Tranduza (Translate)

Mostrando postagens com marcador Alergias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Alergias. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Como Lidar com os Sintomas Alérgicos e da Asma

Asma
Por Dr. Mercola

Como e Por Que Alergias se Desenvolvem?

Alergias são uma reação do organismo contra alergênicos (partículas que o organismo considera estranhas), sinal de que o sistema imunológico está trabalhando demais.  A primeira vez que o organismo enfrentar um alergênico, as células plasmáticas liberarão IgE (imunoglobulina E), um anticorpo específico para aquele alergênico. A IgE liga-se à superfície dos matócitos.
Os matócitos são encontrados em grande número nos tecidos de superfície (ou seja, aqueles próximos do meio ambiente externo, tais como a pele e as membranas mucosas do nariz), onde eles ajudam na intermediação das respostas inflamatórias.  Os matócitos liberam uma série de mediadores químicos importantes, sendo a histamina um deles.
Portanto, na segunda vez que o organismo enfrentar um alergênico em particular, dentro de poucos minutos, os matócitos ficarão ativos e liberarão um coquetel poderoso de histaminas, leucotrienos e prostaglandinas, os quais dispararão uma cascata de sintomas associadas a alergias: espirros, prurido no nariz, garganta inflamada, tosse curta e seca, irritação nos olhos, etc.
A histamina pode fazer com que as vias aéreas fiquem constringidas, como acontece na asma, ou fazer com que os vasos sanguíneos fiquem mais permeáveis, levando ao vazamento de fluido ou urticária. Os leucotrienos causam hipersecreção do muco, a qual você geralmente sente como prurido no nariz ou aumento de catarro.
O pólen é um ativador dos mastócitos extremamente comum, porém outros agentes podem igualmente disparar estes processos. Esporos de fungos, poeira, contaminantes do ar, ácaros domésticos, pelos de animais de estimação, baratas, produtos químicos ambientais, produtos de limpeza, produtos de higiene pessoal e alimentos, todos podem causar reações alérgicas.
Cada pessoa é diferente no que diz respeito à reação que desenvolverá contra determinados produtos. E, só porque você não teve reação a algum produto no passado, não significa que não vá ter reação a ele no futuro – você pode tornar-se sensível a qualquer produto a qualquer momento.

Alergias Podem Igualmente Ocorrer Devido à Síndrome do Intestino Permeável

Intestino permeável é uma condição ocorrida devido ao desenvolvimento de lacunas entre as células (enterócitos) que constituem a membrana que reveste a parede intestinal. Estas pequenas lacunas permitem que substâncias como alimentos não digeridos, bactérias e resíduos metabólicos, que deveriam estar confinados no trato digestivo, escapem para a corrente sanguínea – daí o nome síndrome do intestino permeável.
Uma vez que a integridade do revestimento intestinal está comprometida e ocorre um fluxo de substâncias tóxicas “vazando” para a corrente sanguínea, o organismo experimenta um aumento significante de inflamações.
Além da associação com doenças inflamatórias intestinais, como Crohn e colite ulcerativa, ou doença celíaca, o intestino permeável pode igualmente ser um fator contribuinte para alergias.
De acordo com um número crescente de especialistas, incluindo o Dr. Loren Cordain, professor da Universidade do Estado do Colorado e especialista em estilos de vida do Paleolítico, humanos NÃO foram projetados para consumir grãos e consumi-los pode, na verdade, danificar o intestino. O problema não é apenas a existência de outras fontes superiores de nutrientes; os grãos podem realmente conter antinutrientes que podem danificar o intestino.
Rachaduras na parede intestinal podem, então, permitir que proteínas não digeridas entrem na corrente sanguínea. Estas substâncias altamente complexas são antigênicas e alergênicas, o que significa que elas estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos contra elas. Isto é o que estabelece o cenário para a ocorrência de alergias e outros distúrbios autoimunes.
"Cicatrizar e selar" o intestino tem demonstrado ajudar a aliviar os sintomas alérgicos. A chave é a mudança na dieta, eliminado alimentos ofensivos, tais como grãos e alimentos processados, e introduzindo alimentos mais saudáveis que promovam equilíbrio adequado de bactérias no intestino. Para restaurar a saúde do intestino e evitar a ocorrência de intestino permeável, o consumo de alimentos tradicionalmente fermentados é essencial.

Tratamentos Alternativos para Alergias que Podem Funcionar

  • Consumir mel produzido localmente: De acordo com a ABC News, as opiniões foram basicamente negativas com relação a esta estratégia. Porém, eles reconhecem os resultados positivos coletados em um estudo realizado em 2011, o que concluiu que pacientes diagnosticados com alergia ao pólen da bétula conseguiram alívio bastante significativo quando consumiram mel do pólen da bétula, diariamente, de novembro a março.
  • Durante a estação do pólen da bétula, comparando com o grupo de controle, pacientes que consumiram mel experimentaram uma redução de 60 por cento nos sintomas; duas vezes o número de dias assintomáticos; redução de 70 por cento em dias com sintomas graves e 50 por cento de redução no uso de anti-histamínicos.
  • Lavar a cavidade nasal com um pote neti: Esta estratégia é amplamente recomendada, até mesmo pela Academia Americana de Alergias, Asma e Imunologia. A irrigação dos seios nasais ajudará a expulsar o pólen e outros agentes irritantes, ajudando na facilidade da respiração.
  • Acupuntura: Talvez surpreendente para muitas pessoas, a acupuntura tem mostrado oferecer alívio eficaz aos sintomas de alergias. Um estudo publicado no início deste ano concluiu que as pessoas que fizeram tratamento semanal com acupuntura tiveram significativamente menos problemas de respiração se comparadas àquelas que não fizeram acupuntura.
  • No entanto, o efeito só durava se elas mantivessem o tratamento. Ainda assim, esta poderia ser uma opção viável para os sofredores de alergias sazonais dispostos levarem a picadas de agulhas uma vez por semana durante o pior momento da contagem de pólen.
  • Comer “direito”: Alimentos geneticamente modificados (GM), dominantes na dieta Americana, têm mostrado serem causadores de alergias alimentares. Igualmente com relação a vários aditivos. Uma pesquisa realizada recentemente concluiu que consumir junk food aumenta o risco de desenvolvimento de asma e alergias em crianças, portanto, certamente, evitar tais alimentos pode, no mínimo, reduzir este risco.
  • Estima-se que 80 por cento do sistema imunológico esteja localizado no intestino, portanto o sustento da saúde digestiva é essencial para o sustento do sistema imunológico, que é o sistema primário de defesa contra TODAS as doenças. Alimentos processados, ingredientes GM e aditivos sintéticos, todos dizimam as bactérias benéfica do intestino, promovendo, dessa forma, um efeito negativo sobre o sistema imunológico.
    Idealmente, você deve evitar alimentos processados, focando em alimentos orgânicos, produzidos localmente (ambos para aprimorar seu sistema nutricional e evitar pesticidas), e incluindo alimentos fermentados na dieta para aprimorar a flora intestinal, ou usar suplementos probióticos de alta qualidade.

O ‘Tratamento’ MAIS Importante para Alergias ao Qual Você Precisa Prestar Atenção

Da mesma forma que acredito que você certamente deva cuidar de sua dieta e poderia tentar as estratégias alternativas supracitadas, se você sofre de asma, melhorar os níveis de vitamina D é absolutamente crucial. De fato, uma pesquisa sugere que a deficiência de vitamina D pode ser uma causa primária de asma.
Isto significa que muitos sofrem desnecessariamente com um distúrbio potencialmente ameaçador à vida, uma vez que a deficiência de vitamina D pode ser facilmente solucionada. Idealmente, você deve adquirir vitamina D através da exposição segura ao sol. Lembre-se de que o uso de protetor solar efetivamente bloqueia a produção de qualquer quantidade de vitamina D.
Outra alternativa é usar uma cama de bronzeamento segura, ou, se nenhuma destas alternativas estiver disponível, suplemento de vitamina D via oral. Se você optar pelo suplemento de vitamina D, você deve igualmente aumentar o nível de vitamina K2.

Indução da Neutralização do Tratamento para Alergia

Lidar com alergias envolve uma abordagem multifacetada que, por sua vez, envolve o aprimoramento da dieta, da saúde intestinal, dos níveis de vitamina D e prevenção contra acionadores potenciais. Tipicamente, pessoas que sofrem com alergias tendem a armar-se com uma série de pílulas anti-histamínicas, sprays para o nariz e colírios, antecipando-se à estação das alergias.
Porém, estes tratamentos com medicamentos trazem seus próprios conjuntos de efeitos colaterais, e o alívio acaba não durando o suficiente. E a minha experiência diz que testes convencionais de alergias, sejam realizados através do sangue ou da pele, funcionam apenas para 20 a 30 por cento dos pacientes.
Testes de neutralização da alergia por indução e tratamentos oferecem a vários sofredores de alergias alívio permanente sem efeitos colaterais adversos. A taxa de sucesso desta abordagem é de 80 a 90 por cento e você pode fazer o tratamento em casa.
A indução refere-se a “provocar uma alteração” e a neutralização refere-se a “neutralizar a reação causada pela indução”. Durante o processo indução-neutralização, uma pequena quantidade de alergênicos é injetada sob a pele para produzir um pequeno inchaço chamado “pápula” nas camadas superiores da pele e, então, a reação deste procedimento é monitorada.
Se você tiver reação positiva, como fadiga, dor de cabeça ou crescimento no tamanho da pápula, então o alergênico é neutralizado com injeções diluídas ou com gotas do mesmo alergênico que são colocadas na boca. Se você quiser realizar o teste de neutralização por indução, a Academia Americana de Medicina Ambiental (AAEM) possui uma lista de médicos e consultórios treinados nesta técnica altamente eficaz e recomendada.

Imunoterapia Sublingual para Asma e Alergias

"Dessensibilizar uma pessoa contra alergias geralmente envolve uma série de injeções de pequenas quantidades de alergênicos, porém uma ampla revisão de estudos realizados concluiu que colocar alergênicos sob a língua em solução com água pode funcionar tão bem quanto," reportou recentemente o New York Times .
Uma meta-análise de 63 ensaios controlados aleatoriamente, envolvendo mais de 5.130 pacientes com idades entre 4 e 74 anos, encontrou fortes evidências de que a imunoterapia sublingual melhorou os sintomas da asma causados pela grama, pelo pólen de árvores, ácaros domésticos, tasneira e outras substâncias.
O tratamento produziu mais de 40 por cento de melhora nos sintomas comparando com placebo e levou à redução significante do uso de medicamentos contra asma. Interessantemente, a técnica de Neutralização por Indução, descrita acima, igualmente usou tratamentos sublinguais contra alergias por várias décadas.
A revisão publicada no The Journal of the American Medical Association (Revista da Associação Médica Americana) também encontrou evidências moderadas com relação à redução do nariz escorrendo e inflamação dos olhos promovida pelo tratamento oral. Reações locais foram comuns, porém nenhum efeito colateral ameaçador à vida, como por exemplo, anafilaxia, foi reportado.
De acordo com o Dr. Daniel Moore, as gotas contra alergias usadas na imunoterapia sublingual (ITSL) são administradas diariamente ou, às vezes, semanalmente, por um período de anos.

Estratégias Adicionais Seguras e Eficazes para o Tratamento de Alergias e Asma

  • Aumento do consumo de gorduras ômega-3 de base animal – Não posso enfatizar suficientemente a importância da introdução de quantidades suficientes de gordura ômega-3 de base animal de alta qualidade na dieta. As gorduras DHA e EPA encontradas no óleo de krill são potentes anti-inflamatórios.
  • Redução do consumo de gordura ômega-6 – Além da adição de gorduras ômega-3 na dieta, você deve igualmente reduzir a quantidade de gorduras ômega-6 que consome porque a proporção entre estes dois tipos de gordura é muito importante. Se você consome alimentos processados diariamente, o equilíbrio entre as gorduras ômega-3 e ômega-6 ficará distorcido, podendo causar o tipo de inflamação que leva à asma.
  • Vegetais fermentados e/ou probióticos: Em um estudo realizado em 2008, pesquisadores descobriram que pessoas que consumiram probióticos durante a estação das alergias, apresentaram menores níveis de um anticorpo que disparava os sintomas de alergia. Elas igualmente apresentaram maiores níveis de um anticorpo diferente (IgG), o qual acredita-se que desempenha papel protetor contra reações alérgicas. Outros pesquisadores encontraram evidências de que o fornecimento de probióticos a recém nascidos e a futuras mães pode ajudar na prevenção de alergias em crianças.
  • Evite produtos lácteos pasteurizados, que notoriamente aumentam o catarro e pioram a asma.
  • Faça exercícios regularmente – Exercícios (especialmente ao ar livre se você for asmático) são, na verdade, cruciais, uma vez que ajudam a moderar os níveis de insulina.
Abaixo há uma lista de outros alimentos e ervas que você talvez queira experimentar:
  • Pimentas vermelhas: Pimenta malagueta, rábano e mostarda picante funcionam como descongestionantes naturais. De fato, um spray nasal que continha capsaicina (derivada de pimentas) significativamente reduziu os sintomas de alergia nasal em um estudo realizado em 2009.
  • Quercetina: A quercetina é um antioxidante pertencente ao grupo de substâncias vegetais solúveis em água chamadas flavonoides. Embora a pesquisa esteja incompleta, muitos acreditam que alimentos ricos em quercetina (como maçãs, bagas, uvas vermelhas, cebolas vermelhas, alcaparras e chá preto) evitam a liberação de histamina – portanto, são “anti-histamínicos naturais”.  A quercetina também está disponível na forma de suplemento – uma dose típica para rinite alérgica seria entre 200 a 400 mg por dia.
  • Petasites (Petasiteshybridus): Outro anti-histamínico natural, esta erva tem sido usada desde os tempos antigos para o tratamento de várias condições. No século XVII, a petasites era usada para o tratamento de tosse, asma e feridas dérmicas.
  • Pesquisadores têm, desde então, identificado os compostos da petasites que ajudam na redução dos sintomas da asma inibindo os leucotrienos e as histaminas, responsáveis pelo agravamento dos sintomas da asma. Em um estudo realizado na Alemanha, 40 por cento dos pacientes que consumiram extrato da raiz de petasites foram capazes de reduzir o consumo dos tradicionais medicamentos contra asma. Um estudo Inglês concluiu que a petasites é tão eficaz quanto o medicamento Zyrtec.
    No entanto, uma palavra de atenção é necessária. A petasites é um membro da família da tasneira, portanto, se você for alérgico (a) a tasneira, calêndula, margarida ou crisântemo, você não deve usar a petasites. Igualmente, a erva CRUA não deve ser usada, pois contém substâncias denominadas alcalóides de pirrolizidina que podem ser tóxicas para o fígado e para os rins e podem causar câncer. Produtos comerciais contendo petasites tiveram vários destes alcaloides retirados de sua composição.
  • Hidraste-do-Canadá (Hydrastiscanadensis): O hidraste-do-Canadá pode ser útil contra alergias sazonais. Estudos realizados em laboratório sugerem que a berberina, ingrediente ativo do hidraste-do-Canadá, possui propriedades antibacterianas e melhoradoras do sistema imunológico.
  • Óleo de eucalipto: Este óleo puro essencial pode ser cicatrizante de membranas mucosas. Você pode aplicar uma gota dele em uma bola de algodão e inalá-lo várias vezes ao dia, adicionar algumas gotas em água (ou em um nebulizador, se você tiver um) para tratamento a vapor, ou usar algumas gotas dele em seu banho. 
 
Fonte:
 

sábado, 29 de agosto de 2015

Aditivos Alimentares Nocivos a Serem Evitados

Artigo do PROTESTE de agosto de 2009.

Durante o processo de fabricação, alguns alimentos recebem propositalmente certos tipos de aditivos com objetivo de realçar suas características sensoriais (aroma, cor e sabor) e aumentar o tempo de vida do produto. Como esses aditivos não têm propósito nutricional, especialistas se questionam se vale realmente a pena adicioná-los, uma vez que o consumo diário pode trazer riscos toxicológicos, como alergias, irritação estomacal e hiperatividade.

Eles estão em biscoitos, cereais matinais, refrigerantes, gelatinas, sucos artificiais, balas e mais uma gama de outros alimentos que estão na dieta diária dos brasileiros, principalmente das crianças. Por isso, cuidado com o que você come. Para ajuda-lo a não consumir esses ingredientes em excesso, selecionamos 34 alimentos, facilmente acessíveis em supermercados pelo Brasil, que possuem aditivos em sua composição.

Alimentos com aditivos que devem ser evitados:

Alimentos com aditivos que devem ser consumidos com atenção:

Aditivos: alimentos que devem ser consumidos com atenção

Quanto mais colorido, industrializado ou elaborado for um produto, maiores serão as probabilidades de que contenha numerosos aditivos. É o caso de produtos de confeitaria, aperitivos, refrigerantes, refeições prontas, molhos, condimentos, sopas desidratadas e embutidos.


6 conselhos para evitar o consumo de substâncias nocivas
  1. Evite ao máximo os alimentos dos quadros anteriores.
  2. Leia o rótulo e escolha os produtos com menos aditivos.
  3. Não se deixe influenciar pela publicidade.
  4. Prefira alimentos in-natura, menos industrializados ou processados.
  5. Evite o consumo de produtos alimentícios (industrializados), especialmente aqueles com cores muito vivas.
  6. Evite alimentos transgênicos, com o símbolo T, conforme abaixo (a grande maioria dos alimentos com soja, milho e óleo canola) com exceção dos alimentos orgânicos.
Você mesmo pode identificar esses alimentos. Para isso, consulte a lista de aditivos abaixo, leve-a junto quando for às compras e procure por eles na lista de ingredientes nos rótulos dos produtos. É possível baixar a lista pelo celular, enquanto estiver no mercado.

Veja também o Guia dos Doze Piores Aditivos Alimentares pelo EWG

A seguir, você encontra a lista com aditivos mais comuns. Fique atento aos que você deve evitar (em vermelho) e aos que podem causar reações alérgicas ().
Não faça suas compras sem consultar esta lista. Basta imprimir!

Agentes de textura
INS 406 - Agar-agar
INS 407 - Carragenina
INS 412 - Goma de Guar
INS 432 - Polisorbato 20
INS 433 - Polisorbato 80
INS 520 - Sulfato de alumínio

Intensificadores de sabor
INS 620 - Ácido glutâmico
INS 621 - Glutamato monossódico
INS 628 - Guanilato de potássio
INS 631 - Inosinato dissódico

Corantes
INS 102 - Tartrazina
INS 110 - Amarelo crepúsculo
INS 120 - Cochonilha
INS 124 - Vermelho Ponceau 4R
INS 127 - Eritrosina
INS 150A - Caramelo 
INS 171 - Dióxido de Titânio
o!
Conservantes
INS 200 - Ácido sórbico
INS 210 - Ácido benzóico
INS 211 - Benzoato de sódio
INS 220 - Dióxido de enxofre
INS 249 - Nitrito de potássio
INS 250 - Nitrito de sódio
INS 251 - Nitrato de sódio
INS 252 - Nitrato de potássio
INS 284 - Ácido Bórico

Antioxidante e reguladores de acidez
INS 320 - Butil-hidroxianisolo (BHA)
INS 321 - Butil-hidroxitolueno (BHT)
INS 322 - Lecitinas
INS 338 - Ácido fosfórico
INS 341 - Fosfato de cálcio
INS 249 - Nitrito de potássio
INS 250 - Nitrito de sódio
INS 251 - Nitrato de sódio
INS 252 - Nitrato de potássio
INS 284 - Ácido Bórico
INS 330 - Ácido Cítrico

Fontes:

domingo, 30 de novembro de 2014

EWG Lança o Guia dos Doze Piores Aditivos Alimentares

Avoid Food Additives

Tradução do artigo de 26 de Novembro de 2014 do Dr. Mercola.

Evite Aditivos Alimentares

Quando você come alimentos processados, pode praticamente garantir que também esteja consumindo uma quantidade de aditivos alimentares questionáveis. Mais de 10.000 desses aditivos são permitidos nos alimentos, quando você leva em conta os que são adicionados diretamente ao seu alimento, assim como os contidos na embalagem deles (que podem migrar para o seu alimento). 

Os aditivos são usados no processamento de alimentos para retardar a deterioração, evitar que gorduras e óleos fiquem rançosos, impedir que frutas escureçam, e fortificar ou enriquecer a alimentos com vitaminas e minerais sintéticos para substituir os naturais que foram perdidos durante o processamento. 


Eles também são adicionados para melhorar o sabor, textura e aparência, pois sem alguma ajuda artificial, muitos alimentos processados seriam tão sem graça e sem gosto como o papelão.


Infelizmente, muitos desses aditivos têm sido associados a problemas de saúde, enquanto a outros foi concedido o status"Geralmente Reconhecido como Seguro" (GRAS) sem avaliação de pré-mercado ou aprovação. Como o Environmental Working Group (Grupo de Trabalho do Meio-Ambiente - EWG) relatou: 


"Este sistema faz sentido para aditivos benignos, como pimenta e manjericão, mas há enormes brechas que permitem que os aditivos de segurança questionável sejam listados como GRAS.
Os fabricantes podem decidir se estes compostos são seguros, sem qualquer fiscalização por parte da Food and Drug Administration [FDA] - e em alguns casos, obter o status GRAS sem precisar contatar a FDA".

Os 12 Piores Aditivos Alimentares que Devem ser Evitados
Para ajudá-lo a classificar os compostos questionáveis nos rótulos dos alimentos, EWG lançou o Guia Dozen Dirty to Food Additives (dos Doze Piores Aditivos Alimentares).1 Ele inclui aditivos já ligados a questões de saúde, aqueles que foram proibidos ou restritos em outros países, e substâncias que simplesmente não deveriam estar em alimentos.

 1. Nitritos e Nitratos 


Nitrito de sódio é um conservante sintético adicionado a carnes como salsichas e frios para ajudá-los a manter o cor-de-rosa agradável. O problema é que, na presença de calor - especialmente em altas temperaturas - e os nitritos podem se combinar com aminas em carnes processadas e formar nitrosaminas, e estas são cancerígenas. As nitrosaminas infligem dano celular e têm sido associadas ao câncer, normalmente o de cólon, bexiga, estômago, ou pâncreas. 2 O Escritório de Avaliação de Risco de Saúde Ambiental da Califórnia está atualmente considerando listar o nitrito em combinação com aminas como um conhecido agente cancerígeno. Os nitratos estão presentes em muitos vegetais, como a beterraba, aipo, alface, espinafre, e a maioria dos outros vegetais de folhas verdes, e isso tem levado a alguma confusão. Os nitritos e nitratos não são inerentemente ruins para você, na verdade, eles são os precursores do óxido nítrico (NO), o que reduz a pressão arterial e exerce efeitos anti-inflamatórios leves. Lembre-se, é a formação de nitrosaminas, que é perigosa. Carnes processadas são muito mais propensas à formação de nitrosaminas do que os vegetais, devido a possuírem quantidades mais elevadas de aminas e serem processadas com calor intenso.3


2. Bromato de Potássio 

 Você pode não estar ciente disso, mas quase todas as vezes que você comer pão em um restaurante ou consumir um hambúrguer ou hotdog você está consumindo brometo, um produto químico de desregulação endócrina comumente usado em farinhas. O uso de bromato de potássio como aditivo na pães comerciais e produtos de panificação tem sido um grande contribuinte para a sobrecarga de brometo nas culturas ocidentais. 

Farinhas bromadas são "enriquecidas" com bromato de potássio. Empresas de panificação comercial o utilizam, porque torna a massa mais elástica e mais fácil de fazer o pão. No entanto, Pepperidge Farm e outras empresas de sucesso conseguem usar somente farinha sem bromato sem quaisquer destes chamados "problemas estruturais".

Estudos têm relacionado o bromato de potássio à danos nos rins, no sistema nervoso, problemas de tireoide, desconforto gastrointestinal e câncer. The International Agency for Research on Cancer (A Agência Internacional para Pesquisa do Câncer) classifica bromato de potássio como um possível agente cancerígeno. Bromato de potássio é proibido para uso alimentar no Canadá, China, e da União Europeia (UE).

3. Propilparabeno

Propilparabeno é um produto químico de desregulação endócrina usado como conservante de alimentos. É comumente encontrado em tortillas, muffins, e corantes alimentares e também pode contaminar os alimentos via embalagem.

A pesquisa mostrou que 91 por cento dos americanos têm propilparabeno em sua urina, e os testes em bebidas, produtos lácteos, carne e vegetais encontraram o produto químico em cerca de metade das amostras.4

Propilparabeno tem atividade estrogênica fraca, o que o torna relevante quando se trata de cânceres sensíveis ao estrogênio, como o de mama. Esta substância acelera o crescimento de células de câncer de mama, prejudica a fertilidade em mulheres, e reduz a contagem de esperma e níveis de testosterona .5

 

4. Butilhidroxianisol (BHA)

Butilhidroxianisol (BHA) é um conservante que afeta o sistema neurológico do seu cérebro, altera o comportamento, e tem o potencial de causar câncer. Ela pode ser encontrada em cereais matinais, mixes de oleaginosas, goma de mascar, manteiga , carne, batatas desidratadas, pipocas, batatas fritas, e cerveja, só para citar alguns.

BHA é conhecido por causar câncer em ratos, e pode ser um agente causador de câncer em seres humanos também. De acordo com o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, o Relatório do Programa Nacional de Toxicologia em Carcinógenos de
2011, o BHA "razoavelmente previsto como um carcinógeno humano."

A agência de câncer internacional o classifica como um possível carcinógeno humano, e está listado como um conhecido agente cancerígeno sob a Proposição 65 da Califórnia.

BHA também podem desencadear reações alérgicas e hiperatividade. BHA é proibido em alimentos infantis no Reino Unido e é banido do uso em todos os alimentos em certas partes da União Europeia e no Japão. Nos EUA, a FDA considera o BHA um aditivo GRAS.

5.
Butilhidroxitolueno (BHT)

BHT é quimicamente semelhante ao BHA e os dois conservantes são muitas vezes utilizados em conjunto. Enquanto o BHT não é considerado um agente cancerígeno como BHA, que tem sido associado ao desenvolvimento de tumores em animais.

Também foi ligado a efeitos no desenvolvimento e as alterações da tireoide em estudos com animais, o que sugere que pode ser um produto químico de desregulação endócrina. Nos EUA, o BHT possui o status de GRAS.

6. Propil Galato


 Propil Galato é um conservante usado para evitar que gorduras e óleos estraguem. É encontrado frequentemente em salsicha, pizzas congeladas, e outros alimentos processados que contenham gorduras comestíveis. O Programa Nacional de Toxicologia relatou que o Propil Galato está associado com tumores, incluindo tumores cerebrais raros, em ratos. EWG também relatou: 6 

"A opinião 2014 da European Food Safety Authority (Autoridade Europeia de Segurança dos Alimentos) concluiu que os estudos de reprodução disponíveis do Propil Galato estão desatualizados e com descrição pobre. Além disso, há dados incompletos sobre se o Propil Galato é um disruptor endócrino; algumas evidências sugerem que pode ter uma atividade estrogênica. " 

7. A Teobromina 

A teobromina é um alcaloide encontrado no chocolate. Tem efeitos similares à cafeína, e é a razão pela qual o chocolate é tão altamente tóxico para os cães. Em 2010, uma empresa (Theocorp) solicitou que a FDA concedesse o status de GRAS a teobromina para que pudesse ser adicionada ao pão, cereais, bebidas esportivas, e outros alimentos. A FDA levantou várias questões importantes, incluindo se os efeitos reprodutivos e de desenvolvimento observados em animais expostos a teobromina seria aplicável a seres humanos.

Eles também estimaram que o consumo humano poderia ser até cinco vezes maior do que a empresa havia avaliado como seguro. A empresa retirou seu pedido de GRAS, mas de qualquer maneira, mais tarde o status de GRAS foi concedido, e agora é usado em alimentos como EWG relatou "fora da supervisão da FDA.": 7
 

"A teobromina é apenas um exemplo de uma das enormes lacunas no processo de notificação voluntária de GRAS da FDA. A indústria de aditivos alimentares tem permissão de designar uma substância como GRAS, mesmo sem notificar a agência, contando apenas com a 'painéis de especialistas'. "A solicitação da Theocorp levantou questões importantes para os cientistas da FDA sobre a segurança do aditivo (alimentar). Em vez de enfrentá-los, a empresa retirou o pedido, e a designação GRAS foi realizada mais tarde, sem a aprovação da FDA. Em alguns casos, as empresas renunciam o processo de notificação da FDA por completo. "

 8. Aromatizantes Naturais e Artificiais

 O que é particularmente alarmante quando você vê uma palavra como "sabor artificial" ou mesmo "sabor natural" em um rótulo de ingredientes é que não há nenhuma maneira de saber o que ele realmente significa. Isso pode significar que um aditivo não natural está incluído, ou pode ser uma mistura de centenas de aditivos. Sabor artificial de morango pode conter cerca de 50 ingredientes químicos, por exemplo.8

 A maioria das pessoas acha que um sabor natural descreve algo como morangos, alho, pimenta  utilizados para temperar alimentos naturalmente. Na realidade, a maioria dos sabores naturais são criados em laboratório, assim como sabores artificiais. A única diferença é que os sabores naturais devem ser originados a partir de um produto natural, enquanto sabores artificiais não. De acordo com o Código de Regulamentos Federais: 9


"O termo sabor natural ou aroma natural significa que o óleo essencial, óleo-resina, essência ou extrativo, hidrolisado de proteínas, de destilado, ou qualquer produto proveniente de assados, aquecimento ou enzimólise. Estes contêm os constituintes aromatizantes derivados de uma especiaria, suco de frutas ou frutas, vegetais ou suco de vegetais, fungos comestíveis, ervas, casca, raiz, raiz, folha ou material vegetal semelhante, carnes, frutos do mar, aves, ovos, laticínios, produtos derivados da fermentação, cuja função significativa nos alimentos é aromatizante, em vez de nutricional ".

No final, sabores naturais, muitas vezes têm pouca semelhança com o produto natural de onde vieram. Muitas vezes, o produto químico resultante pode ainda ser idêntico aos que foram criados sinteticamente para fazer sabores artificiais, mas será provavelmente mais caro. Alguns aromas naturais ainda contêm propileno glicol, um solvente, o BHA conservante! Intensificadores de sabor geneticamente modificados também podem ser listados sob o sabor artificial (ou sabor natural) no rótulo. Uma exceção é os sabores naturais orgânicos certificados, que devem atender às diretrizes mais rigorosas e não podem conter ingredientes sintéticos geneticamente modificadas.

9. Cores Artificiais


  Todos os anos, os fabricantes de alimentos despejam aproximadamente 7.000.000 de corantes alimentares artificiais em alimentos dos Estados Unidos - e esta quantidade só contêm oito variedades diferentes.10 Em julho de de 2010, a maioria dos alimentos na UE (União Europeia), que contêm corantes alimentares artificiais foram marcados com etiquetas de advertência indicando a comida "pode ter um efeito adverso na atividade e a na atenção das crianças." O governo britânico também pediu que os fabricantes de alimentos removessem a maioria dos corantes artificiais dos alimentos em 2009, devido a problemas de saúde.

Nove dos corantes alimentares atualmente aprovados para uso nos EUA estão ligados a questões de saúde que vão desde o câncer e hiperatividade a alergias- como reações (alérgicas) - e estes resultados foram estudos realizados pela própria indústria química.11 Por exemplo, red # 40 (o corante vermelho # 40), que é o corante mais amplamente utilizado, pode acelerar o aparecimento de tumores do sistema imune em ratos, ao mesmo tempo, desencadear hiperatividade em crianças.

Blue # 2 (
Azul # 2), utilizado em doces, bebidas, alimentos para animais e muito mais, estava ligado a tumores cerebrais. E Yellow 5 (Amarelo 5), usado em assados, doces, cereais, e muito mais, não só pode estar contaminado com vários produtos químicos cancerígenos, mas também está associado à hiperatividade, hipersensibilidade, e outros efeitos comportamentais em crianças. Mesmo a cor caramel (caramelo), que parece tão inofensiva, que é amplamente utilizada em refrigerantes castanhos, podem causar câncer devido ao 4-metilimidazole (4-Mel), um subproduto químico formado quando determinados tipos de corantes caramelo são fabricados.

10. Diacetil

O aromatizante artificial chamado diacetil é frequentemente utilizado como aromatizante da manteiga presente na pipoca de micro-ondas. Também é usado em produtos lácteos, incluindo iogurte e queijo, e existe em alguns "aromas marrons", incluindo os sabores bordo, morango e framboesa . A pesquisa mostra o diacetil tem vários questões preocupantes em relação à saúde do cérebro e pode desencadear a doença de Alzheimer. O diacetil também tem foi associado a danos respiratórios, incluindo a inflamação e cicatrizes permanentes das vias aéreas, em trabalhadores de uma fábrica de pipocas de micro-ondas.12

11. Fosfatos

Fosfatos são adicionados a mais de 20 mil produtos, incluindo fast food, produtos de panificação, e carnes processadas. Eles são usados para reduzir a acidez, melhorar a retenção de umidade e facilitar a fermentação. Os fosfatos têm sido associados a algumas condições preocupantes de saúde, incluindo doenças cardíacas. The European Food Safety Authority (A Autoridade Europeia de Segurança dos Alimentos) está reavaliando a adição de fosfatos ao alimento, mas os resultados de seu estudo não são esperados até o final de 2018.


12. Aditivos de Alumínio

Fosfato de alumínio e sódio, sulfato de alumínio e sódio, muitos outros aditivos de alumínio são encontrados alimentos processados como estabilizadores. Este metal pode se acumular e persistir em seu organismo, especialmente em seus ossos, os estudos em animais mostram alumínio pode causar efeitos neurológicos, incluindo mudanças no comportamento, aprendizagem e resposta motora. A ligação entre o Mal de Alzheimer outras doenças neurodegenerativas e a exposição ao alumínio podem também existir.

O que Acontece quando Você Come Alimentos Processados?


O processamento de alimentos modifica ou remove componentes importantes dos mesmos, como fibras, água e nutrientes, mudando a maneira como eles são digeridos e assimilados em seu organismo. Ao contrário de alimentos integrais, que contêm uma mistura de carboidratos, gorduras, proteínas, fibras e água para ajudá-lo a sentir-se satisfeito, alimentos 
processados estimulam a dopamina, um neurotransmissor relacionado à sensação de bem-estar que faz você se sentir bem, embora a comida seja carente em nutrientes e fibras. Esta estimulação artificial da dopamina pode levar a compulsões alimentares em excesso e, em última instância, o vício em comida.

Alterações de humor, problemas de memória e até depressão são frequentemente o resultado de uma dieta carregada de alimentos p
rocessados. Na verdade, a maior concentração de serotonina, que está envolvida no controle do humor, depressão e agressividade, é encontrada em seu intestino, e não o seu cérebro! Muitos cientistas acreditam que seu intestino é o segundo cérebro e eles trabalham em conjunto, cada um influenciando o outro. Sua saúde intestinal pode ter uma profunda influência sobre sua saúde mental, e vice-versa - por que comer alimentos processados que podem prejudicar sua flora intestinal pode ter um impacto profundamente negativo sobre o seu estado de espírito, saúde e comportamento psicológico.

Além disso, os carboidratos refinados, como cereais matinais, pães, waffles, pretzels, e a maioria dos outros alimentos processados rapidamente quebram a molécula de açúcar. Isso aumenta os níveis de insulina e leptina, e contribui para a resistência aos mesmos, insulina e leptina, que são os fatores primários subjacentes de quase todas as doenças crônicas e condições conhecidas pelo homem, incluindo o ganho de peso. E, porque os alimentos processados são despidos (pobres) de nutrientes que seu organismo precisa, você pode estar ingerindo um grande número de calorias, mas ainda ficar desnutrido. Em apenas três gerações, uma dieta deficiente em nutrientes pode levar à infertilidade, o que está em ascensão nos US (Estados Unidos).13 Além disso, os alimentos processados contêm frequentemente ingredientes geneticamente modificados (GM) que também estão ligados a problemas reprodutivos problemas de saúde adicionais .

A Maneira Mais Fácil de Eliminar os Alimentos Processados de sua Dieta?


Quando se trata de se manter saudável, evitar alimentos processados e substituí-los com alimentos frescos, integrais é o "segredo" que você está procurando. Isso pode parecer assustador, mas se você levá-lo passo a passo, como descrito no meu plano de nutrição é bem possível, e gerenciável, para remover os alimentos processados de sua dieta (alimentação) de forma indolor. Lembre-se, as pessoas têm prosperado com legumes, carnes, ovos, frutas e outros alimentos integrais ao longo dos séculos, enquanto alimentos processados só foram inventados recentemente. Muitos dos altos executivos e cientistas de empresas líderes de alimentos processados, na verdade, evitam os seus próprios alimentos por diversas razões de saúde!

Eu acredito que você também deveriam gastar 90 por cento do seu orçamento (destinados à alimentos) em alimentos integrais, e apenas 10 por cento em alimentos processados (infelizmente a maioria dos americanos atualmente faz o oposto). Isso requer que você planeje suas refeições com antecedência. Idealmente, isto implicará pesquisar mercados de fazendeiros locais para os produtos da época do ano, onde é fixado o preço para venda e você pode planejar suas refeições de acordo, mas também pode usar essa mesma premissa com as vendas dos supermercados. Geralmente você pode planejar uma semana de refeições por vez, verifique se você tem todos os ingredientes necessários em mãos, em seguida, adiante qualquer preparo que puder antes da hora do jantar para que este seja mais fácil de preparar, se você estiver com pouco tempo à noite (pode usar as sobras para almoços no dia seguinte).

Se os desejos são um problema para você, por favor, veja meu artigo sobre como eliminar os desejos de comer junk-food. Uma das estratégias mais eficazes para eliminar a ansiedade pelo açúcar é o jejum intermitente, juntamente com modificações de alimentação que ajudam efetivamente a redefinir o metabolismo do seu organismo a queimar gordura em vez de açúcar como combustível primário. Se o seu desejo por carboidratos está ligados a um problema emocional, uma técnica de acupressão psicológica chamada a Técnica de Liberdade Emocional (Emotional Freedom Technique - EFT) pode ajudá-lo rapidamente a controlar seus desejos emocionais por comida. Se atualmente você está se alimentando com fast food e alimentos 
processados, cortá-los de sua dieta é uma das mudanças mais positivas que você poderia fazer na sua vida. 


Observação minha, Sílen: o bromato de potássio é um aditivo alimentar proibido no Brasil, desde 1970, pela Resolução nº 15/70 e pela Lei nº 10.273 de 2001, porém infelizmente como quase tudo aqui, foi encontrado adicionado à farinha de trigo por inúmeras vezes (fontes: aqui e aqui) quando ocasionalmente fora investigado. 
Também foi proibido o uso dos aditivos Propilparabeno e Propilparabeno de Sódio em alimentos na RESOLUÇÃO-RDC Nº 8, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2008.
Nossa fiscalização tem que melhorar muito, a fim de se fazer cumprir a lei. E a ANVISA deveria seguir a política de segurança alimentar da União Europeia (UE) que é mais exigente. Além disso, tanto a mídia deveria veicular campanhas de educação e de moral, assim como as escolas deveriam fazê-las também, estimulando um comportamento mais honesto da população brasileira.


Fonte:
http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2014/11/26/12-worst-food-additives.aspx