Publicidade

Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Artrite Reumatoide. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Artrite Reumatoide. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Todos Novos Remédios para a Artrite Reumatoide têm Riscos Similares - Talvez seja a Hora de Tratá-la Naturalmente

Resultado de imagem para artrite reumatoide

Tradução do artigo do Dr. Mercola de 27 de setembro de 2012, realizado por mim em 09 de julho de 2015.

A artrite reumatoide (AR) é uma doença autoimune inflamatória crônica que atinge cerca de 1,5 milhões de americanos, a maioria são mulheres. AR acomete mais de 53 de 100.000 mulheres, em comparação com cerca de 28 de 100.000 homens.
    Ao contrário da osteoartrite, que é uma doença degenerativa das articulações, a artrite reumatoide é uma doença autoimune que faz com que seu corpo ataque a si próprio - seu sistema imunológico começa a atacar suas articulações, ocasionando dor, deformidades e uma perda substancial de mobilidade. Como resultado, a AR é geralmente tratada com medicamentos muito agressivos. De fato, os medicamentos utilizados para AR são alguns dos medicamentos mais perigosos usados na medicina. As doses elevadas de prednisona são comuns, bem como imunossupressores e agentes anticâncer para tratar a dor forte e o inchaço.
    Uma nova classe de medicamentos (drogas) para AR são os medicamentos "biológicos" chamados inibidores de TNF-alfa, vendidos sob as marcas Humira, Enbrel, Remicade e. embora estas drogas sejam promovidas agressivamente, ainda há preocupações a respeito da sua segurança. Uma análise recente de segurança desses três remédios, mostra que, quando se trata do risco de morte relacionado a tomá-los, não há nenhuma diferença entre os três medicamentos. De acordo com MedlinePlus:

        "... A equipe de Simard compilou informações de pacientes com artrite reumatoide que iniciaram o tratamento entre 2003 e 2008. Destes, mais de 1600 começaram a tomar adalimumabe (Humira), quase 2.700 tomaram etanercept (Enbrel), e mais de 2000 começaram o tratamento com infliximab (Remicade). Durante o estudo de cinco anos, 211 dos pacientes morreram. No entanto, os pesquisadores não encontraram nenhuma diferença nas taxas de mortalidade entre as três drogas ".

    Efeitos colaterais potencialmente graves causados por estes medicamentos incluem infecções e câncer. Com riscos como esses, talvez seja hora de experimentar métodos mais naturais e holísticos de prevenção e tratamento desta doença dolorosa.

Primeiro, Foque em sua Dieta (Alimentação)

    Eu tratei pessoalmente mais de 3.000 pacientes com artrite reumatoide em minha prática, que é bem mais de 10 vezes o que um típico médico de família  trataria em toda a sua carreira. Portanto, tenho bastante experiência nisso. Meu protocolo de tratamento da artrite reumatoide tem ajudado milhares de pacientes com AR a entrarem em remissão, e um dos principais fatores que melhoraram drasticamente a taxa de resposta foi a modificação da dieta.
    Não consigo enfatizar o quão importante é este aspecto do programa. É um componente essencial do protocolo de AR. Seguindo essas orientações gerais, você terá grandes chances de reduzir drasticamente o risco de desenvolver qualquer tipo de problema relacionado à inflamação crônica:

  •         Eliminar o açúcar / frutose e a maioria dos grãos
  •         Otimizar sua flora intestinal com o uso de vegetais fermentados de alta potência e / ou probióticos fermentados
  •         Comer, alimentos in-natura de alta qualidade, orgânicos e cultivados localmente, se possível
  •         Comer sua comida, o máximo que puder, crua
  •         Consumir bastante gordura animal de alta qualidade, como ômega-3, especialmente o óleo de krill
Uma Nova Abordagem para o Tratamento da AR com uma probabilidade de 60-90 por Cento de Melhoria

    No curso natural da artrite reumatoide (AR) é notável em que menos do que um por cento dos doentes com AR tem uma remissão espontânea. Algumas deficiências ocorrem em 50-70 por cento das pessoas no prazo de cinco anos após o início da doença, e metade parará de trabalhar dentro de 10 anos.
    Este prognóstico devastador é o que torna esta nova forma de tratamento tão emocionante, já que tem uma  probabilidade muito maior de sucesso do que a abordagem convencional.
    Meu tratamento original de AR foi baseado em um protocolo desenvolvido por um antigo, mas bem respeitado reumatologista, Dr. Thomas Brown. Ele morreu em 1989, logo depois de que eu comecei a usar a abordagem dele. A primeira vez que ouvi falar sobre o protocolo do doutor Brown, que focava na eliminação de micoplasma com o uso de antibióticos, em 1989, quando o vi na ABC 20/20. Isto foi logo após o lançamento da primeira edição de seu livro, The Road Back.
    Minha aplicação do protocolo do Dr. Brown mudou significativamente desde que eu comecei a realizá-lo. Inicialmente, seguia rigidamente o trabalho do Dr. Brown com modificações mínimas; a única alteração que tinha feito foi substituir a Tetraciclina por Minocin. Creio que fui um dos primeiros médicos que recomendaram a substituição deste medicamento por Minocin e a maioria das pessoas que usam este protocolo atualmente, usam o Minocin. Depois de ter usado a abordagem com antibiótico nos primeiros 10 anos, foquei-me mais em terapias naturais, por isso o meu programa atual permite um tratamento completamente livre de drogas de AR.
    Conforme aprendi mais sobre a medicina natural, integrei mais desta sabedoria adquirida, começando com a adição do meu plano nutricional. Esta adição por si só, muitas vezes, acelera a taxa de resposta em vários meses. Eu escrevi um artigo sobre o meu protocolo revisado em 1995, o qual apresentei em uma conferência. Desde então, revisei o protocolo por mais duas vezes. A primeira revisão deste documento foi apresentada no vídeo acima. Abaixo, vou discutir as  adições mais recentes.
    Além do plano nutricional, as mais recentes adições ao meu protocolo de AR são:

  • Baixas dose de naltrexona (LDN). É barata e não-tóxica, e tenho uma série de relatórios médicos, documentando uma incrível eficácia em tirar as pessoas de todos seus medicamentos perigosos para artrite, usando uma dose baixa de Naltrexona (LDN).
     A naltrexona é um antagonista opiáceo farmacologicamente ativo, utilizado convencionalmente para tratar a dependência de drogas e álcool - normalmente em doses de 50 mg a 300 mg. Para tal, é um medicamento aprovado pela FDA há mais de duas décadas. No entanto, os investigadores descobriram que em doses muito baixas (3 a 4,5 mg), a naltrexona tem propriedades imunomoduladoras, que podem tratar com sucesso uma ampla variedade de doenças autoimunes, incluindo a artrite reumatoide, a esclerose múltipla (EM), o Mal de Parkinson, a fibromialgia, e a doença de Crohn, apenas citando algumas delas.
        Para uma avaliação mais aprofundada da baixa dose de naltrexona e como ela pode ajudar doentes com AR, consulte este artigo anterior.

Se você toma opiáceos agonistas, tais como Ultram (tramadol), morfina, Percocet, usa o adesivo dérmico Duragesic ou medicamentos contendo codeína, não deve tomar LDN até que tal medicamento esteja completamente fora de seu organismo. Os doentes que fazem substituição do hormônio da tiroide para a tiroidite de Hashimoto, com hipotiroidismo, precisam começar a tomar LDN com uma dose muito menor (1,5 mg, para um adulto), como o LDN pode levar a uma diminuição rápida da doença autoimune, o paciente em pouco tempo deverá precisar de uma redução na dose de substituição do hormônio da tireoide, a fim de evitar sintomas de hipertiroidismo. As pessoas que receberam transplantes de órgãos e que, portanto, estão tomando medicação imunossupressora, a título permanente são advertidas contra o uso de LDN, pois pode agir antagonizando o efeito dessas medicações. Para mais informações sobre a naltrexona em doses baixas, LDNers.org é outro boa fonte (fonte).
  •          A astaxantina, um poderoso antioxidante anti-inflamatório que pode ter benefícios muito poderosos no controle da dor nas articulações. A astaxantina a 4 mg por dia é particularmente importante para qualquer pessoa que toma a prednisona, uma vez que oferece uma proteção potente contra as cataratas e a degeneração macular relacionada com a idade
  •         A vitamina D. A deficiência de vitamina D é fortemente associada com o desenvolvimento da AR. Da minha perspectiva, nos dias de hoje é uma negligência enorme tratar uma pessoa com AR e não monitorar agressivamente seus níveis de vitamina D, para confirmar se eles estão em um intervalo terapêutico de 50-70 ng / ml (no exame de 25-hidroxi vitamina D). Para mais informações, consulte o meu artigo anterior sobre como maximizar com segurança a sua produção de vitamina D através da exposição solar adequada.
  •         Probióticos (bactérias benéficas). Enquanto você certamente pode tomar probióticos alta qualidade, eu também gostaria de fortemente encorajá-lo a comer de 110-170 gramas de vegetais fermentados por dia, que fornecerão cerca de 10 trilhões bactérias benéficas, que são cerca de 10 por cento da população de seu intestino. Idealmente, você deveria consumi-los regularmente, se não, diariamente. A melhor maneira de aprender a prepará-los adequadamente é ler o livro GAPS ou assistir à minha entrevista com Caroline Barringer
  •         Incorporando a prática de exercícios regulares em sua programação diária, especialmente o Programa de Fitness Peak

Fatores associados ao seu Sucesso deste Programa

    Há muitas variáveis associadas a uma maior chance de remissão ou melhoria.

  •         Quanto mais jovem você for, maior a sua chance de melhora
  •         Quanto mais firme você seguir o plano nutricional, é mais provável que você melhore e menos provável que você tenha um surto grave. Eu agora ofereço o Teste de Tipos Nutricionais de graça, então por favor, não ignore este passo essencial
  •        Fumar parece estar associado negativamente com a melhora
  •        Quanto mais tempo você já tiver a doença e quanto mais grave ela for, parece mais difícil de tratá-la.
Alívio da Dor e da Inflamação sem Remédios

    Um dos principais problemas com AR é a controlar a dor. Se isso não for feito, você poderia entrar em um estado depressivo que poderia piorar o seu sistema imunológico e provocar o agravamento da AR. O objetivo é ficar confortável e sem dor o máximo possível com a  quantidade mínima de drogas. Felizmente, existe um grande número de suplementos alimentares, seguros, não tóxicos que podem ser úteis no tratamento da dor da AR:

  •         A curcumina (cúrcuma ou açafrão da terra) em especial, tem sido demonstrada ser eficaz contra a dor aguda e crônica. A curcumina é muito conhecida por suas potentes propriedades anti-inflamatórias. Tem sido demonstrado que a mesma influencia em mais de 700 genes, e pode inibir tanto a atividade excessiva e a síntese da ciclo-oxigenase-2 (COX-2) e 5-lipoxigenase (5-LOX), assim como de outras enzimas que têm sido implicadas na inflamação. Em experiências com ratos, a cúrcuma parece ter bloqueado as vias inflamatórias associadas com a artrite reumatoide.
  •         Um estudo publicado em Abril de 2012 revelou que uma forma altamente biodisponível de curcumina foi mais eficaz no alívio dos sintomas de AR, incluindo a sensibilidade e inchaço das articulações, do que a droga não-esteroidal anti-inflamatória (NSAID), Voltaren. Não só isso, aqueles que estavam tomando só a curcumina, foram os que apresentaram uma melhoria mais significativa que todos os outros.
  •         Boswellia, também conhecida como "incenso indiano" é uma outra erva que descobri ser particularmente útil contra a inflamação da artrite e a dor associada
  •         O gengibre também tem propriedades anti-inflamatórias e pode aliviar a dor. O Gengibre fresco funciona bem quando preparado em água fervente, como um chá ou ralado em suco de vegetais (sucos verdes).
  •         A astaxantina foi demostrada reduzir eficazmente a dor associada à inflamação. Em um estudo, os pacientes com AR apresentaram uma melhoria de 35 por cento na intensidade da dor, bem como uma melhoria de 40 por cento na sua capacidade de realizar atividades diárias após ter tomado astaxantina por apenas oito semanas.
É Realmente Seguro se Exercitar Tendo Artrite Reumatoide?

    A artrite reumatoide tende a afetar as articulações médias, especialmente as mãos e os dedos, o que causa a dor nas articulações, rigidez e deformidades que são uma característica desta doença. Entretanto, a AR não só impacta em suas articulações, mas também leva à diminuição da massa muscular e redução da força que pode ser quase tão debilitante quanto os danos nas articulações.
   Fazendo exercício regular quando você tem AR é crucial para evitar esse tipo de declínio físico.
    Um estudo de 2009 descobriu que pessoas com AR que fizeram o treinamento de força (musculação) durante 24 semanas apresentaram uma melhora desta função em até 30 por cento e de sua força em 120 por cento.
    Dito isto, articulações inflamadas são muito vulneráveis a danos causados por exercícios impróprios, por isso você deve ser cauteloso. Pessoas com artrite devem encontrar um equilíbrio delicado entre o descanso e a atividade física, e devem evitar atividades que agravam a dor nas articulações. Evite qualquer exercício que estique uma articulação bastante instável. Se as articulações estiverem rígidas, alongue e aqueça antes de fazer o exercício. Inchaço das articulações, por outro lado, podem ser tratados com a aplicação de gelo durante 10 minutos antes do exercício.


    Seu programa deve incluir uma série de atividades, assim como eu recomendo para qualquer pessoa que se exercite. O treinamento de força, exercícios de alta intensidade, cardio, alongamento e exercícios de fortalecimento abdominal são todos os elementos importantes para serem integrados em sua rotina. Uma boa regra a seguir é se você sentir dor por mais de uma hora após a sessão de exercícios, deve diminuir a carga ou intensidade ou escolher outro exercício. Os dispositivos de assistência também são úteis para diminuir a pressão sobre as articulações afetadas durante seu treino.

A Importância de Tratar Traumas Emocionais

   Um trauma emocional duradouro é muito comum em pessoas com AR. A grande maioria dos pacientes que tratei, algum tipo de trauma emocional ocorreu no início da vida deles, antes da idade que a consciência estivesse formada, que normalmente acontece em torno da idade de cinco ou seis anos. No entanto, um trauma pode ocorrer em qualquer idade, e tem um impacto negativo profundo. Se esse problema emocional específico não for abordado com uma modalidade de tratamento eficaz, então o gatilho emocional subjacente continuará a supurar, permitindo que o processo destrutivo continue, o que pode predispor você a doenças autoimunes graves como a AR, mais tarde em sua vida.
    Em alguns casos, a AR parece ser desencadeada por uma infecção, e em minha experiência, esta infecção é geralmente adquirida quando você passa por um evento estressante que provoca uma ruptura em seus circuitos bioelétricos, que, em seguida, prejudica o sistema imunológico. Este trauma emocional precoce o predispõe ao desenvolvimento da infecção inicial, e também contribui para a sua relativa incapacidade de combater efetivamente esta infecção. Portanto, é muito importante ter um meio eficaz para resolver esses traumas emocionais subjacentes.
    Na minha prática, a forma mais comum de tratamento utilizado é a técnica de libertação emocional (EFT). Embora o EFT seja algo que você possa aprender a fazer no conforto da sua própria casa, é importante consultar um profissional bem treinado para obter as orientações necessárias para promover a cura adequada utilizando esta incrível ferramenta.

Conclusão
    Para saber minhas recomendações completas sobre como tratar a artrite reumatoide naturalmente, por favor, reveja o meu protocolo para a artrite reumatoide.
    Não há dúvidas em minha mente que este protocolo, resumido acima, seja altamente eficaz para o tratamento da artrite autoimune, como da artrite reumatoide. Encorajo fortemente que qualquer pessoa que tenha esta doença, adote este programa para ajudar a prevenir as consequências quase inevitáveis que são o resultado de se tratar com um reumatologista convencional. Na minha experiência, eles têm muito pouco a oferecer, exceto drogas (medicamentos) perigosas que apenas aliviam os sintomas e não fazem nada para tratar a causa subjacente da doença, que continua a destruir o corpo e a causar deformidades articulares incapacitantes.


Fontes:

http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2012/09/27/new-rheumatoid-arthritis-drugs.aspx

https://www.google.com.br/search?q=iroidite+de+Hashimoto&ie=utf-8&oe=utf-8&gws_rd=cr&ei=Jk-fVfyUMozAwASl7q64DA