberem em seu juicer.
  • Faça o suco no juicer e aproveite.
Substituições:
  • Repolho verde - por repolho roxo, alface, espinafre
  • Couve - por espinafre, alface, acelga, brócolis
  • Aipo - por pepino, abobrinha, aipo-rábano ou salsão de raiz / raiz de aipo
  • Maçã - por pêra, abacaxi
  • Gengibre - por açafrão ou cúrcuma, pimentas (picantes).
Tempo de preparo: 5 minutos
Tempo total: 5 minutos
Porção: 500 ml

Observações:
  • Utilize preferencialmente ingredientes orgânicos e de produtor local, caso não seja possível descasque os vegetais (frutas, verduras, raízes...) que contenham casca.
  • Para desinfetar as verduras e frutas, proceda da seguinte maneira descrita neste link.
  • O aparelho indicado para fazer os sucos é o Slow Juicer (que é frágil, difícil de montar e trabalhoso para limpar, o melhor preço que encontrei foi R$ 159,00) ou Juicer Mastigadora (este é muito mais robusto, fácil de montar e limpar, mas o preço é surreal aqui no Brasil, acima de R$ 2500,00, nos EUA custa uns US$ 250.00 a US$ 300.00), pois eles conservam os nutrientes, e enzimas, separam o bagaço do suco e não utilizam água no preparo, facilitando assim o consumo de maiores quantidades de suco. Atenção: leiam o manual, algumas frutas não são indicadas e lave o aparelho, imediatamente após beber o suco apenas com escova e água! 
  • O suco de repolho foi usado por Dr. Garnett Cheney para curar o sangramento úlceras pépticas na década de 1950. (Cheney, G. (1952) "A terapia da vitamina U de úlcera péptica." Medicina da Califórnia , 77: 4, 248-252). Os pacientes do Dr. Cheney beberam 950 ml de suco de repolho por dia e foram curados em menos da metade do tempo normal ... sem medicamentos em absoluto. Desde então, o suco de repolho tem sido utilizado com sucesso para uma variedade de doenças gastrointestinais. Colite, cólon espástico ou síndrome do intestino irritável, indigestão, constipação crônica, certas formas de sangramento retal e outras condições parecem responder bem aos nutrientes no suco de repolho. Dr. Cheney chamou a atenção para o seu fator de cura, a "Vitamina U" (por ser desconhecida). Mais recentemente, a American Cancer Society (Sociedade Americana de Câncer) incitou as pessoas a comerem mais da família de legumes do repolho / brócolis por causa de seus efeitos protetores contra o câncer. Pode haver alguma relação com o repolho também. Não custa tentar.
  • Neste link há mais dicas para fazer sucos detox: A Maneira Correta de Desintoxicar seu Organismo com Sucos Detox de Vegetais.
  • Se você tiver problemas na tireoide, não tome este suco diariamente, pois é bociogênico e use sempre o repolho orgânico.
Fonte:

Vídeo do Dr. William Davis: Trigo, o Grande Vilão

Entrevista com Dr. William Davis
Resumo do Livro Barriga de Trigo

21/09/2015.

Dr. Davis afirma que o trigo é um veneno crônico perfeito, ideal para desenvolver aquela famosa barriga, além de diabetes, artrites, doenças cardíacas, doenças crônicas, inflamações e muito mais. Ele é autor do livro: Barriga de Trigo.

Saiba mais sobre outros problemas relacionados ao trigo, nos seguintes links:



Há algumas receitas sem trigo em meu blog:



Fontes:


https://www.youtube.com/watch?v=vUNCL7tn6vg

https://www.youtube.com/watch?v=IX56ScjPM4Y

sábado, 29 de agosto de 2015

Tratamento Natural da Condromalácia Patelar: Relato Pessoal

29/08/2015, atualizado em 03/11/2016.
No ano passado, em abril de 2014, comecei a fazer musculação, após ter sido sedentária por diversos anos. Estava com 34 anos e pesando 65 Kg.
Iniciei a atividade física, fiz a adaptação e então realizei o treino pirâmide.
Após algumas semanas, meus joelhos doíam um pouco durante a atividade física, mas não pensei que fosse algo perigoso, continuei mesmo assim. Em julho, tive que parar de treinar, pois meus joelhos doíam muito o tempo todo e eu mal conseguia andar. Ainda tinha a mesma massa corpórea, 65 Kg.
Procurei um ortopedista que me pediu um raio X, ao retornar ao mesmo com o resultado do exame, ele recomendou-me fisioterapia para meu problema. Este havia me dado um diagnóstico errado, mas não era especialista em joelho. Fiz duas semanas de fisioterapia com gelo e outros tratamentos para reduzir a inflamação. Também fazia compressas com gelo umas 3 vezes ao dia por 20 minutos, mas não obtive uma melhora significativa e cheguei até a tomar anti-inflamatórios nocivos sem resultados. Além disso, dr. Lair Ribeiro menciona em um de seus vídeos que não devemos tomar anti-inflamatórios alopáticos na fase aguda, pois o processo inflamatório é necessário para a cura e caso os use durante esta fase, sempre que esfriar um pouco a região afetada doerá.
Marquei consulta com um ortopedista renomado da minha cidade, especialista em joelhos, o qual possuía convênio com meu plano de saúde. E mesmo com hora marcada, aguardei mais de duas horas para ser atendida. Além de tudo, ele me atendeu correndo por 15 minutos, viu a minha radiografia dos joelhos, disse que eu tinha condromalacia patelar em ambos os joelhos e pediu que eu fizesse outro exame para saber que exercícios específicos eu teria que fazer a fim de melhorar.
Bem, este exame custava R$ 300,00 e não era coberto pelo plano de saúde. Muito provavelmente ele ganharia alguma comissão com o mesmo. Não fiz o exame e não voltei mais a médico algum (para este problema).
Comecei a pesquisar muito sobre saúde e alimentação saudável em julho de 2014, especialmente após ter assistido ao vídeo Food Matters (O Alimento é Importante) no Netflix, há um trecho dele em meu blog neste link. Então, modifiquei minha alimentação, sem contar calorias, sem comer nada diet nem light, sem adoçantes artificiais, sem transgênicos, reduzi a ingestão de alimentos industrializados e outras coisas, como descrito no post Fique Realmente Saudável e Emagreça: Relato Pessoal. Após 3 meses, havia emagrecido 9 Kg sem esforço e sem fazer atividade física alguma, pois a dor me impossibilitava. Apenas a mudança alimentar, evitar o glúten e a perda de peso fizeram que meu problema e a dor melhorassem em 90%. Tomo também vitamina C 1000 mg (em cristais ou em pó), de 3 a 6 vezes ao dia e vitamina D3 5000 UI por dia, tomo 50 ml de cloreto de magnésio P.A. duas vezes ao dia (um pacote de 33g diluído em 1 litro de água filtrada e armazenado em garrafa de vidro escuro na geladeira) ou 1 vez por via oral e a outra sob a forma de óleo de magnésio (saiba como prepará-lo e usá-lo neste link), ômega 3 de krill (após o almoço) e um polivitamínico de alta potência (dividido ao meio, após o almoço e o jantar), o qual contém 1 mg de boro (importante para ossos e cartilagens) e cálcio. Atualmente estou pesando 54,4 Kg, menos do que gostaria, mas não consigo engordar de uma maneira saudável, exceto através do ganho de massa muscular (hipertrofia), o qual não posso tentar fazer ainda.

Perguntei à uma fisioterapeuta competente de RPG, se para o meu problema teria que ser feito algum exame específico para saber quais exercícios de fortalecimento que eu teria que realizar. Ela me respondeu que não era necessário, que eu deveria fazer pilates direcionado para o meu problema.
Comecei a fazer o pilates que é importante para o fortalecimento muscular, para evitar um maior desgaste da patela.

Resolvi procurar uma solução na homeopatia para este problema, pois ainda sentia um pouco de dor ao ficar com os joelhos levemente flexionados, ao caminhar um pouco mais e não conseguia flexionar meus joelhos até 90°.

Há uma semana, consultei-me com uma homeopata e estou tomando Rhus toxicodendron 6 CH e Ruta Gravis 6 CH, 5 glóbulos 3 vezes ao dia e estou praticamente livre de dores. A homeopatia realmente funciona, quando ainda não houve uma lesão grave permanente, não sei porquê demorei tanto para usá-la para este problema! Sem falar que é barata!
Saiba mais sobre a homeopatia aqui.

Em dezembro de 2015, comecei a tomar 500 mg de MSM que comprei no TitoFarma, parei de fazer pilates (há 2 meses), não sentia mais dores e estava quase 100% recuperada. Após alguns meses, comprei um MSM na Iherb de 1500 mg, o qual dividia ao meio e tomava metade. Atualmente, em 03 de novembro de 2016, estou tomando este suplemento com Glucosamina e MSM.

Minha sugestão é, para qualquer problema de saúde, busque primeiro uma boa nutrição (um bom nutricionista ou nutrólogo), homeopatia (um bom homeopata), suplementos vitamínicos e fitoterápicos e pesquise muito sobre o seu problema de saúde em boas fontes como os sites do Dr. Mercola (em inglês e gratuito), do Ph.D e M.S. Andrew Saul (em inglês e gratuito) e do Dr. Lair Ribeiro (em português e não é gratuito). Caso nada disso funcione, então busque um tratamento da medicina convencional (alopática) que trata os sintomas das doenças (crônicas e virais). É claro que inicialmente precisamos nos consultar com um bom médico convencional para diagnosticar o problema e para fazermos exames.

A suplementação com óleo de peixe (ômega 3) tem sido demonstrada ser totalmente segura, mesmo em períodos de 7 anos e sem efeitos adversos significativos foram relatados em centenas de ensaios clínicos utilizando 18 gramas / dia de óleo de peixe. A suplementação de óleo de peixe, no entanto, reduz as concentrações sanguíneas de vitamina E, por isso é uma boa ideia tomar vitamina E extra ao adicionar óleos de peixe à sua dieta. Um ensaio clínico realizado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos verificou que, tomar 100 mg / dia da vitamina E natural com tocoferóis mistos (equivalente a cerca de 100 UI de vitamina E natural, tocoferol) é suficiente para neutralizar completamente o efeito da suplementação de óleo de peixe (fonte).


Atualização em 25/04/2016
Tenho andado descalça na terra, grama ou areia diariamente e isto é um poderoso antioxidante. Atualmente uso salto alto, ao menos uma vez por semana e não tenho mais sentido dor nos joelhos.

Para quem tem boas condições financeiras, o tratamento com ozônio é uma excelente opção, mas não realizei este tratamento. 

 Atualização em 03/11/2016
Tenho praticado caminhadas regulares como atividade física. Estou grávida de 8 meses, engordei mais de 12 Kg e ainda estou livre de dores, apesar do sobrepeso. 
Pude perceber por minha experiência pessoal que suplementos nutricionais e uma dieta baseada em alimentos in-natura, evitando o glúten, são mais importantes do que o peso (massa) corporal em relação à condromalacia.. 

OBS:
  • Há alguns vídeos do Dr. Lair no Youtube, os quais estão sendo retirados, devido aos direitos autorais. Em meu blog estão presentes diversos artigos traduzidos dos sites do Dr. Mercola, do PhD e mestre Andrew Saul e também há vídeos legendados destes profissionais (em vídeos) e do Dr. Lair neste link. Alguns vídeos legendados podem ser encontrados no meu canal do Youtube.
  • "Estudos de toxicidade demonstraram que o MSM é extremamente seguro e pode ser tomado em doses muito, muito altas. Mesmo se você tiver uma dieta muito rica em vegetais crus e alimentos ricos em MSM, você ainda pode suplementar e não atingir esse nível de toxicidade. Estudos de investigação clínica descobriram que as quantidades eficazes variam de cerca de 1,5 gramas a 6 gramas, embora em doses mais elevadas, os efeitos colaterais potenciais incluam:
    -Desconforto intestinal
    -Inchaço dos tornozelos
    -Erupções cutâneas leves
Estes são provavelmente efeitos desintoxicantes (detox) que podem normalmente ser atenuados ou minimizados voltando a tomar a dose inicial, e aumentando a dose aos poucos. Nesse caso, você pode começar com metade de um grama (500 miligramas) por duas semanas e, em seguida, lentamente aumentar a dose até atinja a dose desejada"(fonte).

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Três Vitaminas que Combatem Doenças Cardíacas



Tradução do artigo do Ph.D, M.S. e editor do Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular (Orthomolecular Medicine News Service)Andrew Saul. O Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular é revisado por pares.

23 de março de 2005.

Para se inscrever sem nenhum custo, clique aqui.

Leia todas as notícias e lançamentos (em inglês) aqui.

Vitamina E: Segura, Eficaz e Saudável para o Coração
(Role a página para informações sobre como a vitamina C e a niacina também são eficazes).

(OMNS - Orthomolecular Medicine News Service - Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular) A doença cardíaca é o assassino número um nos Estados Unidos, e as provas fornecendo suporte à eficácia da vitamina E na prevenção e reversão doenças do coração são esmagadoras.


Dois estudos de referência publicados no Jornal de Medicina de New England (Journal of Medicine) [1] [2] acompanharam um total de 125.000 profissionais de saúde (homens e mulheres) com um total de 839.000 pessoas acompanhadas durante anos. Verificou-se que aqueles que faziam suplementação com pelo menos 100 UI de vitamina E por dia, reduziram o seu risco de doença cardíaca de 59 a 66%. Os estudos foram ajustados para diferenças de estilo de vida (tabagismo, atividade física, ingestão de fibra alimentar, o uso de aspirina), a fim de determinar o efeito da suplementação de vitamina E sozinha em relação à saúde do coração. Devido à uma comparação entre uma dieta rica em alimentos que continham vitamina E com uma dieta seguida pela média das pessoas, ter mostrado apenas um ligeiro efeito de proteção do coração, os autores enfatizaram a necessidade da suplementação de vitamina E.


Pesquisadores da Universidade de Cambridge [3] na Inglaterra informaram que os pacientes que tinham sido diagnosticados com arteriosclerose coronária poderiam diminuir o seu risco de ter um ataque cardíaco em 77%, fazendo suplementação com 400 UI a 800 UI por dia de vitamina E natural (d-alfa tocoferol ou tocoferol no Brasil).


Os pesquisadores e médicos pioneiros da vitamina E, drs. Wilfrid e Evan Shute, trataram cerca de 30.000 pacientes por várias décadas e descobriram que as pessoas que apresentavam um bom estado de saúde, obtiveram um benefício máximo com a suplementação de 800 UI de vitamina E natural (d-alfa tocoferol ou tocoferol no Brasil). A eficácia da vitamina E foi comprovada na prevenção e tratamento de muitas doenças cardíacas . "A prevenção completa ou quase completa de ataques de angina é o resultado normal e esperado do tratamento com o alfa-tocoferol" de acordo com Wilfrid Shute, MD (médico com doutorado), um cardiologista. Dr. Shute prescreveu até 1.600 UI de vitamina E por dia e tratou com sucesso, pacientes de trombose coronariana aguda, febre reumática aguda, cardiopatia reumática crônica, doença cardíaca hipertensiva, diabetes mellitus, nefrite aguda e crônica, e até mesmo queimaduras, cirurgia plástica e hiperplasia epitelial ductal.


Como Funciona


A razão pela qual um nutriente pode curar tantas doenças diferentes é porque uma deficiência de um nutriente pode causar muitas doenças diferentes.


A vitamina E é um antioxidante poderoso dos lipídeos (gorduras) do organismo. Ela pode impedir a peroxidação lipídica do LDL, causada por reações de radicais livres. A sua capacidade de proteger as membranas celulares contra a oxidação é de importância crucial na prevenção e reversão de muitas doenças degenerativas.


Além disso, a vitamina E inibe a coagulação do sangue (a agregação e adesão plaquetária) e evita o alargamento e ruptura da placa nas artérias.


E por fim, tem propriedades anti-inflamatórias, as quais também são muito importantes na prevenção de doenças cardíacas.


Entre outras coisas, a suplementação de vitamina E:

* Reduz a necessidade de oxigênio dos tecidos. [4]
* Gradualmente dissolve coágulos de sangue novos, e impede a embolia. [5]
* Melhora a circulação colateral. [6]
* Impede a contração da cicatriz como cura feridas. [7]
* Diminui a necessidade de insulina em cerca de um quarto dos diabéticos. [8]
* Estimula a potência muscular. [9]
* Preserva as paredes capilares. [10]
* Reduz a  proteína C reativa (PCR) e outros marcadores de inflamação [11]
* Evidências epidemiológicas também sugerem que um suplemento diário de vitamina E pode reduzir o risco de desenvolver câncer da próstata e Mal de Alzheimer. [12, 13]

Se todos os americanos tomassem suplementos diariamente com um bom polivitamínico e minerais, além de quantidades extras das vitaminas C e E, poderia salvar milhares de vidas por mês.


OBS: "Pessoas com pressão arterial elevada precisam aumentar a sua quantidade diária de vitamina E gradualmente, diz dr. Shutes. Isso ocorre porque a vitamina aumenta a força do batimento cardíaco, e um aumento gradual de vitamina E evita qualquer aumento súbito na pressão arterial. Dr. Shutes descobriu que ao longo de um período de meses, uma dose gradualmente crescente pode produzir uma pressão arterial mais baixa.

Dr. Shutes disse que as pessoas com um doença reumática crônica não toleram muita vitamina E e precisam de supervisão médica se quiserem usá-la.

Pessoas que tomam drogas (medicamentos) como Coumadin (warfarina) geralmente descobrem que seus exames indicam uma diminuição da necessidade de remédios que afinem o sangue. A maneira inteligente de lidar com isso é trabalhar com seu médico, que é responsável por sua prescrição.

Uma pessoa em boa saúde pode começar com uma quantidade suplementar de 200 UI de vitamina E por dia e testá-la por duas semanas. Em seguida, 400 UI pode ser tomado diariamente por mais duas semanas. Durante as duas semanas seguintes, 600 I.U. diariamente, e durante as duas semanas seguintes, 800 U.I. por dia e assim por diante. A pessoa deve tomar a menor quantidade que produza os melhores resultados. Esta abordagem é essencialmente a de Richard A. Passwater e é fornecida em mais detalhes em seu livro Supernutrition (1975, Pocket Books)". (fonte)


Referências:



[1] "A unified theory of human cardiovascular disease leading the way to the abolition of this disease as a cause for human mortality." Rath, M., Pauling, L., J of Orthomolecular Medicine, 7: 5-15.7.
[2] "Long-term combined beneficial effects of physical training and metabolic treatment on arterioscleroses in hypercholesterolemic mice", Ignarro, LJ, Publication of the National Academy of Science, Vol 101, 246-252, June 8, 2004.
[3] Losonczy KG, Harris TB, Havlik RJ. Vitamin E and vitamin C supplement use and risk of all-cause and coronary heart disease mortality in older persons: the Established Populations for Epidemiologic Studies of the Elderly.Am J Clin Nutr, Vol 64, No 2, p 190-6 Aug 1996. See also: Neale RJ, Lim H, Turner J, Freeman C, Kemm JR. The excretion of large vitamin C loads in young and elderly subjects: an ascorbic acid tolerance test. Age Ageing, Jan 1988, 17 (1) p 35-41.[4] Osganian SK, Stampfer MJ, Rimm E et al. Vitamin C and risk of coronary heart disease in women. J Am Coll Cardiol. 2003 Jul 16;42(2):246-52.
[5] Knekt P, Ritz J, Pereira MA et al. Antioxidant vitamins and coronary heart disease risk: a pooled analysis of 9 cohorts. Am J Clin Nutr. 2004 Dec;80(6):1508-20.
[6] "Plasma vitamin C modifies the association between hypertension and risk of stroke". S. Kurl, TP. Tuomaninen, JA. Laukkenen, et. al., Stroke, 2002, vol. 33, p 1568-1573.
[7] See ref [6]. 
[8] See ref [5]. 
[9] J Am Coll of Nutr, Vol. 23, No. 2, 141-147.

Tradução do Artigo do Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular de 30 de setembro de 2005.

Para se inscrever sem nenhum custo, clique aqui.

Leia todas as notícias e lançamentos (em inglês) aqui.

A Vitamina C Salva Vidas
(Role a página para informações sobre como niacina também é eficaz.)

(OMNS - Orthomolecular Medicine News Service - Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular) Milhões morrem anualmente de doenças cardíacas e derrame ou AVC (Acidente Vascular Cerebral) e uma evidência esmagadora é que a suplementação de vitamina C poderia salvar muitas vidas.

Duas vezes vencedor do Prêmio Nobel, Dr. Linus Pauling, estimou que a taxa de doença cardíaca seria reduzida em 80 por cento, se os adultos nos EUA fizessem uma suplementação com 2.000 a 3.000 miligramas (mg) de vitamina C por dia. Segundo o Dr. Pauling, "Desde que a deficiência de vitamina C é a causa comum de doença cardíaca humana, a suplementação de vitamina C é o tratamento universal para esta doença." [1] A doença cardíaca é o assassino número um nos EUA. Para aqueles que já têm doença cardíaca, Dr. Pauling disse que o bloqueio das artérias do coração poderia realmente ser revertido por uma suplementação com 6.000 mg de vitamina C e 6.000 mg de lisina (um aminoácido comum), tomados em doses divididas ao longo do dia. A suplementação de vitamina C tanto diminui os níveis de colesterol séricos quanto repara lesões nas paredes arteriais.O ganhador do Prêmio Nobel em  1998, Dr. Louis J. Ignarro, constatou que a suplementação com vitamina C e vitamina E reduz significativamente o risco de desenvolver arteriosclerose. [2]

Um estudo examinou o uso dos suplementos de vitamina E e vitamina C em relação ao risco de morte em 11.178 pessoas com idades entre 67 a 105 anos que participaram do Populações Estabelecidas para Estudos Epidemiológicos dos Idosos (Established Populations for Epidemiologic Studies of the Elderly) ao longo de um período de nove anos. [3] O uso simultâneo das vitaminas E e C foi associado com um menor risco de mortalidade total e mortalidade por doença coronária após o ajuste feito para o uso de álcool, tabagismo, uso de aspirina, e condições médicas.

Um estudo de referência acompanhou mais de 85.000 enfermeiras durante um período de 16 anos com um total de 1.240.000 pessoas por ano, constatou que a suplementação de vitamina C reduziu significativamente o risco de doença cardíaca. [4] A ingestão de vitamina C proveniente apenas de alimentos foi insuficiente para afetar significativamente a taxa de doença cardíaca. Quantidades elevadas de vitamina C provenientes de suplementos foram essenciais para proporcionar os efeitos protetores. O estudo foi ajustado à idade, tabagismo, e uma variedade de outros fatores de risco coronariano.

Uma equipe internacional reuniu dados de nove estudos prospectivos de 293.000 pessoas que incluíram informações sobre a ingestão de vitamina E, carotenoides e vitamina C, com um acompanhamento de 10 anos para verificar se haveria eventos de incidentes graves de doença cardíaca coronária em pessoas sem doenças na época em que o estudo fora iniciado. A ingestão de vitaminas antioxidantes através da alimentação foi fracamente relacionada com um risco reduzido de doença cardíaca coronária. No entanto, os indivíduos que tomaram a pequena quantidade de 700 mg de vitamina C diariamente através de de suplementos (de vitaminas), reduziram seu risco de eventos de doença cardíaca em 25 por cento em comparação com aqueles que não tomaram suplementos. [5]

Pesquisadores na Finlândia aferiram os níveis séricos de vitamina C em 2.419 participantes do sexo masculino de meia-idade do estudo, em andamento, do Fator de Risco de Doença Cardíaca Isquêmica em Kuopio (Kuopio Ischemic Heart Disease Risk Factor). Os homens com histórico de acidente vascular cerebral foram excluídos desta análise. Os participantes foram acompanhados por até 10 anos; o resultado de interesse era o desenvolvimento do acidente vascular cerebral. Durante o período de acompanhamento, 120 participantes sofreram um acidente vascular cerebral. Após uma análise de possíveis fatores de confusão - incluindo idade, IMC, tabagismo, pressão arterial e colesterol sérico - os pesquisadores descobriram que os homens com baixo nível de vitamina C no sangue, eram suscetíveis em mais do dobro da probabilidade do que aqueles com nível superior de vitamina C no sangue, de sofrerem um acidente vascular cerebral. [6]

Um derrame ou AVC comumente ocorre quando um coágulo ou trombo bloqueia o fluxo de sangue para as partes do cérebro. Um trombo pode se formar em uma artéria afetada pela arteriosclerose. Um estudo recente mostrou que um baixo nível de vitamina C plasmática foi associado com aumento do risco de acidente vascular cerebral, especialmente entre os homens hipertensos e com excesso de peso. [7]

A vitamina C é quem preserva a integridade das paredes das artérias e fortalece o tecido cardiovascular. A pesquisa indica uma redução na incidência de eventos graves de doença cardíaca coronariana com o uso de altas doses de suplementação de vitamina C. [8] Os estudos recentes têm demonstrado que a vitamina C parece reduzir os níveis da proteína C-reativa (CRP), um marcador da inflamação, e existe um conjunto crescente de evidências de que a inflamação crônica está associada a um maior risco de doença cardíaca. [9]

A maioria dos americanos não conseguem ingerir através da alimentação a RDA ( Recommended Dietary Allowance - Ingestão Diária Recomendada) para várias vitaminas e minerais. Os suplementos não são o problema; eles são a solução. A desnutrição é o problema.

Referências:

[1] "A unified theory of human cardiovascular disease leading the way to the abolition of this disease as a cause for human mortality." Rath, M., Pauling, L., J of Orthomolecular Medicine, 7: 5-15.7.
[2] "Long-term combined beneficial effects of physical training and metabolic treatment on arterioscleroses in hypercholesterolemic mice", Ignarro, LJ, Publication of the National Academy of Science, Vol 101, 246-252, June 8, 2004.
[3] Losonczy KG, Harris TB, Havlik RJ. Vitamin E and vitamin C supplement use and risk of all-cause and coronary heart disease mortality in older persons: the Established Populations for Epidemiologic Studies of the Elderly.Am J Clin Nutr, Vol 64, No 2, p 190-6 Aug 1996. See also: Neale RJ, Lim H, Turner J, Freeman C, Kemm JR. The excretion of large vitamin C loads in young and elderly subjects: an ascorbic acid tolerance test. Age Ageing, Jan 1988, 17 (1) p 35-41.
[4] Osganian SK, Stampfer MJ, Rimm E et al. Vitamin C and risk of coronary heart disease in women. J Am Coll Cardiol. 2003 Jul 16;42(2):246-52.
[5] Knekt P, Ritz J, Pereira MA et al. Antioxidant vitamins and coronary heart disease risk: a pooled analysis of 9 cohorts. Am J Clin Nutr. 2004 Dec;80(6):1508-20.
[6] "Plasma vitamin C modifies the association between hypertension and risk of stroke". S. Kurl, TP. Tuomaninen, JA. Laukkenen, et. al., Stroke, 2002, vol. 33, p 1568-1573.
[7] See ref [6].
[8] See ref [5].
[9] J Am Coll of Nutr, Vol. 23, No. 2, 141-147.

Tradução do Artigo do Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular de 30 de setembro de 2005.

Para se inscrever sem nenhum custo, clique aqui.

Leia todas as notícias e lançamentos (em inglês) aqui.

Niacina (vitamina B3) Reduz o Colesterol Alto com Segurança

(OMNS) Existe um modo seguro, barato, sem receita médica, conveniente e eficaz de reduzir os níveis elevados de colesterol e reduzir o risco de doença cardíaca: a niacina. A niacina é uma vitamina hidrossolúvel do complexo B, a vitamina B-3. Uma das propriedades únicas da niacina é a sua capacidade de ajudá-lo, naturalmente, a relaxar e a adormecer mais rapidamente à noite. É bem estabelecido que a niacina ajuda a reduzir os níveis de colesterol prejudiciais no sangue. A niacina é uma das melhores substâncias para elevar o colesterol de lipoproteínas de alta densidade (o HDL ou colesterol "bom") e assim diminui a proporção de colesterol total, devido aos altos níveis do colesterol de alta densidade.

A constatação de que niacina reduzia o colesterol foi rapidamente confirmada por Parsons, Achor, Berge, McKenzie e Barker (1956) e Parsons (1961, 1961a, 1962) na Clínica Mayo (Mayo Clinic), o que lançou a niacina como uma substância hipocolesterolêmica. Desde então, tem sido constatada como um agente de normalização, o que significa que eleva o colesterol de lipoproteína de alta densidade (HDL), diminui o colesterol de baixa densidade (LDL) e o de lipoproteína de muito baixa densidade (VLDL) e reduz os triglicerídeos. Grundy, Mok, Zechs e Berman (1981) constataram que reduziu o colesterol em 22 por cento e triglicérides em 52 por cento e escreveram: "nosso conhecimento é que nenhum outro agente único tem esse potencial para diminuir tanto o colesterol e os triglicérides."

Níveis elevados de colesterol estão associados a um maior risco de desenvolver a doença arterial coronária. Além da niacina, uma dieta típica geralmente recomendada por médicos ortomoleculares tenderá a manter os níveis de colesterol baixos na maioria das pessoas. Esta dieta pode ser descrita como uma dieta de alta ingestão de fibras, sem açúcar, que é rico em polissacarídeos complexos, tais como legumes e grãos integrais.

Com doses de niacina adequadamente elevadas, é possível reduzir os níveis de colesterol, mesmo sem alteração na dieta. E. Boyle, na época, trabalhava com os Institutos Nacionais de Saúde (National Institutes of Health), em Washington, DC, rapidamente interessou-se pela niacina. Ele começou a acompanhar uma série de pacientes tomando de 3 gramas (3.000 miligramas) de niacina por dia. Ele relatou suas conclusões em um documento preparado para médicos envolvidos nos Alcoólicos Anônimos, o qual foi fundado por por Bill W (1968). Neste relatório, Boyle informou que ele tinha mantido 160 pacientes com doenças arteriais coronarianas, tomando a niacina por dez anos. Apenas seis morreram, contra uma expectativa estatística que 62 teriam morrido com o tratamento convencional. Ele afirmou: "Do ponto de vista estritamente médico, acredito que todos os pacientes que tomassem a niacina, sobreviveriam mais tempo e aproveitariam a vida muito mais." Sua previsão se tornou realidade quando o Estudo Nacional de Medicamento para Doença Arterial Coronariana (National Drug Coronary Study) foi avaliado por Canner recentemente. Mas os dados de Boyle falaram por si próprios. O uso contínuo de niacina irá diminuir a mortalidade e prolongar a vida.

Niacina Combinada com Outros Medicamentos que Reduzem o Colesterol

A hipercolesterolemia familiar é uma doença hereditária, na qual os níveis de colesterol no plasma são muito elevados. Illingworth, Phillipson, Rapp e Connor (1981) descreveram uma série de 13 pacientes tratados com 10 gramas de colestipol duas vezes ao dia e, posteriormente, 15 gramas duas vezes por dia. Os níveis de colesterol deles variaram entre 345 a 524 e triglicérides entre 70 a 232. Quando este medicamento combinado com uma dieta, não reduziu os níveis de colesterol abaixo de 270 mg / 100 mL, foi dada aos pacientes a niacina, começando com 250 mg três vezes por dia e aumentando-a a cada duas ou quatro semanas até uma dose final de 3 a 8 gramas por dia ser atingida. Para reduzir o "flush" (rubor) provocado pela niacina, os pacientes tomaram aspirina (120 a 180 mg) com cada dose durante quatro a seis semanas. Nestes níveis de dosagem de niacina não foram encontradas provas de função hepática alterada. Esta combinação de medicamentos normalizou os níveis de colesterol no sangue e de lipídios. Eles concluíram que "Na maioria dos pacientes com Hipercolesterolemia Familiar (HF) heterozigótica, a terapia de medicamentos combinados com um sequestrador de ácidos biliares e com o ácido nicotínico (niacina) resulta em um perfil lipídico normal ou próximo do mesmo. O uso prolongado de tal regime, proporciona um potencial para prevenir, ou mesmo reverter, o desenvolvimento prematuro de aterosclerose que ocorre tão frequentemente com este grupo de pacientes. "

Felizmente, a niacina não diminui o colesterol a níveis perigosamente baixos. Cheraskin e Ringsdorf (1982) revisaram algumas das evidências que ligam níveis muito baixos de colesterol a um aumento da incidência de câncer e à uma maior mortalidade em geral.

A niacina geralmente causa um flush (rubor) no início do tratamento. O rubor pode ser desconfortável, mas não é perigoso. A fim de aclimatar lentamente o corpo com a niacina e minimizar o flush, podem ser tomadas as seguintes medidas:

Quem estiver interessado nesta abordagem, pode ir a uma loja de desconto nos Estados Unidos e outros países (discount store) e comprar um frasco de 100 mg de tabletes de niacina e um frasco de 1000 mg de tabletes ou cápsulas de de vitamina C.

Deve-se começar a tomar 1000 mg de vitamina C e 50 mg de niacina, três vezes ao dia, de preferência depois de cada refeição. Tabletes de niacina de 100 mg são facilmente divididos ao meio, para produzirem duas metades de tabletes, contendo 50 mg de niacina cada.

Após três ou quatro dias, a dose de niacina deve ser aumentada para 100 mg três vezes ao dia. Pode-se continuar a aumentar a niacina de 50 mg ou 100 mg a cada três ou quatro dias, até à dose de 1000 mg de niacina e 1000 mg de vitamina C sejam tomadas três vezes por dia.

Normalmente são necessários cerca de três meses, tomando a maior dosagem de niacina (1000 mg três vezes ao dia) e da vitamina C para que níveis de colesterol sejam estabilizados em níveis mais baixos. Quanto custa a tomar 3000 mg de niacina e vitamina C? Estas duas vitaminas podem ser compradas com um custo total de cerca de 50 centavos (de dólar) por dia (nos EUA).

A utilização contínua da niacina diminui a mortalidade de forma confiável e prolonga a vida.

Observações:
  • Não há nem ao menos uma morte por ano provocada por vitaminas (fonte). Drogas farmacêuticas, devidamente prescritas e tomadas da maneira prescrita, matam mais de 100.000 americanos anualmente. Erros hospitalares matam ainda mais.
  • Restaurar a saúde deve ser feito nutricionalmente, não farmacologicamente. Todas as células, em todas as pessoas, são feitas exclusivamente do que bebemos e comemos. Nem ao menos uma célula é feita de remédios.
  • Não adquira a forma de liberação prolongada (Time Released) da vitamina B3 ou niacina, pode ser perigoso! A Niacina ou Niacin é a flush formula (que você fica vermelho como se tivesse tomado muito sol por alguns minutos e coça um pouco, isto não faz mal algum e a Niacinamida ou Niacinamide é a non-flush (sem rubor) formula.
  • A melhor maneira de controlar a sensação do flush com precisão é começar com pequenas quantidades de niacina e aumentá-las gradualmente, até que o primeiro flush seja notado. Um método é: comece com apenas 25 miligramas (25 mg) de niacina três vezes por dia, por exemplo, em cada refeição. No dia seguinte, tome 50 mg no café da manhã, 25 mg no almoço e 25 mg no jantar. No dia seguinte, 50 mg no café da manhã, 50 mg na hora do almoço, e 25 mg no jantar. E, no dia seguinte, 50 mg em cada uma das três refeições. No dia seguinte, 75 mg, 50 mg e 50 mg. Em seguida, respectivamente, 75, 75 e 50, e assim por diante (fonte). Pode-se tomar 1000 mg de vitamina C com a niacina, três vezes ao dia, para também amenizar o flush. Tabletes de niacina de 100 mg são facilmente divididos ao meio, para produzirem duas metades de tabletes, contendo 50 mg de niacina cada.
  • Normalmente são necessários cerca de três meses, tomando a maior dosagem de niacina (1000 mg três vezes ao dia) e da vitamina C para que níveis de colesterol sejam estabilizados em níveis mais baixos. Quanto custa a tomar 3000 mg de niacina e vitamina C? Estas duas vitaminas podem ser compradas com um custo total de cerca de 50 centavos (de dólar) por dia (nos EUA)
  • A utilização contínua da niacina diminui a mortalidade de forma confiável e prolonga a vida (fonte)
  • Lembre-se: cada organismo necessita de uma quantidade, depende de quão doente o corpo está!
  • Por fim, busque um acompanhamento de um médico ortomolecular e mostre este artigo a ele.
  • Tome um polivitamínico de alta potência (contém 85 mg de complexo B) ou o o complexo B 50 (50 mg) ou B 100 (100 mg). Desde 1965, Dr. Abraham Hoffer dava a seus pacientes o complexo B, o complexo B 50 (50 mg) ou B 100 (100 mg). Estes fornecem piridoxina, ácido fólico e vitamina B-12, assim como outras vitaminas. A adição dessas vitaminas, inevitavelmente, será benéfica uma vez que as outras vitaminas possuem propriedades terapêuticas próprias, além de impedir que os níveis de homocisteína elevem-se demasiadamente. Mas mesmo a niacina, tomada sozinha foi benéfica, não prejudicial. E isso confirma o que Dr. Hoffer estudou e testou desde 1952, quando a Ibegan usava megadoses de niacina e niacinamida para esquizofrenia e outras condições, incluindo níveis elevados de colesterol e artrite. Os autores não inventaram qualquer factoide, mas é muito provável que alguns dos leitores ignorarão quase todo o relatório, exceto que a niacina eleva homocisteína e, portanto, aumenta o risco de doença cardíaca. Em breve você verá esse factoide se repetindo incessantemente. A niacina é um aceitador de metilo e este pode ser o mecanismo que conduz à elevação dos níveis de homocisteína. A niacinamida é também um aceitador de metilo, mas não tem nenhum efeito sobre os níveis de lípidos no sangue (colesterol e outros). O seu efeito sobre os níveis de homocisteína não é conhecido, mas não há nenhuma evidência de que ela reduza a expectativa de vida. Pelo contrário, ela tem grande valor no tratamento de estados senis, tanto físicos e mentais, e prolonga a vida (fonte). 
  • Monitorar o uso a longo prazo da niacina é uma boa ideia para qualquer pessoa. Isto consiste em pedir para seu médico verificar a sua função hepática com um simples exame de sangue, mas antes de fazê-lo pare de tomar a niacina por 5 dias (fonte).
  • Dr. Levy está convencido da segurança da vitamina C. Ele diz: "Exceto em indivíduos com, insuficiência renal significativa estabelecida, a vitamina C é indiscutivelmente o mais seguro de todos os nutrientes que podem ser dados."

O Orthomolecular Medicine News Service é não-comercial e revisado por pares por médicos.

Para se inscrever sem nenhum custo, clique aqui.
Leia todas as notícias e lançamentos (em inglês) aqui.

Andrew W. Saul, editor-chefe do OMNS (Orthomolecular Medicine News Service - Serviço de Notícias da Medicina Ortomolecular), é também o autor dos livros: FIRE YOUR DOCTOR! (Demita o seu Médico) e How to be Independently Healthy (Como ser Independentemente Saudável) (avaliações dos leitores em http://www.doctoryourself.com/review.html) e DOCTOR YOURSELF: Natural Healing that Works (Seja Médico de Si Mesmo: A cura Natural que Funciona). (Revisado em http://www.doctoryourself.com/saulbooks.html)



Fonte: