Tranduza (Translate)

domingo, 25 de setembro de 2016

Diabetes Tipo 2: Quase 100% de Cura

Diabetes
Por Dr. Mercola

A maioria dos diabéticos encontra-se em um buraco escuro de desamparo, sem nenhuma ideia sobre como reverter seu problema. A maior preocupação é que mais da metade das pessoas com diabetes tipo 2 NEM sabem que têm diabetes — e 90% das que têm um problema chamado pré-diabetes também não sabem da sua situação.

 

Diabetes tipo 1 e dependência da insulina


Também conhecido como diabetes mellitus, o diabetes tipo 1 é um problema de saúde crônico caracterizado por níveis elevados de glicose no sangue, geralmente chamado de "nível alto de açúcar no sangue".

O diabetes tipo 1, apelidado de "diabetes juvenil", é um tipo relativamente raro. Ele ocorre em pessoas com menos de 20 anos e não tem nenhuma cura conhecida.
O que mais preocupa sobre o diabetes juvenil é que esses números têm crescido continuamente, juntamente com o diabetes tipo 2. Em jovens brancos não hispânicos de 10 a 14 anos, as taxas aumentaram 24% nas últimas décadas.
Mas isso foi ainda maior em crianças negras, a taxa aumentou 200%! E, segundo estudos recentes, esses números devem duplicar até 2020 em todos os jovens.

No diabetes tipo 1, o próprio sistema imunológico destrói as células do pâncreas que produzem insulina. O resultado é a perda do hormônio insulina. Os diabéticos tipo 1 precisam receber suplemento de insulina pelo resto de suas vidas, caso contrário, a morte virá rapidamente. Atualmente, além do transplante de pâncreas, não há nenhuma cura conhecida para o diabetes tipo 1.

 

Diabetes tipo 2: quase 100% de cura


O tipo de diabetes mais comum é o tipo 2, que afeta 90 a 95% dos diabéticos. Neste tipo, seu corpo produz insulina mas não consegue reconhecer e usá-la adequadamente. É considerado um estágio avançado de resistência à insulina. A resistência à insulina permite que a glicose no seu corpo aumente e cause diversas complicações.

Os sinais do diabetes podem estar todos ali, mas o fato geralmente ignorado é que o diabetes tipo 2 pode ser totalmente prevenido e quase 100% curável. Alguns dos sinais que você pode ser diabético são:
  • Sede em excesso
  • Extrema fome (mesmo após comer)
  • Náusea e possíveis vômitos
  • Ganho ou perda de peso incomum
  • Maior fadiga
  • Irritabilidade
  • Visão turva
  • Cicatrização lenta de feridas
  • Infecções frequentes (cutânea, urinária e vaginal)
  • Dormência ou formigamento nas mãos e/ou pés

Informações erradas sobre o diabetes


O diabetes NÃO é uma doença do açúcar no sangue, mas uma doença de sinalização de insulina e leptina que evolui com o passar do tempo, indo primeiramente para um estado de pré-diabetes e depois para o diabetes total, se jamais verificado.

Um dos motivos por que a medicina popular falha no tratamento do diabetes com quaisquer substâncias que não sejam comprimidos ou injeções de insulina – e às vezes até piora – é porque ela se nega a agir na causa básica. A sensibilidade à insulina é crucial neste quesito.

O objetivo do pâncreas é produzir o hormônio insulina e secretá-lo no fluxo sanguíneo, ajustando, assim, os níveis de glicose aos níveis que seu corpo precisa para viver.

A função da insulina, então, é agir como uma fonte de energia para suas células. Em outras palavras, você PRECISA de insulina para viver e, geralmente, o pâncreas faz o trabalho de fornecer a quantidade certa para o seu corpo. Mas alguns fatores de risco e outras circunstâncias podem colocar em risco o funcionamento correto de seu pâncreas.

 

Fatores de risco do diabetes tipo 2 (Fonte: The National Diabetes Education Program)

  • 45 anos ou mais
  • Sobrepeso ou obesidade
  • Histórico familiar de diabetes
  • Hipertensão
  • Inatividade física
  • Depressão
  • Histórico de diabetes gestacional
  • Doença cardiovascular aterosclerótica
  • Níveis de HDL inferiores a 35 mg/dL
  • Triglicerídeos em jejum acima de 250 mg/dL
  • Tratamento com glicocorticoides e antipsicóticos atípicos
  • Apneia obstrutiva do sono
  • Determinadas condições de saúde relacionadas à resistência à insulina
  • Membro da população de alto risco (afro-americano, hispânico/latino, nativo ou americano asiático)

Se você tiver um ou mais desses fatores de risco ou se seus níveis de glicose no sangue forem altos, você será testado para diabetes e terá´que tomar insulina, seja em comprimido ou injeção — e, às vezes, ambos.
 
Seu médico dirá que o objetivo de tomar essas injeções ou comprimidos é baixar o nível de açúcar no sangue. Ele pode até mesmo explicar a você que isso é necessário porque a regulação de insulina exerce um papel importante na sua saúde e longevidade.
Talvez também diga que os níveis elevados de glicose não são apenas sintomas do diabetes, mas também de doenças cardíacas, doenças vasculares periféricas, derrame, pressão arterial alta, câncer e obesidade.
E, é claro, seu médico terá razão em tudo isso.
Mas será que ele iria além dessa explicação para lhe dizer qual a participação da leptina nesse processo? Ou que quando seu corpo desenvolve a resistência à leptina você está a caminho do diabetes, se é que não chegou lá?
Provavelmente não.


 

Diabetes e resistência à leptina e insulina

 
A leptina é um hormônio produzido nas células de gordura. Uma das suas principais funções é regular o apetite e o peso corporal. Ela avisa o cérebro quando comer, o quanto comer e quando parar de comer, e é por isso que é chamado de "hormônio da saciedade". 
Ele avisa seu cérebro o que fazer com a energia contida. 
Não muito tempo atrás, descobriu-se que os ratos sem leptina ficaram muito obesos. De modo semelhante, nos humanos, quando você se torna resistente à leptina, isso imita a deficiência de leptina e é muito fácil ganhar peso rapidamente.
 
Você pode agradecer a descoberta da leptina e sua função no corpo a Jeffrey M. Friedman e Douglas Coleman, dois pesquisadores que descobriram esse hormônio em 1994. O interessante é que Friedman deu o nome leptina com base na palavra grega "leptos", que significa "magro", depois de ter descoberto que os ratos que receberam a injeção de leptina sintética ficaram mais ativos e perderam peso.
 
Mas quando Friedman também descobriu que as pessoas obesas têm níveis muito elevados de leptina no sangue, ele viu que havia algo mais. E esse “algo mais” era que a obesidade pode causar resistência à leptina — em outras palavras, o caminho sinalizador da leptina é torto nas pessoas obesas, fazendo com que o corpo produza excesso de leptina assim como a glicose quando você tem resistência à insulina.
Friedman e Coleman também descobriram que a leptina é responsável pela sinalização da precisão de insulina e de sua resistência à insulina.
Portanto, a função principal da insulina NÃO é diminuir o nível de açúcar no sangue, mas armazenar energia extra (glicogênio, um amido) para o consumo atual e futuro. Sua capacidade de reduzir o açúcar no sangue é simplesmente um "efeito colateral" desse processo de armazenamento de energia.
No final das contas, isso quer dizer que o diabetes é uma doença da insulina e do mau funcionamento na sinalização de leptina.
E é por isso que "tratar" o diabetes, enfocando apenas a redução do nível de açúcar no sangue pode ser uma abordagem perigosa. Ela simplesmente não trata do problema real de erro de comunicação metabólica que acontece em todas as células do corpo quando os níveis de leptina e insulina são afetados e param de funcionar juntos do modo como deveriam.
Tomar insulina pode até mesmo significar um problema maior para alguns pacientes com diabetes tipo 2, uma vez que irá piorar a resistência à leptina e insulina com o passar do tempo. A única maneira conhecida de restabelecer a sinalização correta de leptina (e insulina) é por meio da alimentação.
E eu prometo, sua alimentação pode ter uma influência mais significativa sobre a saúde do que qualquer outra droga ou modalidade de tratamento médico conhecida.

 

Frutose: a força propulsora por trás do diabetes e da obesidade

 
O Dr. Richard Johnson, chefe do departamento de Nefrologia na Universidade de Colorado, é especialista em resistência à leptina e seu papel em torná-lo diabético. O Dr. Johnson tem sido um colaborador importante em meus artigos sobre açúcar, obesidade e diabetes. Seu livro, The Fat Switchacaba com vários mitos antigos sobre a alimentação e a perda de peso.
O Dr. Johnson explica como o consumo de frutose ativa uma potente chave biológica que faz com que ganhemos peso. Metabolicamente, este é um recurso altamente benéfico que permite que várias espécies, incluindo as pessoas, sobrevivam a tempos de escassez de comida.
Infelizmente, se você vive em um país desenvolvido atualmente, onde a comida é abundante e facilmente disponível, essa chave de gordura perdeu sua vantagem biológica, e, em vez de ajudar várias pessoas a viver mais tempo, ela funciona de modo prejudicial, matando-os prematuramente.
Talvez você tenha interesse em saber que a "morte por açúcar" não é um exagero. A impressionante quantidade de frutose na dieta padrão é um fator importante no aumento das taxas de diabetes neste país. Embora a glicose seja projetada para ser usada pelo corpo para obter energia (o açúcar normal é 50% glicose), a frutose se divide em diversas toxinas que podem acabar com a sua saúde.

 

Os medicamentos para diabetes NÃO são a resposta

 
A maioria dos tratamentos convencionais de diabetes tipo 2 usam medicamentos que aumentam o nível de insulina ou reduzem o nível de açúcar no sangue.
Como já expliquei, o problema é que o diabetes NÃO é uma doença do açúcar no sangue. Concentrar-se nos sintomas do diabetes (que é o nível alto de açúcar no sangue) em vez de tratar a causa é uma prática fútil e pode ser muito perigosa.
Quase 100% dos diabéticos tipo 2 podem ser curados com êxito sem remédios. Talvez você se surpreenda em saber que você pode comer, se exercitar e viver rumo à recuperação.

 

Dieta eficaz para o diabetes e dicas de estilo de vida

 
Eu simplifiquei as várias maneiras eficazes de aumentar sua sensibilidade à insulina e à leptina – para prevenir ou reverter o diabetes – em seis passos fáceis e altamente viáveis.

  • Pratique exercícios físicos. Contrário à maioria das recomendações de evitar fazer exercícios quando se está doente, ficar em forma é altamente importante para controlar o diabetes e outras doenças. Na verdade, é uma das maneiras mais rápidas e poderosas de reduzir a resistência à insulina e à leptina.
  • Elimine grãos e açúcares e TODOS os alimentos processados, principalmente aqueles feitos com frutose e xarope de milho rico em frutose. O tratamento convencional do diabetes fracassou nos últimos 50 anos em parte por causa de seus princípios alimentares falhos. 
    Elimine TODOS os açúcares e grãos – até mesmo os "saudáveis" como grãos integrais, orgânicos ou germinados – da sua dieta. Evite pães, massas, cereais, arroz, batata e milho (que é, na realidade, um grão). Até que seu nível de açúcar no sangue fique sob controle, restrinja o consumo de frutas também.

    É muito importante eliminar as carnes processadas. Em um estudo inovador que comparava as carnes processadas com as não processadas pela primeira vez, os pesquisadores da Harvard School of Public Health descobriram que o consumo de carnes processadas está associado a um risco 42% maior de doenças cardíacas e a um risco 19% maior de diabetes tipo 2.
    O que é interessante é que eles não encontraram nenhum risco de doença cardíaca ou diabetes entre pessoas que ingeriram carnes vermelhas não processadas, como bovina, de porco ou ovelha.
  • Além da frutose, elimine as gorduras trans, que aumentam o risco de diabetes e inflamação ao interferir nos receptores de insulina.
  • Consuma muitas gorduras ômega 3 de origem animal de alta qualidade.
  • Monitore seu nível de insulina em jejum. Tão importante quanto o nível de açúcar em jejum, seu nível de insulina em jejum, ou A1-C, deve ficar entre 2 e 4. Quanto maior o nível, pior é a sensibilidade à insulina.
  • Consuma probióticos. Seu intestino é um ecossistema vivo de diversas bactérias. Quanto mais bactérias boas você tiver, mais forte será sua imunidade e melhor será seu funcionamento geral. Melhore sua flora intestinal consumindo alimentos fermentados como natto, missô, kefir, queijo orgânico cru e hortaliças fermentadas. Você também pode ingerir um suplemento probiótico de alta qualidade.
  • A exposição ao sol é uma promessa no tratamento e prevenção do diabetes, com estudos que revelam uma conexão importante entre os altos níveis de vitamina D e um risco menor de desenvolver o diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e síndromes metabólicas.
OBS minha, Sílen: 
  • Este polivitamínico importado é formulado especificamente para ajudar a reduzir o açúcar no sangue, contendo boas quantidades de magnésio, cromo, vanádio e canela, ácido alfa-lipoico e outros nutrientes. Seu rótulo recomenda que se tome duas cápsulas ao dia (após uma das refeições), ele dura 45 dias.
  • Este é um excelente ômega 3 de krill.
  • Evite a soja transgênica também, que destrói sua microbiota intestinal, grande responsável por sua saúde geral, apenas consuma o missô e natto de soja orgânica.
  • O kefir pode ser adquirido por doações, ao fim deste post, há links de doação do mesmo.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

A Verdadeira Causa da Sinusite Segundo a Mayo Clinic

 Congestão Nasal

O criminoso oculto da sinusite – encontrado em 96% dos participantes de um estudo da Mayo Clinic


31/08/2016.

Por Dr. Mercola


A congestão nasal é geralmente causada por infecção ou alergia. Uma crença comum é de que a congestão nasal ou "nariz entupido" seja devido ao acúmulo de muco.
No entanto, a congestão ocorre com maior frequência por causa do inchaço dos tecidos nasais, causado pela inflamação dos vasos sanguíneos.
De modo geral, a congestão nasal pode estar relacionada a diversas indisposições, tais como:
  • Resfriado comum/gripe (bactéria ou vírus)
  • Sinusite (bactéria, vírus, mofo ou fungo)
  • Rinite alérgica ou outras alergias
  • Pólipos nasais
  • Rinite vasomotora (problema não alérgico)
  • Uso demasiado de sprays/gotas nasais
No caso de resfriado, gripe ou sinusite, a congestão geralmente desaparece em uma semana aproximadamente.
A sinusite crônica, por outro lado, pode durar meses ou até mesmo anos se tratada incorretamente.
Falarei a seguir sobre minhas recomendações de tratamento para a sinusite aguda e farei considerações especiais sobre a sinusite crônica, muitas vezes diagnosticada de modo errado.
Tendo isso dito, segundo um estudo recente no periódico PLoS Onei, as sensações de congestão nasal podem, em alguns casos, estar relacionadas à temperatura e umidade do ar inalado – talvez mais do que qualquer outro fator.

 

Como a temperatura e a umidade podem deixá-lo com o "nariz entupido"

 

Rinite é o termo médico para o "nariz entupido". A rinite vasomotora é um problema não alérgico, caracterizado por nariz com coriza, espirros e congestão nasal. As mudanças de temperatura e umidade também foram identificadas como fatores de causa em potencial. (Outros fatores incluem odores fortes, perfumes, fumaça, gases e luz solar forte.)
Os resultados do estudo apresentado indicam que a resposta sensorial do fluxo de ar nasal pode contribuir para a sensação de congestão e, alterando os níveis de temperatura e umidade do ar inalado, você talvez tenha algum alívio.

Qual é o nível ideal de umidade?

 

Segundo o Dr. Robert Ivker, MO, ex-presidente da Associação Americana de Medicina Holística, o nível ideal de umidade relativa do ar para a saúde das cavidades nasais é entre 35% e 45%. Esse nível também é recomendado em geral para evitar danos causados pelo mofo na sua casa.
(Para saber com precisão a umidade relativa na sua casa, é preciso usar um higrômetro, disponível na maioria das lojas de produtos para o lar.) No estudo em questão, os dois tipos de ar associados ao alívio mais eficaz da sensação de congestão foram:
  1. Ar frio, e
  2. Ar seco em temperatura ambiente
Se a sua casa ou escritório for muito úmido (mais de 45%), talvez você queira reduzir o nível de umidade do ar, uma vez que os níveis excessivos também podem causar o desenvolvimento de mofo e fungos que podem destruir a sua saúde (talvez isso até seja a causa das suas sinusites crônicas). Para diminuir a umidade do ar:
  • Use um desumidificador
  • Ligue o ar-condicionado
  • Tome banhos mais frios e mais curtos
  • Instale ventiladores na sua cozinha e banheiros e deixe-os ligados por algum tempo depois de ter cozinhado ou tomado banho
Tenha MUITO cuidado para certificar-se de que os níveis de umidade não estejam muito altos. Isso pode não ser devido à alta umidade externa, é mais comum que seja devido a algum tipo de infiltração na casa por um telhado, fundação ou tubulação com vazamento.
A alta umidade causa o surgimento de mofo e pode destruir a sua saúde como já falei anteriormente. O segredo, portanto, é descobrir a causa do aumento na umidade e resolvê-la. Seria bom usar um grande desumidificador comercial na sua casa para reduzir os níveis até que o problema seja reparado.
No entanto, sabe-se que o ar muito seco também aumenta as sensações de congestão nasal porque seca as membranas das cavidades nasais, causando irritação. Então, conforme as circunstâncias individuais, se o ar na sua casa for muito seco, aumentar o nível de umidade pode ajudar. Para aumentar a umidade do ar:
  • Use um vaporizador ou umidificador
  • Crie um banho a vapor tomando uma ducha quente ou enchendo a pia de água quente e colocando uma toalha sobre a cabeça enquanto se curva sobre a pia
  • Respire o vapor de uma xícara de chá

 

Você tem sinusite?

 

A sinusite ocorre normalmente quando as membranas mucosas do nariz e das cavidades nasais ficam irritadas por um resfriado, alergia ou poluição, por exemplo, fazendo com que fiquem inflamadas. Uma vez inflamadas, o movimento dos cílios (pelos que revestem as membranas mucosas e são responsáveis pelo movimento do muco sobre a superfície) fica mais lento.
Ao mesmo tempo, a irritação estimula as glândulas mucosas a secretarem mais muco do que o normal para diluir as bactérias.
Como resultado, o muco fica preso nas cavidades nasais, onde pode ser facilmente infectado.

É importante compreender que o antibiótico pode significar um desastre para esse problema. Se usado em longo prazo, pode causar complicações bem graves de difícil solução posteriormente, tais como a candidíase crônica e função imunológica prejudicada. Além disso, como falarei a seguir, a grande maioria dos casos de sinusite crônica pode ser devido à exposição a fungos e não a bactérias, sobre as quais os antibióticos não têm nenhum efeito. Entre os sintomas da sinusite estão:

  • Congestão e pressão nos olhos, bochechas e testa 
  • Muco espesso, verde ou amarelo 
  • Dor de dente
  • Sintomas de resfriado por mais de 10 dias 
  • Gotejamento pós-nasal (muco em excesso que escorre pela parte posterior da garganta) 
  • Fadiga


Cuidado com o diagnóstico errado da sinusite

 

A dificuldade dos problemas nas cavidades nasais é que eles são muitas vezes diagnosticados de modo equivocado. Os problemas nas cavidades nasais e pós-nasais podem, na verdade, ser um alerta de que você está sendo afetado por mofo ou fungos.
Na verdade, pesquisas feitas pela Mayo Clinic nos anos 90 indicam que QUASE TODAS as sinusites crônicas são causadas por fungos, mas quem recebe a culpa são as bactérias — tratadas equivocadamente com o uso de antibióticos. As descobertas foram publicadas em 1999 em dois periódicos: Journal of Allergy and Clinical Immunology e Mayo Clinic Proceedings.
Porém, a maioria dos médicos ainda desconhece esse estudo ou pelo menos a sua importância. Um comunicado à imprensa de 1999 feito pela Mayo Clinic relatava:
"Os pesquisadores da Mayo Clinic afirmam que descobriram a causa da maioria das sinusites crônicas: uma resposta do sistema imunológico aos fungos.
O estudo da Mayo Clinic indica que 96% das pessoas que sofrem de sinusite crônica são "sensíveis a fungos", o que significa que apresentam respostas imunológicas acionadas pela inalação de organismos fúngicos. Isso explica por que os antibióticos não são eficazes na sinusite crônica: eles atingem as bactérias, e NÃO os fungos.
Os antibióticos e os esteroides podem, na verdade, agravar as infecções fúngicas, destruindo o terreno biológico natural do seu corpo e criando uma área de incubação interna para desenvolvimento de outros fungos.
O ponto principal é que se você tem sinusite crônica, você DEVE tratá-la PRIMEIRAMENTE como uma infecção fúngica, e não como uma infecção bacteriana, mesmo que isso signifique ter que ensinar o seu médico.

 

Como tratar a sinusite sem medicamentos

 

Os seguintes tratamentos naturais podem ajudá-lo a resolver a sinusite aguda sem o uso desnecessário de antibióticos e medicamentos de venda livre, mantendo os cílios saudáveis e funcionando, evitando, assim, o acúmulo de muco em excesso nas cavidades nasais.
  1. Beba líquidos quentes, como chá ou canja de galinha. Isso ajuda a umedecer as membranas mucosas, acelerando o movimento dos pelos do nariz e removendo o muco das cavidades nasais mais rapidamente.
  2. Aplique compressas quentes no rosto três vezes por dia por cinco minutos. Uma pequena toalha embebida em água morna e colocada sobre o rosto, logo abaixo dos olhos e entre eles, ajuda a aumentar a circulação nas cavidades nasais, ajudando também a acelerar o movimento dos pelos.
  3. Irrigue as cavidades nasais. Um estudo de 2007 realizado pelos pesquisadores do Sistema de Saúde da Universidade de Michigan revelou que a irrigação salina diminui a congestão nasal de modo mais eficiente do que os sprays salinos. Isso parece funcionar ao diluir o muco, reduzir o inchaço nas vias nasais e remover resíduos, bactérias, alérgenos e substâncias inflamatórias do nariz, aliviando, assim, o inchaço que dificulta a respiração.
    Para fazer a sua própria solução salina sem conservantes, basta adicionar uma colher de chá de sal do Himalaia ou sal marinho para meio litro de água destilada. Certifique-se de usar uma solução salina que não contenha benzalcônio, um conservante que pode prejudicar a função nasal e causar sensações de picada e ardor.
  4. Limpe as cavidades nasais com um banho de aromaterapia. Para ajudar a abrir as vias e cavidades nasais congestionadas, pingue duas gotas de óleo de aromaterapia de eucalipto ou mentol em um recipiente com água quente e respire o vapor. No lugar do óleo de aromaterapia, a aplicação de um pouco de Vick VapoRub na pele abaixo do nariz também pode ser eficaz.
  5. Desobstrua as cavidades nasais com os alimentos certos. A raiz forte, colocada sobre um sanduíche, ou um pouco de mostarda wasabi japonesa também podem ajudar a abrir as cavidades nasais congestionadas.
  6. Eleve a cabeça para dormir.
  7. Tire o pó do quarto. A poeira e os ácaros podem destruir suas membranas mucosas, principalmente quando você está dormindo e os pelos do nariz estão parados. O uso de um purificador de ar com filtro HEPA também ajuda a manter o ar livre de alérgenos.

 Como evitar a sinusite antes que ela surja

 

A baixa qualidade dos alimentos, a exposição em excesso a produtos químicos tóxicos e um estilo de vida de alto estresse oferece a você maior risco não só de sinusite, mas de qualquer doença. Manter um sistema imunológico forte e criar um ambiente hostil para a proliferação de bactérias e fungos podem ajudar a evitar o surgimento de problemas e infecções nas cavidades nasais.
A seguir listo algumas estratégias básicas para manter seu sistema imunológico em excelente forma:
  1. Evite comer açúcares ou grãos
  2. Tome um suplemento de ômega 3 de origem animal de alta qualidade, como o óleo de krill, que atua como um potente anti-inflamatório
  3. Melhore seus níveis de vitamina D expondo-se bastante ao sol durante todo o ano. Como alternativa, use uma cama de bronzeamento artificial segura (uma cama com lastros eletrônicos em vez de lastros magnéticos, para evitar a exposição desnecessária a campos eletromagnéticos. O bronzeamento seguro também tem menos raios UVA perigosos do que a luz solar.) Se nenhuma dessas opções for viável, então você deve tomar um suplemento oral de vitamina D3.
  4. Consuma óleo de coco orgânico. O óleo de coco é rico em ácido láurico, conhecido por suas propriedades antivirais, antibacterianas e antifúngicas
  5. Durma bem
  6. Faça exercícios regularmente
OBS minha, Sílen: Uma boa opção que já usei quando tive sinusite foi o tratamento homeopático prescrito por um médico (homeopata).
Guarde seus medicamentos homeopáticos envoltos em papel alumínio (vendido em supermercados) para protegê-los do sinal de wi-fi, longe do calor, de micro-ondas, celulares e roteadores de wi-fi.

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2016/08/31/ar-umido-congestao-nasal.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=8312016_ar-umido-congestao-nasal

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Tratamento para o Autismo

 
 
AUTISMO - TRATAMENTO HOMEOPÁTICO E DIETA

  • CARCINOSINUM 30 CH, 5 gotas uma vez por dia.

Ou:
  • AETHUSA CYNAPIUM 200 CH, 5 gotas duas vezes por semana;
  • CALCAREA PHOSPHORICA 3 DH, 5 gotas duas vezes por dia.

Se houver hiperatividade:
  • STRAMONIUM 6 CH, 5 gotas duas vezes por dia.

Procure um bom médico homeopata e também averigue a possibilidade de fazer o detox de mercúrio, utilizando homeopatia. Hg (mercurius) 30 CH

Para dicas sobre a dieta GAPS para o autismo, déficit de atenção e outros, acesse: http://www.nossofuturoroubado.com.br/portal/entrevista-especial-com-a-dra-natasha-campbell-mcbride-feita-pelo-dr-joseph-mercola/

Fontes:
 
http://josemariaalves.blogspot.com.br/2009/07/autismo-tratamento-homeopatico.html

http://www.nossofuturoroubado.com.br/portal/entrevista-especial-com-a-dra-natasha-campbell-mcbride-feita-pelo-dr-joseph-mercola/

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

O que Acontece com seu Corpo durante um Ataque Cardíaco?

Ataque cardíaco
Artigo do Dr. Mercola de 01 de agosto de 2016.

Por Dr. Mercola

Um ataque cardíaco pode acontecer repentinamente. Seus sintomas são bem comuns e várias pessoas não percebem, a princípio, que já estão tendo um. Às vezes, pode haver apenas UM sintoma e isso faz com que o ataque cardíaco seja ainda mais difícil de diagnosticar.
Mas o que realmente acontece quando você tem um ataque cardíaco? Continue lendo para saber mais. 

O que é um ataque cardíaco?

O coração é um órgão extraordinário que ainda pode funcionar mesmo quando fora do seu corpo, desde que tenha a quantidade de oxigênio adequada. Ele deve trabalhar incessantemente para bombear sangue por todo o corpo.
É essencial que seu coração receba bastante sangue oxigenado, pois seu músculo cardíaco pode morrer se receber quantidade insuficiente. A perda de abastecimento de sangue pode ocorrer quando houver acúmulo de placas nas artérias coronárias, bloqueando o fluxo de sangue para o seu coração. A placa é feita de colesterol, substâncias gordas, desgaste celular, cálcio e fibrina.
Quando há acúmulo de placa nas artérias coronárias, isso pode resultar em espasmo arterial coronariano ou aterosclerose, que é o endurecimento dos músculos cardíacos e podem levar a um coágulo no sangue quando a placa romper.2 A aterosclerose pode levar à doença arterial coronária, que pode causar um ataque cardíaco.
Segundo a Associação Americana do Coração, o ataque cardíaco também pode acontecer quando o fluxo de sangue não consegue chegar ao coração devido a artérias cardíacas estreitas, conhecido normalmente como doença arterial coronariana.

 

Diferença entre ataque cardíaco e parada cardíaca

É importante saber a diferença entre ataque cardíaco e parada cardíaca uma vez que as pessoas geralmente têm a impressão de que eles são iguais. A parada cardíaca acontece devido ao mau funcionamento elétrico do coração, que causa um batimento cardíaco irregular e geralmente ocorre sem qualquer aviso.
A parada cardíaca é causada por diferentes motivos de saúde, como cardiomiopatia ou músculo cardíaco enrijecido, insuficiência cardíaca, síndrome do QT longo e fibrilação ventricular. O ataque cardíaco pode aumentar o risco de ter uma parada cardíaca e é o motivo comum para seu surgimento.

 

O que acontece em um ataque cardíaco?

Já pensou sobre o que acontece durante um ataque cardíaco? Vamos investigar a fundo o que acontece realmente dentro do seu corpo durante um ataque cardíaco e a função da placa nessa condição fatal.
Se seu coração vem acumulando placa com o passar dos anos, ela pode ficar espessa o suficiente e obstruir seu fluxo sanguíneo. Talvez você não perceba imediatamente que já tem um fluxo sanguíneo estreito, pois uma vez que a artéria coronária fica incapaz de levar sangue ao seu coração, outras artérias coronárias expandem para cuidar da tarefa da artéria incapacitada.
A placa é coberta por um revestimento fibroso sólido no lado externo, mas por dentro é macia devido ao teor de gordura. Se a placa na artéria coronária é rompida, as substâncias gordurosas são expostas. As plaquetas correm para a placa, formando um coágulo sanguíneo (o mesmo que acontece quando você tem um corte ou algum machucado).
O coágulo formado torna-se a principal obstrução ao seu fluxo sanguíneo. Seu coração fica com falta de sangue rico em oxigênio e seu sistema nervoso envia imediatamente um sinal ao cérebro sobre o que está acontecendo. Você começará a suar e seu batimento cardíaco será acelerado. Você também se sentirá enjoado e fraco.
À medida que o sistema nervoso envia sinais à medula espinhal, as outras partes do corpo começam a doer. Você começará a sentir uma dor enorme no peito que se espalha lentamente pelo pescoço, mandíbula, orelhas, braços, punhos, omoplatas, costas e até mesmo abdômen. Os pacientes de ataque cardíaco dizem que a dor que sentiram foi como uma prensa apertando seu peito, e pode durar de vários minutos a várias horas.
Os tecidos do seu coração morrerão se você não receber o tratamento adequado imediatamente. Se seu coração parar de bater completamente, as células cerebrais morrerão em um intervalo de apenas três a sete minutos. Se você receber tratamento imediatamente, seu coração começará a curar mas o tecido danificado jamais funcionará novamente, levando a um permanente fluxo sanguíneo lento.

 

Fatores de risco do ataque cardíaco

  • Idade. Os homens com 45 anos ou mais e as mulheres com 55 anos ao mais têm alto risco.
  • Fumo. A exposição prolongada à fumaça de outras pessoas confere a você um alto risco de doença cardiovascular.
  • Altos níveis de colesterol. Se você tem altos níveis de triglicerídeos e baixo HDL (lipoproteína de alta densidade), é provável que você tenha um risco maior de ataque cardíaco.
  • Diabetes, principalmente se não é tratado.
  • Histórico familiar de ataque cardíaco. Se alguém na sua família tem histórico de ataque cardíaco, você também poderá tê-lo.
  • Estilo de vida sedentário. Não ser ativo fisicamente leva a níveis altos de colesterol ruim que podem causar a formação de placas.
  • Obesidade. Se você perder 10% do seu peso corporal, também reduzirá seu risco de ataque cardíaco.
  • Estresse. Pesquisadores alemães descobriram que assim que quando se tem estresse, os níveis de glóbulos brancos aumentam. Eles, por sua vez, aumentam o risco de desenvolver aterosclerose e ruptura de placas.
  • Uso de drogas ilícitas. O uso de cocaína ou anfetaminas pode causar espasmo arterial coronariano.
  • Histórico de pré-eclâmpsia. Se você teve pressão alta durante a gravidez, seu risco de ter ataque cardíaco é alto.
  • Histórico de doença autoimune, como artrite reumatoide ou lúpus.
  • Se você tem algum desses fatores de risco, sugiro que você visite seu médico para mantê-lo protegido contra ataques cardíacos ou qualquer doença cardiovascular.

 

Sinais e sintomas de um ataque cardíaco

Algumas pessoas podem ter sintomas leves ou nenhum sintoma de ataque cardíaco – isso é chamado de ataque cardíaco silencioso. Acontece principalmente nas pessoas com diabetes.
Para evitar a morte prematura relacionada a doenças cardíacas, observe outros sintomas comuns desse problema fatal:
  1. Dor no peito ou desconforto. Esse é o sintoma mais comum quando se tem um ataque cardíaco. Algumas pessoas podem ter uma dor aguda repentina, enquanto outras podem ter só uma leve dor. Isso pode durar alguns minutos ou algumas horas.
  2. Desconforto na parte superior do corpo. Você pode sentir dor ou desconforto nos braços, costas, ombros, pescoço, mandíbula ou na parte superior do estômago.
  3. Falta de ar. Algumas pessoas podem ter somente esse sintoma, ou pode acontecer juntamente com a dor no peito.
  4. Suor frionáusea, vômitos e tontura repentina. Esses sintomas são mais comuns entre as mulheres.
  5. Cansaço incomum. Você pode se sentir cansado por motivos desconhecidos e às vezes isso pode durar vários dias.
As pessoas mais velhas que têm um ou mais desses sintomas normalmente os ignoram, pensando que são apenais sinais de envelhecimento. No entanto, se você sente um ou mais desses sintomas, peça para alguém chamar uma ambulância imediatamente. 

 

Como evitar um ataque cardíaco

A maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida. Recomendo estas práticas de estilo de vida para ajudá-lo a evitar um ataque cardíaco ou doença cardíaca:
  1. Tenha uma alimentação saudável.
  2. Uma dieta saudável para o coração não significa evitar totalmente as gorduras e o colesterol. Contrário à crença popular, as gorduras saturadas e o LDL (lipoproteína de baixa densidade) "grande e fofa" são, na verdade, bons para o corpo uma vez que são fonte de energia natural do seu corpo.
    Você também tem que evitar o consumo de alimentos processados, carboidratos refinados, açúcar (principalmente a frutose) e gorduras trans já que ajudam a aumentar o LDL "pequeno", que contribui para o acúmulo de placas.
    Recomendo as seguintes estratégias de dieta saudável:
    • Foco em alimentos integrais, frescos e orgânicos
    • Limite o consumo de frutose para 25 gramas por dia. Se você tem diabetes, hipertensão ou se é resistente à insulina, mantenha seu nível de frutose abaixo de 15 gramas por dia
    • Evite adoçantes artificiais
    • Remova o glúten e outros alimentos alergênicos da sua refeição
    • Inclua alimentos naturalmente fermentados na sua dieta, como laticínios e hortaliças cultivadas
    • Equilibre a relação de gordura ômega 3 para ômega 6 ingerindo salmão selvagem do Alasca ou tomando um suplemento de óleo de krill
    • Sempre tome água pura
    • Coma gorduras saturadas e monoinsaturadas de animais alimentados com pasto e óleo de krill
    • Consuma proteína de alta qualidade de animais alimentados organicamente
    Ter uma alimentação saudável pode não ser suficiente para mantê-lo protegido de um ataque cardíaco – lembre-se, também é importante observar a frequência que você come. Tendo isso dito, recomendo o jejum intermitente que limita sua alimentação diária para um intervalo de oito horas. Ele ajuda seu corpo a se reprogramar e a lembrar de como queimar gordura como energia.
  3. Faça exercícios regularmente.
  4. É essencial que enquanto você ingere alimentos saudáveis, também pratique exercícios por pelo menos 2,5 horas por semana. Recomendo fazer exercícios intervalados de alta intensidade, pois oferecem vários benefícios não só para o seu coração, como também para a saúde e bem-estar geral. Mas certifique-se de descansar após cada sessão para obter os melhores resultados.
  5.  Pare de fumar.
  6. O Centro americano de controle e prevenção (CDC) incluiu parar de fumar como uma medida para evitar doenças cardiovasculares, que podem levar a um ataque cardíaco. Fumar faz com que os vasos sanguíneos afinem e engrossem. Também causa a formação de coágulos de sangue que podem levar ao bloqueio do fluxo sanguíneo até o coração.
  7. Evite o consumo de álcool.
  8. O álcool tem alto teor de calorias vazias e faz com que você engorde. A ingestão de álcool faz com que o corpo pare de queimar gorduras e calorias. Como resultado, o alimento que você come vira gordura armazenada. O álcool também causa danos no córtex pré-frontal, que promove a alimentação impulsiva. Para manter uma ótima saúde, sugiro erradicar todas as formas de álcool do seu estilo de vida. 
  9. Sente-se o menos possível.
  10. As longas horas sentado têm efeitos prejudiciais na saúde, como um risco 50% maior de câncer de pulmão e 90% maior de diabetes tipo 2. Para manter um estilo de vida ativo em casa ou no trabalho, recomendo caminhar 7.000 a 10.000 passos por dia. O uso de um gadget como o Up3 da Jawbone também ajuda a monitorar suas atividades durante o dia todo.
  11. Melhore seus níveis de vitamina D.
  12. É essencial examinar seus níveis de vitamina D anualmente, pois a deficiência desta vitamina aumenta o risco de ataque cardíaco em 50%. Para obter os benefícios à saúde, você deve manter um nível de 40 ng/ml ou 5.000-6.000 UIs por dia.
    Recomendo veementemente a exposição ao sol como sua melhor fonte de vitamina D, embora alguns alimentos e suplementos de vitamina D3 sejam considerados boas fontes também.
  13. Experimente andar de pés descalços.
  14. Andar de pés descalços libera elétrons, que são potentes antioxidantes, da terra para o seu corpo. Andar de pés descalços também reduz a inflamação no corpo, uma vez que afina o sangue e enche você de íons de carga negativa.
  15. Libere-se do estresse.
  16. Um estudo publicado na mBio mostrou que quando você está estressado, seu corpo libera norepinefrina. Esse hormônio causa a dispersão de biofilmes bacterianos que resultam na ruptura de placas.
    Recomendo muito fazer a Técnica de Liberação Emocional (EFT) para gerenciar seu estresse. EFT é uma ferramenta psicológica de energia que ajuda a redefinir a reação do seu corpo em tempos de estresse. Isso pode reduzir o risco de desenvolver doenças crônicas. 
Manter o coração saudável com certeza torna sua vida mais prazerosa e proveitosa. Lembre-se dessas estratégias benéficas e de bom senso para evitar um ataque cardíaco e para manter seu sistema cardiovascular funcionando perfeitamente. 

Fonte:

http://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2016/08/01/sintomas-ataque-cardiaco.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaru_lead&utm_campaign=8012016_sintomas-ataque-cardiaco

terça-feira, 31 de maio de 2016

Protocolo do Dr. John Myers para Tratamento e Cura de Doença Fibrocística de Mama


Doença Fibrocística de Mama por Dr. Jonathan V. Wright

Publicado no "Nutrition & Healing" em julho 1995

Tradução do Artigo de Consultas Médicas do dr. Jonathan Wright (JW) e da paciente, Jenny Bauer (JB).

JB: "Eu quero abraçar meu marido e filhos em mais de um ou dois dias por mês sem sentir dor", disse Jenny Bauer. "Está ficando cada vez pior. Por algum tempo, achei que a vitamina E que minha ginecologista me disse para tomar, estivesse ajudando, mas agora está pior do que nunca. Ela me diz que vai melhorar depois da menopausa, mas isso será daqui a quinze ou vinte anos! Minha amiga disse-me que você a ajudou, então eu pensei que iria pelo menos tentar, mesmo que o problema dela não fosse tão grave quanto o meu."


JW: "Você tem displasia mamária?"
 

JB: "Oh, desculpe-me, eu não disse, não é? Sim."
 

JW: "Há quanto tempo isso tem sido um problema?"
 

JB: "Vamos ver ... Eu tenho 36 anos... quase há vinte anos. Eu fui a um médico quando tinha dezessete anos e os meus seios começavam a doer um pouco antes dos períodos menstruais. O médico disse que um grande número de mulheres tem seios com nódulos, o meu caso não era tão sério e, além disso, não havia nada que pudesse ser feito em relação a isso, então eu poderia muito bem aprender a viver com isso. Por cerca de dez anos, eu só tinha um pouco de dor antes dos meus períodos menstruais, mas, desde então, constantemente foi ficando pior. "

JW: "Ainda é pior antes dos períodos menstruais?"

JB: "Eu não consigo nem dormir de bruços antes de meus períodos menstruais, dói muito nesse período. A maioria do resto do mês dói um pouco menos, e dois ou três dias quando só dói um pouco ".

JW: "Tem quaisquer outros problemas de saúde?"

JB: "Não que eu saiba. Ando um pouco mais cansada do que eu gostaria, mas é só isso."

JW: "Você tem evitando toda a cafeína?"

Eis como Procedemos

JB: "Na maioria das vezes. Quando essa informação surgiu pela primeira vez, eu a cortei completamente, mas só notei uma pequena diferença. Meu ginecologista disse que novas pesquisas sobre a cafeína mostraram que realmente não causar problemas fibrocísticos. Então eu faço um café de vez em quando. "

JW: "Quando você tentou evitar a cafeína estritamente, eliminou chá, todas as bebidas de cola (refrigerantes), e todos os analgésicos com cafeína?"

JB: "Não, eu nunca sequer pensei nos analgésicos. Mas a eliminação da cafeína realmente faz alguma diferença? "

JW: "Sim, mas não para as mulheres com fibroadenoma da mama ou outras condições. O que a pesquisa contrária descobriu foi que a cafeína não provoca problema em todas as mulheres.
Nós não podemos usar isso para dizer que a cafeína não provoca um problema a ninguém."

JB: "Vou tentar e ser muito mais cuidadosa desta vez. O que mais devo fazer? "

JW:  "É melhor fazer um exame primeiro. Poderia ir para a sala de exame, por favor? "

JB: "Claro, mas fui examinada antes ... é definitivamente doença fibrocística."

JW: "Eu não duvido de você. O tratamento pode variar um pouco de acordo com o grau do problema, portanto, devo verificar. Eu sei que dói, serei o mais cuidadoso que puder. "

Infelizmente, a senhora Bauer tinha um problema bastante grave. Havia dezenas de nódulos em cada mama, variando em diâmetro de cerca de 0,5 cm a 2,5 cm. Havia inchaço no tecido em torno e entre os nódulos e, claro, ambos os seios estavam extremamente sensíveis.

JW: "Você não é o pior caso que já vi", eu disse. "Mas você está perto ...."

Ela parecia chateada. JB: "Isso significa que para sentir alívio ainda terei que esperar até a menopausa?"

JW:  "Isso vai acontecer de qualquer maneira, mas você provavelmente pode obter um alívio substancial antes disso. Nós vamos seguir os procedimentos desenvolvidos pelo Dr. John Myers ... "

Eis como Procedemos


JW: "Dr. John Myers foi um pioneiro no uso clínico de minerais, começando na década de 1930 e nos anos 40. Ele elaborou um programa de tratamento para a doença fibrocística da mama que reduz substancialmente ou elimina ambos os cistos e os sintomas na grande maioria das mulheres. "

JB: "Na década de 1940? Tenho meu problema desde a década de 1970! Então, porque ninguém me disse sobre o tratamento Dr. Myers? "

JW: "Em parte porque não envolve cirurgia ou nada patenteável. Além disso, até onde sei, Dr. Myers nunca publicou seu tratamento em lugar algum, embora ele tenha palestrado sobre ele dezenas de vezes em seminários médicos ".


JB: "Qual é o tratamento do Dr. Myers? " 

JW: "Principalmente, iodo. No entanto, o Dr. Myers aplicava o iodo de diferentes maneiras de acordo com a gravidade da doença fibrocística. No seu caso, vamos seguir procedimento dele para os problemas mais graves "

JB: "O que é isso?" 

JW: "Dr. Myers recomendava esfregar o iodo com um cotonete na vagina seguido quase imediatamente por uma injeção intravenosa de magnésio. " 

JB: "Isso é certamente uma maneira incomum para um tratamento! Ele explicou por que o iodo não pode simplesmente ser tomado? ".

JW: "Ele explicou. Dr. Myers fez um trabalho experimental com beagles com doença fibrocística da mama. Ele removeu cirurgicamente os ovários de um grupo, deixou os de outros intactos, e tratou a todos com o iodo. Apenas os beagles com ovários intactos melhoraram; nenhum dos beagles sem ovários mostrou qualquer melhoria. Ele então descobriu que quando aplicava o iodo o mais próximo possível dos ovários, obtinha melhores resultados ".

JB: "E aplicando-o na área vaginal é o mais próximo que podemos chegar dos mesmos." 

JW: "Certo."

JB: "E sobre o magnésio?" 

JW: "Ele não explicou o porquê, exceto que sua pesquisa com cães tinha mostrado que ajudou o iodo a funcionar." 

JB: "Você usou o tratamento Dr. Myers '?"

JW: "Muitas vezes."JB: "E quanto a casos menos graves?" 

JW: "Em casos menos graves ... e para você, uma vez que você melhorar o suficiente ... ter que tomar o iodo, juntamente com magnésio, vitamina E (natural, tocoferol) e outros nutrientes de suporte. Se o seu problema piorar no período pré-menstrual, precisará de mais vitamina B neste período. "

JB: "Já que estou aqui, posso começar o tratamento agora?" 

JW: "Se você quiser."

Sra Bauer ficou na sala de exame com a enfermeira e eu dei-lhe o tratamento Dr. Myers. Dez minutos depois, voltamos para verificar novamente. Ela olhou ao mesmo tempo surpresa, perplexa, e satisfeita.
 


JB: "Eu já me examinei," ela disse, "e eu estou melhor! Não dói tanto, e eu acho que o inchaço está menor. Acho que até algumas das áreas com caroços (nódulos) estão menores. Isso é possível? Isso costuma acontecer tão rápido? Por que você não me disse?" 

JW: "Você teria acreditado em mim?" Fiz uma pausa. "Por favor, deixe-me ver, também ...."

Ela tinha distintamente menos dor com o mesmo grau de pressão, e em ambos os lados. Como ela observou, seu inchaço nos tecidos estava um pouco menor, e alguns dos nódulos estavam de fato, um pouco menores.
 


JW: "Dr. Myers tinha médicos que traziam pacientes voluntários com doença fibrocística da mama grave a seus seminários. Ele fazia os médicos examiná-los, tratá-los e examiná-los novamente alguns minutos depois. Eles melhoravam, assim como você melhorou. Ninguém pode argumentar com resultados como esses. " 

JB: "Eu acho que não. Mas você está certo, eu provavelmente não teria acreditado em você. Então o que faço daqui pra frente?"

 Eis como Procedemos
  
JW: "Vamos repetir este tratamento uma vez ou duas vezes por semana até que você melhore o suficiente para mudar para um" programa de tratamento completamente oral ". No entanto, exceto o iodo e magnésio, inicie o resto do programa agora. Como você disse, elimine absolutamente toda a cafeína. Continue tomando a vitamina E ... 

"JB: "Quanto?" 

JW: "Considerando o grau de seu problema, 800 unidades (UI) (de vitamina E natural) por dia. Além disso, tome a vitamina B6 extra de 100 miligramas por dia na maioria dos dias, três vezes ao dia antes de seus períodos menstruais. Tome o óleo de prímula (este) ou o óleo de Groselha negra, 2-4 cápsulas diárias, e selênio (selenometionina), 200 microgramas por dia. E se você não estiver tomando ainda, tome um polivitamínico e minerais de alta potência. " 

JB: "Isso é tudo parte do programa Dr. Myers '?" 

JW: "Não, mas desde que eu assisti o seu seminário, em 1976, descobri que estes itens ajudam todo o programa a ter resultados mais rápidos." 

JB: "Faço qualquer coisa para ser mais rápido. Eu não posso esperar para ver se posso me livrar dessa coisa! Poderia, eventualmente desaparecer completamente"

JW: "Às vezes sim. Mais frequentemente, desaparecem a dor, o inchaço, e os cistos tornam-se consideravelmente menores, mas eles não desaparecem completamente. " 

JB: "Contanto que não sinta dor, eu viveria feliz com isso."

Após seis semanas de tratamento com iodo juntamente com injeções de magnésio, Sra Bauer tinha melhorado o suficiente para mudar para o programa "via oral". Prescrevi-lhe uma receita de iodo, "de Lugol", 7 gotas diariamente, e recomendei que ela continuasse a tomar todos os seus outros suplementos, juntamente com 200 miligramas de magnésio (citrato) diariamente. Devido a ela ter sido tratada com uma quantidade substancial de iodo, pedi-lhe para fazer um exame de sangue para a função tiroideia. Como quase todas as mulheres tratadas com iodo para displasia mamária, sua função tireoidiana não foi suprimida pelo iodo.


Sete meses depois, ela estava de volta, feliz e animada. "Consigo dormir de bruços, de costas, do jeito que quiser", disse ela. "Eu não tive dor alguma em dois meses até agora! Todos aqueles nódulos estão muito menores, e acho que alguns deles sumiram. Sinto-me melhor em tudo! Eu realmente gostaria de agradecer ao Dr. Myers. Posso escrever uma carta para ele? "

JW: "Dr. Myers continuou seu trabalho em outros temas no início da década de 1980. Tenho certeza que ele ficaria muito feliz em saber que você está melhor, apesar disso. "

JB: "E quanto a todos os meus suplementos?"
 


JW: "Normalmente, eles podem ser reduzidos, mas o iodo frequentemente deve ser continuado em uma dose menor, uma gota ou duas por dia, por tempo indeterminado." Eu prescrevi-lhe uma nova lista. Ela a leu mais, e levantou-se para ir embora. Fui com ela até a porta. 

JB: "Eu quase me esqueci", disse ela. "Eu disse ao meu marido e filhos que tinha algo especial para mostrar a você," ... e ela me deu um abraço grande, entusiasta e livre de dor!

Eis Como Procedemos


Comece com uma receita de solução de Lugol. Dissolva 5 a 10 gotas com uma pequena quantidade de água ou suco e beba uma vez por dia durante 6 semanas (Iodoral é uma forma de comprimido de iodo e iodeto - assim como o Lugol). Você também deve estar tomando um bom suplemento polivitamínico e minerais. O cálcio e o magnésio são muito importantes - e assim como é a vitamina E (natural).

Após o frasco de lugol acabar, mude para a suplementação de manutenção do iodo. Nós temos um excelente composto que fazemos a partir da solução do Lugol que usamos inicialmente para tratar a situação. Estas cápsulas devem ser tomadas duas a três vezes por semana.

Todos os itens acima equilibram o ambiente hormonal. É importante saber seus níveis hormonais e usar suplementos para compensar quaisquer eventuais deficiências. O uso de progesterona (biodêntica) é muito importante.

Não utilize produtos comerciais, como o Prometrium. Insista para que seu médico prescreva o iodo e os suplementos de uma farmácia de manipulação qualificada. Então, certifique-se de voltar a testar os seus níveis hormonais anualmente.

Uma vez resolvida a condição fibrocística, ela não deve voltar - a menos que você pare com os suplementos.


OBS minhas, Sílen:

Vejam o protocolo do iodo no colo do útero dos 22:45 aos 24:10 min deste vídeo.

 
Para realizar este tratamento, você pode telefonar para a Academia Lair e perguntar se há um profissional que tenha feito curso com dr. Lair Ribeiro em sua cidade, o telefone é (44) 3031-3515.

Fontes:

http://www.curezone.org/forums/am.asp?i=839512 

http://www.dailymotion.com/video/x3zeztq